Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... O TEMPO... A VIDA... "O IMPERADOR Dom Pedro II (1825 - 1891), foi deposto em 15 de novembro de 1899. Vieram os Presidentes da REPÚBLICA Federativa do BRASIL"... - (31ª parte).





A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... O TEMPO... A VIDA... “O IMPERADOR Dom Pedro II (1825 – 1891), foi deposto em 15 de novembro de 1889. Vieram os Presidentes da REPÚBLICA Federativa do BRASIL”... - (31ª parte).



UM MÉDICO na PRESIDÊNCIA do BRASIL (Considerações Finais) + (Outras Considerações Curiosas) – (23ª parte).

      


     O Barbudo Karl Marx (1818 – 1883) teria afirmado: - “A RELIGIÃO é o ÓPIO do POVO”. A TV GOEBBELS ou GLOBOLIXO (1965 – presente) continua afirmando: - “O FUTEBOL é o ÓPIO do POVO”. Já o MOLUSCO BARBUDO e CONDENADO (que nunca foi para um presídio), e, que continua “livre”, leve e solto, juntamente com a sua PETRALHADA continuam afirmando: - Toquem FOGO no BRASIL e depois assistam “O “CIRCO pegando FOGO” através da GLOBONERO, comendo MORTADELA e PÃES”.
(Ato Institucional nº IV + 1/32).



    
      Como perguntar não ofende à GOLPISTA TV ESGOTO, nós também AFIRMAMOS:

    
    

     1ª – AFIRMAMOS que ainda não sabemos corretamente quem mandou ASSASSINAR BRUTALMENTE e COVARDEMENTE o Prefeito Celso Daniel, do PT, em Janeiro de 2002!

    
     2ª – AFIRMAMOS que ainda não sabemos exatamente onde estão os RESTOS MORTAIS da jovem Eliza Samúdio, que foi ASSASSINADA COVARDEMENTE e MONSTRUOSAMENTE em Julho de 2010!

    
     3ª – AFIRMAMOS que ainda não sabemos com precisão quem pagou MISTERIOSAMENTE e quem continua pagando SILENCIOSAMENTE, os ADVOGADOS e os MÉDICOS, do esfaqueador COVARDE que já confessou o crime, ADÉLIO BISPO de OLIVEIRA, fato ocorrido no dia 06 de setembro de 2018 em Juiz de Fora – MG!

    
     4ª – AFIRMAMOS que ainda não sabemos verdadeiramente quem MANDOU ASSASSINAR COVARDEMENTE o então Presidenciável JAIR MESSIAS BOLSONARO, no dia 06 de Setembro de 2018 em Juiz de Fora – MG!  


     5ª – AFIRMAMOS que ainda não sabemos verdadeiramente como está a SEGURANÇA e a SAÚDE FÍSICA e MENTAL do esfaqueador COVARDE e CRIMINOSO ADÉLIO BISPO de OLIVEIRA.    


     6ª – AFIRMAMOS que ainda não sabemos se os TRÊS CRIMES COVARDES ficarão eternamente IMPUNES!

                                        



     O ADVOGADO Fluminense NILO PEÇANHA  foi o 7º Presidente do BRASIL.





O ADVOGADO Fluminense NILO PEÇANHA.




     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.




     “Foto: - Constituição Brasileira de 1891, página da assinatura de Nilo Peçanha (décima oitava assinatura). Acervo Arquivo Nacional”.




     Nilo Procópio Peçanha (Campos dos Goytacazes, 02 de outubro de 1867 – Rio de Janeiro, 31 de março de 1924 – 56 anos) foi um político brasileiro.
    
     Assumiu a Presidência da REPÚBLICA após o falecimento do ADVOGADO Mineiro Afonso Pena, em 14 de junho de 1909 e governou até 15 de novembro de 1910.




ORIGEM e CARREIRA POLÍTICA.



PRIMEIROS ANOS.




     Nilo Peçanha nasceu em 02 de outubro de 1867 em Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, filho do PADEIRO Fluminense Sebastião de Sousa Peçanha e da DONA de CASA Fluminense Joaquina Anália de Sá Freire, descendente de uma família importante na política norte Fluminense.
    
     Teve quatro irmãos e duas irmãs. A família vivia pobremente em um sítio no atual Distrito de Morro do Coco, Campos dos Goytacazes, até que se mudou para o centro da cidade quando Nilo Peçanha chegou à idade escolar.
    
     Seu pai era conhecido na cidade como "Sebastião da Padaria".
     Fez os estudos preliminares em sua cidade, no Colégio Pedro II. Estudou na FACULDADE de DIREITO de São Paulo e depois na FACULDADE de DIREITO do Recife, onde se formou.
    
     Casou-se com Ana de Castro Belisário Soares de Sousa, conhecida como "Anita", descendente de Famílias Aristocráticas e Ricas de Campos dos Goytacazes, neta do VISCONDE de Santa Rita (Fluminense José Ribeiro de Castro, empresário e fazendeiro) e bisneta do BARÃO de Muriaé (Fluminense Manuel Pinto Netto da Cruz, fazendeiro) e do Primeiro BARÃO de Santa Rita (Fluminense Manuel Antônio Ribeiro de Castro, fazendeiro).
    
     Com Ana de Castro Belisário Soares de Sousa (1895 – 1924) teve os filhos Nilo Peçanha, Zulma Peçanha e Mário Peçanha. Os três morreram precocemente.  
    
     O casamento foi um escândalo social, pois a noiva teve que fugir de casa para se casar com um POBRE e MULATO, embora político promissor.
    
     Foi descrito como sendo MULATO e frequentemente ridicularizado na IMPRENSA em CHARGES e ANEDOTAS que se referiam à cor da sua pele.
    
     Durante sua juventude, a Elite Social de Campos dos Goytacazes chamava-o de "O MESTIÇO de Morro do Coco".




CARREIRA POLÍTICA.



    
     “Foto: - ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha”.



     Participou da Campanha Abolicionista e Republicana. Iniciou a carreira política ao ser ELEITO para a Assembleia Constituinte em 1890.
    
     Em 1903 foi ELEITO sucessivamente Senador e Presidente do Estado do Rio de Janeiro, permanecendo no cargo até 1906 quando foi eleito Vice-Presidente do ADVOGADO Mineiro Afonso Pena.
    
     Como Presidente do Estado do Rio de Janeiro, assinou, em 26 de fevereiro de 1906, o Convênio de Taubaté.
    
     Quatro dias após o Convênio de Taubaté, em 1º de março de 1906, foi eleito Vice-Presidente da REPÚBLICA, com 272.529 votos contra apenas 618 votos dados ao ADVOGADO Gaúcho Alfredo Varela (também escritor, historiador e diplomata). Seus seguidores eram chamados de nilistas.
    
     Foi MAÇOM e GRÃO-MESTRE do GRANDE ORIENTE do BRASIL de 23 de julho de 1917 a 24 de setembro de 1919, quando renunciou ao cargo.
    
     Em 1921, quando concorreu à Presidência da REPÚBLICA como candidato de oposição, a IMPRENSA publicou CARTAS atribuídas falsamente ao candidato governista, o ADVOGADO Mineiro Artur Bernardes, que causaram uma crise política, pois insultavam o Ex-Presidente, o MARECHAL Gaúcho Hermes da Fonseca, representante dos militares, e também o ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha, que era xingado de MULATO.
    
     O SOCIÓLOGO Pernambucano Gilberto Freyre, escrevendo sobre FUTEBOL, usou-o como paradigma do MULATO que vence usando a malícia e escondendo o jogo mencionando que "o nosso estilo de jogar (…) exprime o mesmo mulatismo de que Nilo Peçanha foi até hoje a melhor afirmação na arte política".




CONTROVÉRSIA RACIAL.




     Alguns pesquisadores afirmam que suas Fotografias Presidenciais eram retocadas para branquear sua pele escura.
    
     O HISTORIADOR Paulista Alberto da Costa e Silva afirma que o ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha foi um dos quatro Presidentes Brasileiros que esconderam os seus Ancestrais Africanos, sendo os outros o ADVOGADO Paulista Campos Sales, o ADVOGADO Paulista Rodrigues Alves e o ADVOGADO Fluminense Washington Luís.  
    
     Já o Presidente e SOCIÓLOGO Fluminense Fernando Henrique Cardoso, apesar de se considerar da Etnia Branca, confirmou ter entre seus Ancestrais uma Escrava.
    
     O ESCRITOR Francês Abdias Nascimento afirma que, apesar de sua tez escura, o ADVOGADO Nilo Peçanha escondeu suas origens africanas e que seus descendentes e família sempre negaram que ele fosse MULATO.
    
     A biografia oficial escrita por um parente, o ADVOGADO Fluminense Celso Peçanha, nada menciona sobre suas origens raciais, mas, em outra biografia posterior o faz.
    
     Portanto, alguns pesquisadores expressam dúvidas sobre se o ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha era ou não MULATO.
    
     Em qualquer caso, suas origens foram muito humildes: - Ele mesmo contava ter sido criado com "pão dormido e paçoca".





PRESIDENTE da REPÚBLICA.




     “Foto: - O Presidente da REPÚBLICA e ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha”.



     Com a morte do ADVOGADO Mineiro Afonso Pena em 1909, assumiu o cargo de Presidente. Seu governo foi marcado pela agitação política em razão de suas divergências com o ADVOGADO Gaúcho Pinheiro Machado (também pecuarista), líder do Partido Republicano Conservador.
    
     Apoiou o candidato à Presidência, o MARECHAL Gaúcho Hermes Rodrigues da Fonseca à sua sucessão em 1910, contra o ADVOGADO Baiano Rui Barbosa e o Presidente do Estado de São Paulo o ADVOGADO Alagoano Manoel Joaquim de Albuquerque Lins, candidatos de oposição que fizeram a Campanha Civilista.
    
     O MARECHAL Gaúcho Hermes da Fonseca venceu as eleições e elegeu-se Presidente da REPÚBLICA em 1º de março de 1910, para governar até 1914.
    
     Os conflitos entre as OLIGARQUIAS ESTADUAIS intensificaram-se, sobretudo em Minas Gerais e São Paulo.
    
     Minas Gerais apoiou o MARECHAL Gaúcho Hermes da Fonseca e São Paulo apoiou o ADVOGADO Baiano Rui Barbosa, lançando seu Presidente Estadual o ADVOGADO Alagoano Manoel Joaquim de Albuquerque Lins à Vice Presidência na Campanha Civilista.
    
     Durante seu governo, o ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha criou o Ministério da Agricultura, Comércio e Indústria, o Serviço de Proteção aos Índios (SPI, antecessor da FUNAI), e inaugurou e o Ensino Técnico no Brasil.


    
     “Foto: - Placa de Inauguração da I Reforma Republicana da Quinta - 1910. Foto de Raphael Garcez”.




VIDA APÓS a PRESIDÊNCIA.



     “Foto: - Selo dos Correios com a imagem de Nilo Peçanha”.


     “Foto: - Carta de renúncia de Nilo Procópio Peçanha ao cargo de Vice-Presidente de REPÚBLICA que seria apresentada ao Congresso Nacional, em 1907”.



     Ao fim do seu Mandato Presidencial, retornou ao Senado em 1912 e, dois anos depois, novamente elegeu-se Presidente do Estado do Rio de Janeiro.
    
     Renunciou a este cargo em 1917 para assumir o Ministério das Relações Exteriores.
    
     Em 1918 novamente elegeu-se Senador Federal.
    
     A 14 de junho de 1920 Portugal o agraciou com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.
    
     Em 1921 candidatou-se à Presidência da REPÚBLICA pelo “Movimento Reação REPUBLICANA, que tinha como objetivo contrapor o Liberalismo Político à POLÍTICA das OLIGARQUIAS ESTADUAIS.
    
     Embora as situações pernambucanas, baianas, gaúchas e fluminenses, e boa parte dos militares, o apoiassem, o ADVOGADO Mineiro Artur Bernardes o derrotou nas eleições de 1º de março de 1922.
    
     O Presidente da REPÚBLICA na época, o ADVOGADO Paraibano Epitácio Pessoa, não participou das negociações (démarches, no galicismo corrente à época), sobre sua sucessão Presidencial.
    
     O ADVOGADO Mineiro Artur Bernardes teve 466.877 votos contra 317.714 votos dados ao ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha.
    
     O ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha teve apoio apenas dos Estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Bahia.
    
     Faleceu em 1924, no Rio de Janeiro, afastado da vida política, e foi sepultado no Cemitério de São João Batista.
    
     O nome do Município Fluminense Nilópolis, fundado em 1947, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro o homenageia.




    
     GABINETE MINISTERIAL do ADVOGADO Fluminense NILO PEÇANHA (Fonte: - Wikipédia).




     01 – Ministro da Agricultura, Indústria e Comércio – GENERAL Paulista Antônio Cândido Rodrigues, ENGENHEIRO Mineiro Francisco Sá e EMPRESÁRIO Paulista Rodolfo Nogueira da Rocha Miranda.

    
     02 – Ministro da Fazenda – ADVOGADO Goiano José Leopoldo de Bulhões Jardim (também financista).

    
     03 – Ministro da Guerra – GENERAL-de-DIVISÃO Paulista Luís Mendes de Morais, MARECHAL Fluminense Carlos Eugênio de Andrade Guimarães e MARECHAL Gaúcho José Bernardino Bormann.


     04 – Ministro da Justiça e Negócios Interiores – ADVOGADO Potiguar Augusto Tavares de Lira e ADVOGADO Pernambucano Esmeraldino Olímpio Torres Bandeira.


     05 – Ministro da Marinha – ALMIRANTE Fluminense Alexandrino Faria de Alencar.


     06 – Ministro das Relações Exteriores – ADVOGADO Fluminense José Maria da Silva Paranhos Júnior (o Barão de Rio Branco).


     07 – Ministro da Viação e Obras Públicas – ENGENHEIRO Baiano Miguel Calmon du Pin e Almeida e ENGENHEIRO Mineiro Francisco Sá.  



    
      Vejamos as Profissões dos Ministros (Fonte: - Wikipédia).



     Presidente da REPÚBLICA – ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha.



     01 – ADVOGADOS – O Presidente da REPÚBLICA + Quatro ADVOGADOS = Cinco ADVOGADOS.


     02 – MILITARES – Cinco MILITARES.


     03 – ENGENHEIROS – Três ENGENHEIROS.


     04 – EMPRESÁRIO – Um EMPRESÁRIO.

    
     05 – TOTAL – Quatorze PERSONALIDADES.





     Distribuição por REGIÕES GEOGRÁFICAS.




     01 – NORTE – NENHUM.  


     02 – NORDESTE – TRÊS. – Rio Grande do Norte – UM + Pernambuco – UM + Bahia – UM = Três.


     03 – CENTRO-OESTE – UM – Goiás – Um.


     04 – SUDESTE – NOVE – São Paulo – TRÊS + Rio de Janeiro – QUATRO + Minas Gerais - DOIS = Nove.


     05 – SUL – UM – Rio Grande do Sul – Um.  


     TOTAL – Quatorze PERSONALIDADES.





     Vejamos as informações contidas no Almanaque Abril de 1977.





     01 – Ministro da Agricultura, Indústria e Comércio – GENERAL Paulista Antônio Cândido Rodrigues e EMPRESÁRIO Paulista Rodolfo Nogueira da Rocha Miranda.

    
     02 – Ministro da Fazenda – ADVOGADO Goiano José Leopoldo de Bulhões Jardim (também financista).

    
     03 – Ministro da Guerra – GENERAL Fluminense Carlos Eugênio de Andrade Guimarães e GENERAL Gaúcho José Bernardino Bormann.


     04 – Ministro da Justiça e Negócios Interiores ADVOGADO Pernambucano Esmeraldino Olímpio Torres Bandeira.


     05 – Ministro da Marinha – ALMIRANTE Fluminense Alexandrino Faria de Alencar.


     06 – Ministro das Relações Exteriores – ADVOGADO Fluminense José Maria da Silva Paranhos Júnior (o Barão de Rio Branco).


     07 – Ministro da Viação e Obras Públicas – ENGENHEIRO Baiano Miguel Calmon du Pin e Almeida e o ENGENHEIRO Mineiro Francisco Sá.  




     01 - ADVOGADOS – QUATRO.

          
     02 – MILITARES – QUATRO.

          
     03 – ENGENHEIROS – DOIS.

          
     04 – EMPRESÁRIO – UM.

          
     TOTAL – ONZE Personalidades.




Observações do escriba:



     1ª - O Almanaque Abril de 1977 “expulsou” Um ADVOGADO, Um MILITAR e Um ENGENHEIRO do Gabinete Ministerial do ADVOGADO Nilo Peçanha. E o que é pior, rebaixou dois MARECHAIS para a Patente de GENERAIS.


     2ª - O Almanaque Abril faz parte do “Grupo Abril”. Atualmente, muitos blogueiros de direita vêm alertando para o fato de que, durante o Regime Militar, a maioria da imprensa era controlada pelos esquerdistas.


     3ª – O “Grupo Globo” deu apoio ao Movimento CIVIL-Militar de 1964. Em 1965, em pleno Regime Militar, adquiriu a TV Globo que se transformou na “Vênus Platinada” e depois no “Império Global”. Em certa ocasião, diante do descontentamento e da pressão de certos militares durante a vigência do Ato Institucional nº 5 (AI – 5), o “Doutor” Roberto Marinho chegou a desafiar o Regime Militar dizendo: - De meus comunistas quem toma conta sou eu.


     4ª – Logo após a contra-revolução de 1964, aos poucos, alguns Progressistas Autênticos, anarquistas, comunistas, socialistas, um grupo de ex-terroristas, outros totalmente esquerdopatas, etc, foram se infiltrando em praticamente toda a imprensa nacional, e, conseguiram “minar” o Regime Militar, até conseguirem a eleição indireta do ADVOGADO Maranhense José Sarney, na verdade José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, em 1985.


     5ª – O ADVOGADO Maranhense José Ribamar Ferreira de Araújo Costa foi uma cópia quase fiel dos antigos BARÕES do BRASIL IMPERIAL, ou, mais precisamente, de um CORONEL Nordestino a soldo daqueles.          

    
     6ª – Um dos seus triunfos e truques. - Meios de comunicação como barganha política. – O ADVOGADO Maranhense José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, durante seu governo, no qual teve o MÉDICO Baiano Antonio Carlos Magalhães como Ministro das Comunicações, foram distribuídos mais de mil concessões públicas de Rádio e TV, basicamente comerciais e sem licitação.  
    

     7ª - No total, a administração do ADVOGADO José Ribamar distribuiu 1.028 concessões de emissoras de Rádio (AM e FM) e de Televisão (30,9% dos canais existentes na época) - sendo que em apenas um mandato, José Ribamar assinou um número de concessões superado apenas pela soma das permissões autorizadas por todos os presidentes brasileiros entre 1934 e 1979 (45 anos, ou seja, quase meio século).


     8ª - A grande distribuição de concessões de Radiodifusão foi uma política adotada em troca de apoio no Congresso, inclusive para o ADVOGADO Maranhense José Ribamar obter um ano a mais na presidência. A própria família Ribamar detém concessões do tipo por todo o Maranhão, (inclusive da GLOBOLIXO – “Grupo Mirante”) além de jornais impressos.


     9ª – Nos dias atuais, a programação da GLOBOLIXO está tão IMBECILIZANTE que cheira a ESGOTO (TV ESGOTO). Trata-se de um Trinômio: - ALIENAÇÃO, DESINFORMAÇÃO e VIOLÊNCIA. Não existe a necessidade de um novo AI-5. Basta cortar as vultosas verbas governamentais que ela cai de PODRE e de FEDOR.


     10ª - Na Wikipédia estão disponíveis 28 Referências e seis Bibliografias sobre Nilo Peçanha.


     11ª – O Presidente da REPÚBLICA e ADVOGADO Fluminense Nilo Peçanha, cursou a FACULDADE de DIREITO da Universidade de São Paulo, no Largo de São Francisco. Deve também ter participado da misteriosa BUCHA, que era ou ainda é ligada à misteriosa Maçonaria.  


     12ª – Como consta no texto da Wikipédia, ocupou um alto cargo na MAÇONARIA e curiosamente também era CATÓLICO. Participando de duas Instituições tão “distintas” – A Igreja Católica e a Maçonaria -, o que aconteceu na vida de vários Presidentes da REPÚBLICA, não custa repetir -, talvez, tal comportamento deva-se ao fato de que, enquanto suas esposas freqüentavam as Santas Igrejas, os homens freqüentavam as “Santas” e Misteriosas Maçonarias.


     13ª - Só que, na Maçonaria as mulheres não entravam. E, até onde eu sei, ainda nos dias atuais não entram. Excesso de religiosidade das mulheres ou excesso de mistério dos homens? Nas Igrejas entram homens e mulheres. Nas Maçonarias só entram homens. Por quê?    




Algumas Referências Curiosas.



     01 - «Nilo Procópio Peçanha». UOL - Educação (biografia). Folha da manhã. Centro de Informação de Acervos dos Presidentes da República e Almanaque Abril. Consultado em 27 de agosto de 2012.


     02 - Beattie, Peter M. (26 de setembro de 2001). The Tribute of Blood: Army, Honor, Race, and Nation in Brazil, 1864–1945 (O tributo de sangue: exército, raça e nação no Brasil, 1864–1945) - (em inglês). (S .l.): - Duke University Press. ISBN 0-82232743-0.


     03 - Correia, Manuel. «Civilização Açucareira» (PDF). SEBRAE.


     04 - «As Grandes Damas do Rio Negro na República Velha». IHP. Consultado em 10 de agosto de 2008. Arquivado do original em 22 de julho de 2009.  


     05 - Carneiro, Cleverson Ribas (2008). «Mendes Fradique e seu método confuso: sátira, boemia e reformismo conservador» (PDF) (tese de doutorado em Letras). Curitiba: Universidade Federal do Paraná. Página 148. Consultado em 03 de setembro de 2008.


     06 - «Ninguém quer ser negro». Guesa Errante. Consultado em 26 de outubro de 2015.  


      07 - «Fundação Astrojildo Pereira».


      08 - «Cartas falsas no jornal para influenciar as eleições», Portal Imprensa, 06 de outubro de 2008, consultado em 07 de julho de 2015.


     09 - FREYRE, Gilberto (17 de junho de 1938), «Foot-ball mulato», Diário de Pernambuco apud MARANHÃO, Tiago (2006), «Apolíneos e dionisíacos — o papel do futebol no pensamento de Gilberto Freyre a respeito do «povo brasileiro» (PDF), MCTES, Análise Social, XLI (179): 441, consultado em 03 de setembro de 2008.


     10 - da Costa e Silva, Alberto (14 de julho de 2007), «Caderno Cultura», Fundação Astrojildo Pereira, Zero Hora (entrevista), consultado em 03 de setembro de 2008.
  




CATEGORIAS:




Nascidos em 1867.

Mortos em 1924.

Candidatos à Presidência da REPÚBLICA do BRASIL.

Presidentes do BRASIL.

Vice-Presidentes do BRASIL.

Ministros do Governo Venceslau Brás.

Ministros das Relações Exteriores do BRASIL.

Presidentes do Senado Federal do BRASIL.

Senadores do BRASIL pelo Rio de Janeiro.

Governadores do Rio de Janeiro.

Deputados Federais do BRASIL pelo Rio de Janeiro.

Alunos da FACULDADE de DIREITO da Universidade de SÃO PAULO.

Naturais de Campos dos Goytacazes.

Nilismo.

MAÇONS do BRASIL.

Políticos Afro-Brasileiros.

CATÓLICOS do BRASIL.

Alunos da FACULDADE de DIREITO da Universidade Federal de Pernambuco.

Grã-Cruzes da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.

Alunos do Colégio Pedro II.

Política do Rio de Janeiro (1891–1960).

Deputados Federais da Assembleia Nacional Constituinte de 1891.



    
     Esta página foi editada pela última vez às 18h06min de 25 de novembro de 2019.


    

     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos supostos MACONHEIROS ESQUIZOFRÊNICOS”.

    



Aracaju, quinta-feira, 05 de dezembro de 2019.




       Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



          
    
     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – GOOGLE. (3) – Wikipédia. (4) – Livro – “Chatô” o Rei do Brasil – Autor: - Fernando Morais. (5) – Livro – Minha Razão de Viver – Autor: - Samuel Wainer. (6) – Livro – O que é isso, companheiro? – Autor: - Fernando Gabeira. (7) - Livro – O Cavaleiro da Esperança – Autor: - Jorge Amado. (8) – Almanaque Abril de 1977 – Editora Abril – Página 77. (9) – SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR (STM). (10) – SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF). (11) - Outras Fontes.


jorge martins
Enviado por jorge martins em 05/12/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras