Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VERDADE... A VIDA... "O ADVOGADO ZANONE Manuel de OLIVEIRA Júnior seria o 'ADVOGADO dos CINCO CRIMES'"? - (10ª parte).






A LIBERDADE... A VERDADE... A VIDA... “O ADVOGADO ZANONE Manuel de OLIVEIRA Júnior seria ‘O ADVOGADO dos CINCO CRIMES’”? - (10ª parte).






COMANDO VERMELHO (CV) – 1979.




     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.



INFORMAÇÕES GERAIS sobre o COMANDO VERMELHO (CV).





Fundação – 1979 (como FALANGE VERMELHA).
Local de Fundação – Prisão Cândido Mendes, ILHA GRANDE, Angra dos Reis, Rio de Janeiro.
Anos de atividade – 1979 – presente.
Território (s) – Brasil, majoritariamente no Rio de Janeiro e partes dos países como Bolívia, Peru Paraguai e Colômbia com que tem laços com a FARC.
Atividades – ASSASSINATOS, TRÁFICO de DROGAS, ASSALTOS, REBELIÕES e ATIVIDADES TERRORISTAS.
Aliados – PGC, OKD, CP, SDC-RN.
Rivais – PCC, ADA, TCP, GDE, FDN.
    




     COMANDO VERMELHO Rogério Lemgruber, mais conhecido como COMANDO VERMELHO e pelas siglas CV e CVRL, é uma das maiores organizações criminosas do Brasil.
     Foi criada em 1979 na PRISÃO CÂNDIDO MENDES, na ILHA GRANDE, ANGRA dos REIS, Rio de Janeiro.
     Entre os integrantes da facção, que se tornaram notórios depois de suas prisões, estão o líder Fernandinho Beira-Mar, Marcinho VP, Mineiro da Cidade Alta, Elias Maluco e Fabiano Atanazio (FB).
     O COMANDO VERMELHO (CV) já possui ramificações em outros estados brasileiros como Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso, Espírito Santo, Acre, Pará, Maranhão, Alagoas, Rio Grande do Norte, Ceará, Mato Grosso do Sul, Goiás,Distrito Federal, Amazonas e algumas partes de Minas Gerais, Piauí , Paraíba, Pernambuco e da Bahia.
     Nos estados do Rio de Janeiro, Rondônia, Mato Grosso, Acre, Ceará e Tocantins o COMANDO VERMELHO (CV) é maioria no sistema penitenciário.




HISTÓRIA.




     O COMANDO VERMELHO (CV) descende da FALANGE VERMELHA e foi criada por Rogério Lemgruber ainda na década de 1970.
     Uma das primeiras medidas do COMANDO VERMELHO foi a instituição do "caixa comum" da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, alimentado pelos proventos arrecadados pelas atividades criminosas isoladas, daqueles que estavam em liberdade, o DÍZIMO.
     O DINHEIRO assim arrecadado serviria não só para financiar novas tentativas de fuga, mas igualmente para amenizar as duras condições de vida dos presos, reforçando a autoridade e respeito do COMANDO VERMELHO no seio da massa carcerária.
     No início dos anos 1980, os Primeiros Presos Foragidos da ILHA GRANDE começaram a pôr em prática TODOS os ENSINAMENTOS que haviam adquirido ao longo dos anos de convivência com os PRESOS POLÍTICOS, organizando e praticando numerosos assaltos a instituições BANCÁRIAS, algumas EMPRESAS e JOALHERIAS.
    



Observações do escriba:




     1ª - Segundo consta na Wikipédia os presos comuns aprenderam a maioria “das coisas” com os PRESOS POLÍTICOS, principalmente na década de 70, em pleno Regime Militar.
     2ª – O NOME das primeiras facções chamam a atenção por suas cores: - Falange VERMELHA e Comando VERMELHO.

     3ª - Do mesmo modo, o Partido dos PETRALHAS (PT) chama a atenção pelas bandeiras, camisas e bonés de cor VERMELHA. Em dois “puxadinhos”, do PT, o MST e o MTST também há uma predominância da cor VERMELHA, com ou sem foice e martelo. A “única” estrela é um “detalhe”.      




     Ainda no início da década de 1990, o COMANDO VERMELHO (CV) influenciaria a criação do PRIMEIRO COMANDO da CAPITAL (PCC)  em São Paulo.
     Dela surge ainda uma espécie de dissidência, posteriormente reincorporada, o COMANDO VERMELHO JOVEM.  
    Na década de 2000 diversas FAVELAS controladas pela FACÇÃO passaram a ser ocupadas por MILÍCIAS e por UNIDADES de POLÍCIA PACIFICADORA (UPP).
     Em 2016 as Facções COMANDO VERMELHO (CV) e PRIMEIRO COMANDO da CAPITAL (PCC) se romperam por disputa de território nas fronteiras do Brasil com o Paraguai, Bolívia e Colômbia, que ocasionou numa Rebelião nos Presídios em Rondônia e Roraima.
     O COMANDO VERMELHO (CV) e o PRIMEIRO COMANDO da CAPITAL (PCC) eram aliadas há quase duas décadas.




NA CULTURA POPULAR.





     A organização foi retratada em 400 contra 1 - A História do Comando Vermelho, filme dirigido por Caco Souza e estrelado por Daniel de Oliveira, Daniela Escobar e participação especial de Negra Li. A organização também foi retratada no filme Quase Dois Irmãos, que conta a história da origem da facção.
     Em 2004, Caco Souza lançou Senhora Liberdade, um documentário de 18 minutos de duração que se baseia na história de William da Silva Lima, um dos fundadores do Comando Vermelho.



ABAIXO TODAS AS REFERÊNCIAS.




     01 - «Organização nasceu do convívio com Grupos de Combate ao REGIME MILITAR». Folha Online. Consultado em 1º de Setembro de 2016.

     02 - «Facções Criminosas do Rio tiveram origem nos PRESÍDIOS». Terra notícias. Consultado em 02 de Setembro de 2016.

     03 - «Polícia prende fundador da facção Comando Vermelho em imóvel na zona oeste do Rio». UOL Notícias. Consultado em 02 de Setembro de 2016.

     04 - Extra (10 de maio de 2009). «Rogério Lengruber e a Falange Vermelha». Extra.globo.com. Consultado em 14 de dezembro de 2011.
     05 - Amorin, Carlos (2012). Comando Vermelho: - A história do crime organizado. (S.l.): Editora Best Seller.

     06 - Amorim, Carlos, Comando Vermelho: - A história secreta do crime organizado. Editora Record, 1993. ISBN 9788501041159 Página visitada em 03 de junho de 2014.

     07 - Folha de S.Paulo (21 de fevereiro de 2001). «Comando Vermelho deu origem à Organização Paulista». Folha.com. Consultado em 14 de dezembro de 2011.

     08 - Pedro Dantas, Folha de S. Paulo (26 de janeiro de 2001). «Comando Vermelho Jovem pode ter financiado túnel em Bangu 3». Folha.com. Consultado em 14 de dezembro de 2011.

     09 - Senhora Liberdade, acesso em 26 de agosto de 2016.





VER TAMBÉM.



     01 - CRIMINALIDADE no Brasil.

     02 - Falcão - Meninos do Tráfico, documentário de MV Bill e Celso Athayde.

     03 - Movimento Viva Brasil.

     04 - NARCOTERRORISMO.

     05 - Notícias de uma guerra particular, filme de 1999 João Moreira Salles e Kátia Lund.

     06 - Quase Dois Irmãos, filme de 2005 de Lúcia Murat.





BIBLIOGRAFIA.



     01 - Abusado - O Dono do Morro Dona Marta, Caco Barcellos, Rio de Janeiro, Editora Record, 2003.

     02 - CV-PCC: - A irmandade do crime, Carlos Amorim. 4 ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

     03 - Direito informal e criminalidade: - Os códigos do cárcere e do tráfico, Roberto Barbato Jr, Campinas, Editora Millennium, 2006.




LIGAÇÕES EXTERNAS.


     01 - Comando Vermelho (em inglês) Brazil Now Glossary


     02 - Fundador do Comando Vermelho sepultado no RJ.



CATEGORIA:




ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS do BRASIL.


    
    
     Esta página foi editada pela última vez às 20h40min de 25 de setembro de 2018.






O FORO de SÃO PAULO – 1990.





Observações do escriba:





     1ª – Sobre o Foro de São Paulo já publicamos um artigo aqui no RECANTO das LETRAS, no dia 10 de fevereiro de 2018 com o título: - A LIBERDADE... A VONTADE... “O Molluscum contagiosum*, o FORO de SÃO PAULO, o “Hotel” PAPUDA, José Dirceu e a TORNOZELEIRA ESPORTIVA”.  

    
     2ª – Sobre o referido artigo houve apenas um comentário que reproduzimos logo abaixo:
    
     10/02/2018 19h40min - Argonio de Alexandria.

     Os membros do FORO de SÃO PAULO juraram apoio incondicional entre si e isso não há como negar porque os PARTIDOS de ESQUERDA e o MST se solidarizam abertamente com o PSICOPATA NICOLÁS MADURO em sua luta para destruir completamente a VENEZUELA.
     Outra evidência é a declaração feita por LULA ainda no seu PRIMEIRO MANDATO de que as FARC eram um MOVIMENTO POLÍTICO.
     Como um GRUPO TERRORISTA, que PRODUZIA e VENDIA DROGAS, SEQUESTRAVA e COMETIA ASSASSINATOS poderia ser considerado "POLÍTICO"?  
     Foi com esse mesmo espírito "REVOLUCIONÁRIO" que LULA disse certa vez que "O STÉDILE IRIA COLOCAR SEU EXÉRCITO NAS RUAS”.


     3ª - As palavras de Argonio de Alexandria ratifica o nosso texto.      


     4ª – Ou o Capitão JAIR MESSIAS BOLSONARO vence a ELEIÇÃO nas URNAS, portanto, com o VOTO POPULAR, ou o VERDADEIRO EXÉRCITO BRASILEIRO irá para as RUAS.


     5ª - A invés de PETRALHAS nas URNAS poderemos ter METRALHAS... OFICIAIS nas RUAS.  


     6ª – Segundo a MÍDIA, (esquerdopata ou não), atualmente são aproximadamente 60.000 mortes por ano no Brasil. A sangrenta GUERRA CIVIL já existe!


     7ª - Prefiro a primeira opção, ou seja, a ELEIÇÃO do CAPITÃO, do que uma sangrenta GUERRA MILITAR!


     8ª – Atenção leitoras, eleitoras, leitores e eleitores. O voto é secreto e é LIVRE. Só não quero ser roubado nas URNAS... Roubado por quem? É só assistir ao filme “O ADVOGADO dos CINCO CRIMES”...    








Massacre do Carandiru – 1992.





     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.


     O MASSACRE do CARANDIRU ocorreu no Brasil, em 02 de outubro de 1992, quando uma intervenção da Polícia Militar do Estado de São Paulo, para conter uma rebelião na Casa de Detenção de São Paulo, causou a morte de 111 detentos.




MOTIVOS da REBELIÃO e INTERVENÇÃO da PM.




     A rebelião teve início com uma briga de presos no Pavilhão 9 durante uma partida de futebol dos detentos da Casa de Detenção.
     A intervenção da Polícia Militar, liderada pelo Coronel Ubiratan Guimarães, tinha como justificativa acalmar a rebelião no local.
     A Promotoria do Julgamento do Coronel Ubiratan classificou a intervenção como sendo "desastrosa e mal-preparada".
     A intervenção da polícia foi autorizada pelo então Secretário de Segurança Pública de São Paulo, Pedro Franco de Campos, que deixaria o governo menos de um mês depois.
     No entanto, ele negou ter consultado o Governador Luiz Antônio Fleury Filho sobre a ação.  
     Luiz Antônio Fleury Filho, anos depois, afirmou que não deu a ordem, mas se estivesse em seu gabinete teria autorizado a invasão.
     Michel Temer assumiu a Secretaria de Segurança no lugar de Pedro Franco de Campos.
     Ao tomar posse, ele anunciou como reação ao massacre que recomendaria repouso e meditação para os policiais envolvidos.




JULGAMENTO.





     Um tribunal brasileiro condenou, em abril de 2013, 23 dos policiais militares a 156 anos de prisão cada um pelo seu envolvimento na morte de 12 presos durante o massacre.
     A sentença foi anunciada pelo Juiz José Augusto Nardy Marzagão e corresponde apenas à primeira parte do julgamento que está dividido em quatro etapas.
     Outros três policiais julgados nesta primeira fase foram absolvidos a pedido do próprio Ministério Público.
     Em 03 de agosto de 2013, por volta das 04 horas da manhã, o Juiz Rodrigo Tellini de Aguirre Camargo leu a sentença de 625 anos de prisão a 25 réus policiais militares que foram acusados de participação no massacre, especificamente na participação direta na morte de 52 detentos instalados no terceiro pavimento do pavilhão 9.
     Cinco júris condenaram 74 policiais militares envolvidos no massacre, porém, acabaram anulados por decisão da Quarta Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, em recurso relatado pelo Desembargador Ivan Ricardo Garisio Sartori, em 2016.
     Além do Processo Criminal, o Advogado Carlos Alexandre Klomfahs, em nome de familiares de vítima do Massacre, ingressou com uma ação pedindo que o Governo do Estado de São Paulo, reconheça a culpa pelas mortes e peça desculpas aos familiares em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV.




ABSOLVIÇÃO e MORTE do CORONEL UBIRATAN.




     Em junho de 2001, o Coronel Ubiratan Guimarães foi inicialmente condenado a 632 anos de prisão por 102 das 111 mortes do massacre (seis anos por cada homicídio e vinte anos por cinco tentativas de homicídio).
     No ano seguinte, ele foi Eleito Deputado Estadual por São Paulo após a sentença condenatória, durante o trâmite do recurso da sentença de 2001.
    Por este motivo, o Julgamento do Recurso foi realizado pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça, ou seja, pelos 25 Desembargadores mais antigos do estado de São Paulo, em 15 de fevereiro de 2006.
     O Órgão reconheceu, por vinte votos a dois, que a sentença condenatória, proferida em julgamento pelo Tribunal do Júri, continha um equívoco. Essa revisão acabou absolvendo o réu.
     A absolvição do réu causou indignação em vários Grupos de Direitos Humanos, que acusaram o fato de ser um "passo para trás" da Justiça Brasileira.
     No dia 10 de setembro de 2006, o Coronel Ubiratan foi ASSASSINADO com um tiro na região do abdômen.
     No muro do prédio onde morava foi pichada a frase "aqui se faz, aqui se paga", em referência ao Massacre do Carandiru.




FUNDAÇÃO do PCC.





     O Massacre causou indignação em Detentos de outras Penitenciárias, os quais supostamente decidiram formar o Primeiro Comando da Capital (PCC) no ano seguinte ao do evento.
     Uma das afirmações iniciais do grupo era a de que pretendiam "combater a opressão dentro do sistema prisional paulista" e "vingar a morte dos cento e onze presos".
     Entretanto, esta suposta origem do PCC, um dos principais grupos do crime organizado no Brasil, é muito questionada, não havendo provas claras de que haja qualquer ligação entre a facção criminosa e o massacre dos detentos.




NA CULTURA POPULAR.



CANÇÕES.



     01 - "Diário de um Detento" (Mano Brown, Jocenir) – Racionais MC's em Sobrevivendo No Inferno (1997).
    
     02 - "Haiti" (Caetano Veloso, Gilberto Gil) – Caetano Veloso e Gilberto Gil em Tropicália 2 (1993).
    
     03 - "Manifest" (Max Cavalera, Sepultura) – Sepultura em Chaos A.D. (1993).
    
     04 - A Promessa (Humberto Gessinger e Paulo Cesarin - Engenheiros do Havaí) em Simples de Coração (1995)*"19 Rebellions" (Andrade, Aniruddha Das, Pandit G, Steve Chandra Savale, Delbert Tailor) – Asian Dub Foundation em Enemy of the Enemy (2003).
    
     05 - "Roleta Macabra" (Eduardo) - Facção Central em O Espetáculo do Circo dos Horrores (2006).
    
     06 - "Aonde o Filho Chora e a Mãe Não Vê" (Eduardo) - Facção Central em O Espetáculo do Circo dos Horrores (2006).
    
     07 - "O Retorno ACDC A Prisão" (Sabotage) - Sabotage em "Uma Luz que Nunca Irá se Apagar" (2001).
    
     08 - "111 Escombros - Invasores de Cérebros".
    
     09 - "Homenagem Póstuma" (Eduardo) - Facção Central em O Espetáculo do Circo dos Horrores (2006).




FILMES.


     01 - Carandiru (2003) de Hector Babenco.

     02 - Prisioneiro da Grade de Ferro - autorretratos (2003) de Paulo Sacramento.





LIVROS.



     01 - Uma Porta para a Vida, de Celso Bueno de Godoy Junior.

     02 - Carandiru: - O Caldeirão do diabo de Celso Bueno de Godoy Junior.

     03 - Diário de um Detento do ex-detento Jocenir.

     04 - Estação Carandiru (1999) de Dr. Dráuzio Varella.

     05 - O outro lado do muro - Ladrões, humildes, vacilões e bandidões nas prisões paulistas, 1997, de Silvio Cavalcante e Osvaldo Valente.

     06 - Pavilhão 9 - O Massacre do Carandiru, de Elói Pietá e Justino Pereira.

     07 - "Vidas do Carandiru - Histórias Reais", 2003, de Humberto Rodrigues.




TELEVISÃO.



     01 - Carandiru, Outras Histórias (2006, Rede Globo).





VER TAMBÉM.



VIOLÊNCIA POLICIAL.

PRIMEIRO COMANDO da CAPITAL.



     Observação do escriba: - Na Wikipédia estão disponíveis 12 referências e cinco ligações externas.




CATEGORIAS:



Massacres em São Paulo.
Rebeliões Prisionais no Brasil.
1992 - Brasil.
Violência Policial no Brasil.




     Esta página foi editada pela última vez às 18h19min de 11 de outubro de 2018.






PRIMEIRO COMANDO da CAPITAL – 1993.




     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.





INFORMAÇÕES GERAIS sobre o PRIMEIRO COMANDO da CAPITAL (PCC).

    


Fundação – 1993.
Local de Fundação – Casa de Custódia de TAUBATÉ – São Paulo.
Anos de Atividade – 1993 – presente.
Território (s) – Brasil, partes do Paraguai, Bolívia e Colômbia.
Atividades – ASSASSINATOS, ASSALTOS, TRÁFICO de DROGAS, EXTORSÃO, REBELIÕES e ATIVIDADES TERRORISTAS.
Aliados – ADA, TCP.
Rivais - CVRL, FDN, SDC, OKD, CRBC, TCC, SS, CDL, PGC.





     O PRIMEIRO COMANDO da CAPITAL (PCC) é uma Organização Criminosa do Brasil.
     O grupo comanda rebeliões, assaltos, sequestros, assassinatos e narcotráfico.
     A facção atua principalmente em São Paulo, mas também está presente em 22 dos 27 estados brasileiros, além de países próximos, como Bolívia, Paraguai e Colômbia.
     Possui cerca de 30 mil membros, sendo que só no Estado de São Paulo são mais de 8 mil membros.
     É considerada uma das maiores organizações criminosas do país.
     A organização é financiada principalmente pela venda de MACONHA e COCAÍNA, mas ROUBOS de CARGAS e ASSALTOS a BANCOS também são fontes de faturamento.
     O grupo está presente em 90% dos Presídios Paulistas e fatura cerca de 120 milhões de reais por ano.
     O grupo surgiu em 1993 no Centro de Reabilitação Penitenciária de TAUBATÉ, no VALE do PARAÍBA, local que acolhia prisioneiros transferidos por serem considerados de Alta Periculosidade pelas Autoridades, e calcula-se que hoje tenha cerca de seis mil integrantes dentro do sistema penitenciário e outros 1,6 mil em liberdade, apenas no estado de São Paulo.
     O PCC também é identificado pelos números 15.3.3, pelo fato de a letra "p" ser a 15ª letra do alfabeto português na época e a letra "c" ser a terceira.
     Vários dos ex-líderes da organização estão presos, como o criminoso Marcos Willians Herbas Camacho (vulgo Marcola), que atualmente cumpre sentença de 44 anos, principalmente por ASSALTO a BANCOS, no Centro de Readaptação Penitenciária de Presidente Venceslau, onde está presa toda a cúpula da facção.




HISTÓRIA.




O PCC foi fundado em 31 de agosto de 1993 por oito presidiários, no Anexo da Casa de Custódia de Taubaté (a 130 quilômetros da cidade de São Paulo), chamada de "Piranhão", até então a prisão mais segura do Estado de São Paulo.
     O PCC, que foi também chamado no início como PARTIDO do CRIME, afirmava que pretendia "combater a opressão dentro do sistema prisional paulista" e "vingar a morte dos cento e onze presos", em 02 de outubro de 1992, no "Massacre do Carandiru", quando a Polícia Militar matou presidiários no pavilhão 9 da extinta Casa de Detenção de São Paulo.
     O grupo usava o símbolo chinês do equilíbrio yin-yang em preto e branco, considerando que era "uma maneira de equilibrar o bem e o mal com sabedoria".
     Em fevereiro de 2001, Sombra tornou-se o líder mais expressivo da organização ao coordenar, por TELEFONE CELULAR, rebeliões simultâneas em 29 presídios paulistas, que se saldaram em dezesseis presos mortos.
     Idemir Carlos Ambrósio, o "Sombra", também chamado de "pai", foi espancado até a morte no Piranhão cinco meses depois por cinco membros da facção numa luta interna pelo comando geral do PCC.
     O PCC começou então a ser liderado por "Geleião" e "Cesinha", responsáveis pela aliança do grupo com a facção criminosa Comando Vermelho (CV), do Rio de Janeiro.
     "Geleião" e "Cesinha" passaram a coordenar atentados violentos contra prédios públicos, a partir do Complexo Penitenciário de Bangu, onde se encontravam detidos.
     Considerados "radicais" por uma outra corrente do PCC, mais "moderada", Geleião e Cesinha usavam atentados para intimidar as autoridades do sistema prisional e foram depostos da liderança em Novembro de 2002, quando o grupo foi assumido por Marcos Willians Herbas Camacho, o "Marcola".  
     Além de depostos, foram jurados de morte sob a alegação de terem feito denúncias à polícia e criaram o Terceiro Comando da Capital (TCC).    
     Cesinha foi assassinado no Presídio de Avaré, São Paulo.
     Sob a liderança de Marcola, também conhecido como "Playboy", atualmente detido por ASSALTO a BANCOS, o PCC teria participado no ASSASSINATO, em março de 2003, do Juiz-Corregedor António José Machado Dias, Juiz da Vara de Execuções de Presidente Prudente.
     A facção tinha recentemente apresentado como uma das suas principais metas promover uma rebelião de forma a "desmoralizar" o governo e destruir o RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), onde os detidos passam vinte e três horas confinados às celas, sem acesso a jornais, revistas, rádios ou televisão por apresentarem alto risco a sociedade.




ATAQUES de 2006.



     “Foto: - Os Policiais Militares são os principais alvos dos ataques do grupo”.


     Ver artigo principal: - Atos de violência organizada no Brasil em 2006.



     Iniciada na noite de 12 de maio de 2006, uma onda de atentados contra forças de segurança e alguns alvos civis teve origem no Estado de São Paulo.
     No dia 14, o ataque já havia se espalhado por outros estados do Brasil, como Espírito Santo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Bahia (este último sem ligação direta com o PCC).
     Os ataques tomaram uma repercussão gigantesca na mídia brasileira, que somados à falta de informações por parte do governo de São Paulo e ao enorme sensacionalismo da imprensa, além de vários boatos infundados, acabaram por causar pânico geral e clima de terrorismo na população, principalmente na segunda-feira.
     Os atentados foram destaque na mídia internacional durante os dias do ocorrido.




ATAQUES de 2012.




     No final de 2012, outra onda de ataques contra a polícia começou.
     A causa era aparentemente um anúncio feito por líderes do PCC e espalhado aos membros da gangue fora da cadeia.
     Durante cerca de trinta dias, todos os dias um ou dois policiais foram mortos, na maior parte em circunstâncias indefesas, como em folgas, em férias, ou até mesmo oficiais aposentados.
     Muitos policiais foram assassinados na frente de familiares ou amigos, geralmente quando chegavam ou saiam de suas casas.
     Em dezembro, as mortes começaram a diminuir e cessaram sem motivo conhecido.




DISPUTA com o COMANDO VERMELHO.


     Ver artigo principal: - Conflito entre PCC e CV.




     Diante do enfraquecimento do Comando Vermelho do Rio de Janeiro, que tem perdido vários pontos de VENDA de DROGA no Rio, o PCC aproveitou para ganhar campo comercialmente e chegar à atual posição de maior facção criminosa do país, com ramificações em presídios de vários estados do Brasil como Mato Grosso do Sul, Paraná, Bahia, Minas Gerais e outros mais.
     Em 16 de outubro de 2016, na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, Roraima, ao menos 10 presos do CV foram mortos quando detentos ligados ao PCC arrebentaram os cadeados que separam as alas e invadiram o setor da facção fluminense.
     Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Roraima, pelo menos SEIS PRESOS foram DECAPITADOS e QUEIMADOS, o que dificultou a identificação dos corpos.
     Horas depois, numa prisão de Porto Velho, um motim semelhante deixou 8 presos mortos, parte deles membros do PCC.
    No início de janeiro de 2017, em uma rebelião em um Presídio do Amazonas, a organização FDN, aliada do CV, matou 60 integrantes do PCC, no segundo maior massacre em um presídio do Brasil, após o Massacre do Carandiru.
     Em São Paulo, houve uma rebelião no presídio de Franco da Rocha, com a fuga de entre 200 e 300 detentos, sem informações sobre mortos, feridos ou indicações suficientes até agora, em relação com os episódios no Norte do país.
     Uziel de Castro, Secretário de Justiça e Cidadania de Roraima, afirmou nesta segunda-feira que as rebeliões foram uma "determinação nacional" do PCC para que seus integrantes atacassem integrantes do CV.
     "Eles declararam guerra entre as facções (...) estamos percebendo nacionalmente o rompimento desse acordo entre eles." Castro citou também rebeliões no Pará, mas a informação não foi confirmada pelas autoridades locais.
     Os atos simbolizaram o fim do acordo de paz entre as duas facções.




TERCEIRO COMANDO da CAPITAL.





     O Terceiro Comando da Capital, ou TCC, é um grupo rival do PCC.
     Foi articulado por César Augusto Roris da Silva (mais conhecido por Cesinha), ex-líder do PCC.
     A facção atua em Presídios Paulistas e, mesmo tendo sido fundada por ex-membros do PCC, a facção vem perdendo forças desde do ASSASSINATO de seu principal líder, morto a facadas no presídio da cidade de Avaré, comandado pela facção rival do PCC.
     O Terceirão, como é conhecido, domina poucos Presídios do Estado de São Paulo e acaba sendo até mesmo desconhecida por muitos.




CONJURAÇÃO de 2017.




     No início do ano de 2017, com a pacificação das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), o PCC e o Comando Vermelho iniciaram uma disputa por aquilo que tem sido chamado de espólio das FARC.
     Com isso uma onda de fugas em presídios localizados no Norte do Brasil foi iniciada, havendo mortes de encarcerados em decorrência delas.



FUNCIONAMENTO.




     Com o objetivo de conseguir DINHEIRO para financiar o grupo, os membros do PCC exigem que os "irmãos" (os sócios) paguem uma taxa mensal de cinquenta reais, se estiverem detidos, e de mil reais, se estiverem em liberdade.
     O DINHEIRO é usado para comprar ARMAS e DROGAS, além de financiar AÇÕES de RESGATE de presos ligados ao grupo.
     Para se tornar membro do PCC, o criminoso precisa ser apresentado por um outro que já faça parte da organização e ser "batizado" tendo como padrinho 3 "irmãos".
     Um "irmão" só pode batizar outro membro 120 dias após ele próprio ter sido batizado, e o novo "irmão" tem de cumprir um ESTATUTO de DEZESSEIS ITENS, redigido pelos fundadores e atualizado por Marcos Camacho.




ESTATUTO.




     O ESTATUTO do Primeiro Comando da Capital foi divulgado em jornais brasileiros no ano de 2001.
     É uma lista de Princípios da Organização. O item 7 do documento prevê que os membros "estruturados" e livres devem contribuir com os demais membros presos sob a pena de "serem condenados à morte, sem perdão".





VER TAMBÉM.



CRIMINALIDADE no Brasil.
Escândalo Gugu-PCC.
Movimento Viva Brasil.
NARCOTERRORISMO.



     Observação do escriba: - Na Wikipédia estão disponíveis 17 referências, uma bibliografia e oito ligações externas sobre o PCC.

    
     Entre as ligações externas uma chama bastante a atenção: - PCC planeja Eleger Dois Deputados em outubro (16 de maio de 2006). (O Estado de S. Paulo).




Observações do escriba:



     1ª - E elegeram? Se foram eleitos quem foram eles?


     2ª - Se foram eleitos está comprovado a ligação entre POLÍTICOS, o CRIME ORGANIZADO, NARCOTRAFICANTES e NARCOTERRORISTAS.


     3ª – Por trás de certos “POLÍTICOS” sempre existem “bons” ADVOGADOS...


     4ª – Da mesma forma, por trás de certos “POLÍTICOS” sempre existem “bons” ADVOGADOS e “generosas” fortunas do SISTEMA ÚNICO de SAÚDE (SUS). Não é verdade senador PETRALHA médico CAVALLO SANTOS?


     5ª – Se existem tantos presídios e tantos presidiários, também existem muitos advogados para defendê-los. Segundo a Constituição “Cidadã” de 1988, todo cidadão e toda cidadã acusado de um ou mais crimes, têm direito a ampla defesa. É o que estabelece o chamado ESTADO DEMOCRÁTICO de DIREITO. Ou seria ESTADO DEMOCRÁTICO de DINHEIRO?  






CATEGORIA:



ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS do BRASIL.


     Esta página foi editada pela última vez às 23h01min de 23 de setembro de 2018.




    A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos supostos MACONHEIROS ESQUIZOFRÊNICOS”.

    
Aracaju, quarta-feira, 24 de outubro de 2018.




       Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.




     Fontes: - (1) – INTERNET. (2) – Google. (3) – Wikipédia. (4) – Outras Fontes.

jorge martins
Enviado por jorge martins em 24/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras