Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VERDADE... A VIDA... "O ADVOGADO ZANONE Manuel de OLIVEIRA Júnior seria 'O ADVOGADO dos CINCO CRIMES?'" - (4ª parte).





A LIBERDADE... A VERDADE... A VIDA... “O ADVOGADO ZANONE Manuel de OLIVEIRA Júnior seria ‘O ADVOGADO dos CINCO CRIMES’”? - (4ª parte).




ELIZA SAMÚDIO.



A VÍTIMA do MONSTRUOSO ASSASSINATO.




1ª versão.




ELIZA SAMÚDIO: - INFÂNCIA marcada por ASSÉDIOS e o SONHO de ser MODELO.



     Por Amanda Paixão - Do Portal HD - 01/03/2013 - 10h08min - Atualizado 03h08min.  




     “Foto: - Eliza Samúdio está desaparecida desde 2010, quando fez um último contato telefônico”.



     Ela sonhava em ser modelo, mas ganhou a fama ao ser estampada nas páginas policiais de todo o país nos últimos três anos.
     No entanto, o que muitos não sabem é que a polêmica história protagonizada por Eliza Silva Samúdio começou muito antes de ela ficar conhecida como a ex-amante do goleiro Bruno Fernandes de Souza.
     Nascida em 1985, na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, Eliza cresceu longe da mãe, Sônia Fátima Silva Moura.
     Em um documentário feito pelo canal A&E, emissora fechada de TV a cabo, a agricultora, que hoje vive em uma pequena propriedade agrícola de produção de pimenta, em Campo Grande, relata o fim do casamento com o pai de Eliza, Luiz Carlos Samúdio, hoje condenado por ESTUPRO e foragido da Justiça.
     Ele teria cometido o crime, em 06 de dezembro de 2003, contra uma menina de apenas 10 anos.
     Sônia Fátima conta que, aos QUATRO MESES de GESTAÇÃO, foi pressionada pelo marido a ABORTAR.
     “Ele não queria a FILHA, então nos separamos. Fiquei um tempo longe dele e voltamos quando estava praticamente no fim da GRAVIDEZ”, disse.
     O DIVÓRCIO do casal ocorreu um ano depois do NASCIMENTO de Eliza, que passou a ser criada pelo pai até os 18 anos.
     Na INFÂNCIA, ela era fã de futebol. Por dez anos, jogou como goleira em um time de Futebol de Salão na cidade natal.
     “Parei porque não dava dinheiro e também sou muito preguiçosa, não gosto de me exercitar”, contou a ex-modelo a um jornal carioca, em 2009.




ASSÉDIO SEXUAL na INFÂNCIA.



    
     A mãe de Eliza lembra que a juventude da filha não foi nada fácil. Sônia revelou que Eliza era assediada e oferecida para Favores Sexuais Pelo Próprio Pai a Amigos Dele.
     Questionada o motivo de ter criado a filha, a agricultora alegou que, além de ter sido bastante agredida por Luiz Carlos, sofria constantes ameaças.


Eliza era assediada e oferecida para favores sexuais pelo próprio pai a amigos dele (Reprodução).



     “Ele falou que eu poderia ir buscar minha filha, mas ia levá-la em pedaços, porque não iria entregá-la inteira. As pessoas me perguntam por que abri mão dela. Eu preferia ter ela viva”, contou em meio a lágrimas.
     Para o Advogado que fará a defesa da família Samúdio, no julgamento no próximo dia 19, José Arteiro Cavalcante, Eliza era uma sonhadora.
     “Ela era ligada a mãe, mas não gostava de ficar agarrada a ela, pois a genitora sempre morou no mato. Uma moça que pretende ser modelo, ser artista, não quer ficar no meio do mato”, afirmou.
     Ao completar a maioridade, a jovem de corpo esguio, pele clara e cabelos negros, deixou o lar e foi para São Paulo atrás do sonho que tinha desde os 13 anos: - Ser modelo.
     “Dentro de casa, ela já não vivia bem, o pai dela a assediava. Ela fugiu do pai”, disse Arteiro Cavalcante.
     Na cidade grande, Eliza viveu em função de uma ideia fixa: - Encontrar um príncipe encantado no mundo do futebol. "O negócio dela era ir a festas para tentar se aproximar de jogadores", contou Rita Oliveira, que abrigou Eliza em sua casa no Jaguaré, zona oeste de São Paulo, durante três anos.
     A declaração foi feita ao jornal Folha de São Paulo, em agosto de 2010.
     Ela freqüentava concentrações, campos de treinamento e festas, porque queria se aproximar e gostava de jogadores de futebol.
     O contato com atletas, entre eles jogadores de seleção, era mantido através de telefonemas, internet, e até teria rendido passeios internacionais para países como Portugal e Alemanha.
     "Ela queria uma relação estável e fantasiava que ia casar com cada jogador com quem se relacionava, mesmo que por uma noite", declarou Rita na publicação paulista.
    





2ª versão.



HISTÓRIAS de VERDADE.






Eliza Samúdio.


Publicado: - 26 de janeiro de 2012 em Realidade.

     “Foto: - Em outubro de 2009, grávida de 05 meses, Eliza Samúdio registra ocorrência contra Bruno, alegando que o goleiro a havia obrigado a tomar Remédio Abortivo – Foto: Marcelo”.


“Foto: - Oito meses depois, Eliza desaparece. Só em 24 de junho, a polícia recebe denúncia de que ela havia sido espancada e morta no sítio de Bruno. Bebê também estaria no local”.



“Foto: - Em 08 de junho, antes da denúncia e após o sumiço, o Range Rover do goleiro é apreendida em blitz. Vestígios de sangue encontrados são de Eliza, aponta perícia”. AE.


“Foto: - Fachada do Condomínio Turmalina, em Esmeralda, região metropolitana de BH, onde fica o sítio do goleiro. No dia 28 de junho, polícia vasculha o local. Na ação na casa do sítio, são encontradas fraldas, roupas femininas e uma passagem aérea com nome ilegível. Polícia coloca Bruno como maior suspeito do desaparecimento.


“Foto: - Em 26 de junho, o bebê é localizado na periferia de Contagem e entregue a Luiz Carlos Samúdio, pai de Eliza, e sua mulher, que levam a criança para Foz do Iguaçu no dia 27”.


Em 1º de julho, o goleiro Bruno quebra silêncio e fala com jornalistas no Rio sobre o caso. Ele afirma que não via Eliza havia 03 meses.



“Foto: - No dia 04 de julho, a polícia recebe denúncia de que o corpo de Eliza teria sido abandonado na Lagoa Suja, em Ribeirão das Neves. Nenhum vestígio é encontrado.


Em 06 de junho, um tio de um primo de Bruno revela à polícia que o menor J., participou do desaparecimento de Eliza. Polícia o encontra na casa de Bruno, no Rio.


“Foto: - Adolescente J. é levado para a delegacia. Em seu depoimento, diz que Eliza foi morta em uma casa em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte”.


“Foto: - VERSÃO DO MENOR: - J. conta à polícia que Eliza leva três coronhadas dentro da Range Rover no caminho do Rio a Belo Horizonte.


VERSÃO DO MENOR: - Bruno chega ao sítio e pede a Macarrão (braço direito de Bruno) e Sérgio (primo de Bruno) para resolverem o ‘ problema’.


“Foto: - VERSÃO DO MENOR: - Eliza é obrigada por Sérgio a ligar para uma amiga e dizer que ela e o bebê estão bem.



VERSÃO DO MENOR: - Macarrão, o menor J., Sérgio, Eliza e o bebê vão para Vespasiano no dia 09. VERSÃO DA POLÍCIA: - Eliza é levada para o local no dia 10.



“Foto: - VERSÃO DO MENOR: - Bola, ex-policial e ex-segurança de Bruno, amarra os braços e dá uma gravata em Eliza, matando a jovem.


Foto: - VERSÃO DO MENOR: - Bola carrega um saco e vai em direção ao canil. O ex-policial atira a mão de Eliza para quatro cachorros da raça rotweillers, comerem.



Foto: - VERSÃO DO MENOR: - Bruno diz a Macarrão, J. e Sérgio: ‘ Acabou o tormento’.


Em 07 de julho, após depoimento de J., polícia decreta prisão de Dayanne Souza, mulher de Bruno, e outras seis pessoas incluindo o goleiro.


Policiais cumprem mandado de busca e apreensão em casa de Dayanne Souza após sua prisão.

Polícia faz buscas na casa de Bola, em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte.

Menor participa de reconhecimento do local onde teria acontecido o crime.

Após matar a jovem, Bola, segundo o adolescente, teria jogado partes de seu corpo a cães da raça Rottweiller, apreendidos no local pela polícia.

Bruno, que ficou um tempo foragido após ter prisão temporária decretada, apresenta-se no final da tarde do dia 07 de julho na Polinter.


Foto: - Luiz Henrique Ferreira Romão, Macarrão, amigo do goleiro, se entrega à polícia. Segundo J., ele é responsável pelo desaparecimento de Eliza.


Foto: - No dia 07 de julho, o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos (de touca ninja), o Bola, é preso pela polícia civil de Belo Horizonte. Ele é acusado de ter matado Eliza.


Bruno e Macarrão são levados a Bangu 2, no Rio, onde ficam presos antes da transferência para BH.

Bruno chega ao Departamento de Investigações de Belo Horizonte, que investiga o caso.

Foto: - No dia 09 de julho, o goleiro Bruno é fichado na polícia e fica preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem.

Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, na Penitenciária Nelson Hungria em Contagem, Minas Gerais.

Bruno é escoltado por policiais ao chegar à Divisão de Investigações para prestar depoimento. Ele, no entanto, se recusa a falar.


Foto: - Entrada do sítio onde a polícia procurou o corpo de Eliza Samúdio. O local é alugado por Bola.


Sítio alugado pelo ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, em Esmeraldas. A polícia ainda não encontrou o corpo de Eliza.

Foto: - Mãe de Eliza, Sônia Fátima Moura consegue a guarda provisória do neto. O pai de Eliza, que estava com o bebê, responde a um processo por estupro.


No dia 14, perícia volta à casa de Bola com técnicos da UFMG. Eles usam um equipamento chamado GPR, que faz varreduras no solo e paredes da residência.


Polícia e peritos vão ao sítio do goleiro Bruno, no dia 14, para buscas de pistas do paradeiro de Eliza. Sangue é encontrado em colchão.

O programa Fantástico (Globo) exibe imagens de vídeo gravado por investigador no avião que levou Bruno para BH. Ele atribui a Macarrão o desaparecimento de Eliza.


Delegados tentam, no dia 19 de julho, ouvir Bruno. Mais uma vez, orientado por seu Advogado, goleiro mantém silêncio. Delegadas são afastadas após vazamento de vídeo.

Foto: - Ex-amante de Bruno, Fernanda Gomes Castro vai ao Departamento de Investigações, em BH, para prestar depoimento no dia 20 de julho. Ela nega contato com Eliza.

Bruno sorri ao sair de Juizado, em Contagem, onde participou de Audiência de Instrução e Julgamento do Adolescente J. no dia 22 (Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press).

No dia 22, o Programa do Ratinho (SBT) mostra conversa de Bruno com um agente penitenciário dentro da prisão. Ele diz que conhece Bola (informação negada por Advogados).


No dia 29, polícia diz que Bruno será indiciado por homicídio, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver, formação de quadrilha e corrupção de menores.

Promotor Gustavo Fantini denuncia Bruno por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado na forma qualificada, ocultação de cadáver e corrupção de menor.

O goleiro e mais oito acusados do crime têm prisão preventiva decretada no dia 05 de agosto.

Em setembro, Bruno foi conduzido ao IML de Minas Gerais antes de seguir para o presídio.

No dia 17 de setembro, Bruno foi ao Rio participar de audiência do processo de lesão corporal e sequestro de Eliza. Lá, ele desmaiou pela 1ª vez em uma audiência.

De volta a Minas Gerais, Bruno voltou a desmaiar durante audiência do processo sobre o desaparecimento e morte – presumida – de Eliza Samúdio.

Os nove envolvidos no desaparecimento de Eliza Samúdio no Fórum de Contagem, para audiência sobre o sumiço da modelo.


Bruno é levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência após ter um novo mal-estar durante audiência em Contagem.

Flávio Caetano de Araujo, motorista do goleiro Bruno, em depoimento no Fórum de Contagem. Ele mudou sua versão afirmou que conhecia Eliza Samúdio.


Sérgio Rosa Sales é interrogado no Fórum de Contagem. Ele pede para trocar de Advogado e diz que foi torturado por policiais para incriminar envolvidos no caso.


Após discussão de Juíza com Advogado, Macarrão opta por não depor.

Bola é interrogado pela Juíza no Fórum de Contagem. Ele negou ter cometido o crime e afirmou que nunca viu nenhum dos acusados de matar Eliza Samúdio.

Ex-namorada do goleiro Bruno, Fernanda Castro presta depoimento. Ela também muda sua versão e afirma ter conhecido Eliza.

Penitenciária Nelson Hungria, onde Bruno está preso. Ele e Macarrão foram condenados pelo sequestro de Eliza. Os réus vão a Júri Popular pela morte, presumida, da modelo.

Fernanda, ex-namorada; Dayanne, ex-mulher; Elenilson, caseiro; e Coxinha, amigo, são soltos em 18 de dezembro e aguardarão pelo julgamento em liberdade.

Advogado Cláudio Dalledone Júnior (d) e Patrick Berriel, que defendem Bruno, tentaram vários pedidos de liberdade na Justiça. No dia 17 de maio, STJ negou o último pedido.

Em junho de 2011, Bruno participou de uma audiência em Belo Horizonte e acusou um Delegado e uma Juíza de extorsão.
Anúncios






3ª versão.






‘Não matei, levei para matar’, diz Macarrão, sobre Eliza Samúdio.



A modelo desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi encontrado.


     24/04/2018 - 21h03min. Atualizado: 25/04/2018 - 14h03min. Por: Redação.



Macarrão nega ter matado Eliza Samúdio.



     Condenado pela Justiça como um dos responsáveis pelo DESAPARECIMENTO e ASSASSINATO de Eliza Samúdio, ex do goleiro Bruno do Flamengo, Luiz Henrique Ferreira Romão, de 32 anos, conhecido pelo apelido de Macarrão, afirmou, em entrevista à revista Época, que não matou a modelo.
     Tentando refazer a vida, depois de conseguir o benefício de cumprir a pena em liberdade por bom comportamento, Macarrão declarou: - “Eu não matei (Eliza Samúdio). Eu levei para matar”.
     Romão é o ex-braço direito do goleiro Bruno. Os dois se conheceram quando ele tinha 09 anos e desde então eram parceiros inseparáveis.
     Em 2012, entretanto, Macarrão declarou que o ex-atleta “acabou” com sua vida.
     Fora da cadeia, ele encontrou trabalho na Igreja do Evangelho Quadrangular, como zelador. Nas horas vagas, faz bico em um serviço informal de lavagem de carro e vende tênis e chinelos falsificados.
     Atualmente, ele mora com a mulher e os três filhos em uma casa com os sogros, mas sonha em conseguir se reerguer e poder sustentar a família sozinho.
     “Não sou aquele monstro. Meu nome não é Macarrão. Eu sou Luiz Henrique. Sempre fui moleque bom, trabalhador”, disse ele à revista. Macarrão tenta se reerguer após condenação por participação na morte de Eliza Samúdio



RELEMBRE o CASO.



     A modelo Eliza Samúdio desapareceu no dia 04 de junho de 2010, quando deixou um HOTEL no Rio de Janeiro e foi ao sítio do goleiro Bruno, que na época atuava pelo Flamengo, em Esmeraldas, Minas Gerais. Desde então, nunca mais foi vista.
     De acordo com a polícia, Bruno matou a modelo porque não queria reconhecer a Paternidade do Filho, Bruno Samúdio (Bruninho), fruto do relacionamento extraconjugal com Eliza Samúdio.
     Além do JOGADOR, outros QUATRO ACUSADOS, incluindo Macarrão, foram condenados por envolvimento no ASSASSINATO e DESAPARECIMENTO de Eliza Samúdio.






4ª versão.



     FALA o ESCRIBA (eu tenho direito a uma colherzinha de chá. Ou não?): - Desde muito jovem (a partir dos 10 anos de idade aproximadamente – mais ou menos no ano de 1960) eu já jogava futebol, ou seja, “pelada”.
     Até hoje não sei a origem da expressão “pelada” do ponto de vista futebolístico. Eu e poucos irmãos jogávamos na Rua de Lagarto defronte à Primeira Igreja Baptista de Aracaju (chamada de PIBA), juntamente com outras crianças. A maioria eram crianças. No entanto existiam alguns poucos adultos entre os jogadores.
     Acredito que a expressão “pelada” deveria significar “mulher pelada”, visto que, o futebol, na época, era um esporte considerado uma exclusividade dos homens, ou seja, dos machos. Nos dias atuais já existem times de futebol de mulheres, inclusive a seleção brasileira de futebol feminino. Todavia o futebol era um esporte de machos (machista). E, ainda nos dias atuais, continua predominando a participação majoritária dos homens ou machos.
     Vez por outra, alguns comentaristas de futebol (ainda a maioria), em algumas jogadas mais violentas, dão uma “derrapada” e afirmam: - “Futebol é jogo de homem”. Ou seja, “Futebol é jogo de macho”.
     - Estou politicamente correto? Estou? Então posso continuar? Posso? Tudo bem.
     Jogar futebol com chuteiras só joguei uma vez na minha vida. Não sei bem se foi em 1972 ou 1973 (eu já era estudante de Medicina), no principal Estádio de Futebol de Aracaju, o chamado “Batistão”. Na época eu tinha 22 ou 23 anos e pesava 57 quilos. Minha altura era e ainda é 1,70 metros.
     Até então eu jogava com os pés descalços. Quando coloquei a chuteira “de futebol” eu achei incômoda e muito pesada. Quando coloquei a bola em cima da chuteira a coisa piorou. Parecia uma bola de pedra. Somando (ou sentindo) o peso da chuteira com o peso da bola cheguei à seguinte conclusão: - Futebol é um esporte para homens fortes e altos. Musculatura e altura. Antes de ser “contratado” para qualquer time de futebol desisti da profissão de jogador de futebol profissional.
     No entanto sempre adorei jogar futebol de praia (desde que o local fosse plano). E, durante mais ou menos oito anos joguei intensamente o futebol de praia. No futebol de praia nós jogamos com os pés descalços. E, dando um “pontapé na modéstia”, eu era um excelente jogador.
     Ainda nos dias atuais, penso seriamente em voltar a jogar futebol de praia. E, com certa urgência. É a única atividade física que me atrai no momento.
     Como eu já disse anteriormente, em 1972 ou 1973 eu pesava 57 quilos. Hoje eu peso 70 quilos. Não estou preocupado com o meu peso. Estou preocupado em fazer exercício físico, (que ajuda muito na saúde das pessoas), porém fazendo um exercício físico que eu adoro que é o futebol de praia. Assim, farei a união do útil ao agradável.  
     Praticamente joguei ou pratiquei quase todos os esportes (exceto o futebol profissional).
     Nunca fui fanático por nenhum time de futebol. Sobre a seleção brasileira de futebol era um admirador orgulhoso. De 1970 até 1986. A partir de então, o futebol brasileiro (com seleção ou sem seleção brasileira) não tem mais quase nenhum valor. Indiferença quase total. Prefiro ouvir música.
     Pelo contrário. Atualmente detesto futebol (refiro-me ao futebol profissional, incluso a seleção brasileira), diante dos inúmeros escândalos de corrupção, envolvendo a FIFAgate, CBFgate, Globogate, Cartolasgate, Jogadoresgate, Torcidasgate, e por aí vai.
     Assisto ainda, vez por outra, o voleibol (masculino e feminino), o handebol feminino e o basquete, que, diga-se sobre o último (o basquete) é raro neste continente tropical chamado Brasil.
     Podem jogar o futebol profissional na lata de lixo ou do lixo.
     Mas, metendo a colher aonde não devo, se eu fosse dirigente de futebol eu faria algumas alterações.
     1ª – O futebol (refiro-me aos diversos campeonatos nacionais existentes) deveria ser apenas um Campeonato Nacional e os Campeonatos Estaduais.
     2ª – Os jogos só deveriam ser realizados nos dias de domingo das 16 às 18 ou 20 horas (por causa de uma provável prorrogação ou por causa dos pênaltis).
     3ª – Em todas as partidas ou “pelejas” teriam de haver sempre um vencedor e um perdedor. Como acontece nas Copas Mundiais (fase eliminatória). Existe o primeiro e o segundo tempo. Durante os 90 minutos quem fez mais gols? Foi? É o vencedor. Houve empate durante os 90 minutos? Foi? Mais 45 minutos de prorrogação. Quem fez mais gols? Foi? É o vencedor. Houve empate durante os 45 minutos? Foi? Disputa de pênaltis. Haveria de sair um vencedor e um perdedor de qualquer maneira. Empate em jogos de futebol tem um nome: - SAFADEZA, ou, pegando a palavra da moda, CORRUPÇÃO.
     4ª – E quem disputaria o Campeonato Nacional? Os Campeões Estaduais! Pacto Federativo!
     5ª – E os outros times o que fariam durante o ano inteiro? Os jogadores teriam de estudar ou exercer outra profissão.  
     6ª – E os jogadores ficariam sem treinar? Se virem nos 30 segundos. Ou seja, a iniciativa privada poderia meter a mão na massa, mas, sem dinheiro público. Primeiro ponto final.      
     7ª - Dizem que todo torcedor potencialmente é um técnico. Como ex-torcedor dei minha opinião como técnico. Aqui também encerro minha carreira como técnico de futebol. Segundo ponto final. O resto é conversa mole pra boi dormir. Ponto final.

    




5ª versão.



     Voltando ao ASSASSINATO MONSTRUOSO de uma Modelo (uma mulher), envolvendo um JOGADOR PROFISSIONAL de FUTEBOL (um macho). Alguém já percebeu o viés da Ideologia de Gênero? Não? Pensem bem...
    Na INTERNET existem inúmeros vídeos, produzidos por várias emissoras de televisão.  
    
     No dia 08 de julho de 2010 (ano do ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio) Roberto Cabrini através do SBT – Programa Conexão Repórter - fez uma longa reportagem dividida em cinco partes. Assisti a primeira parte, não encontrei a segunda parte, deixei de lado.  
    
     No dia 11 de julho de 2010 (ano do ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), a Rede Globo de Televisão (Rede Bola de Televisão, Rede Futebol de Televisão, Rede BBB ou Rede qualquer coisa, ficando a critério do freguês), através do programa “Fantástico” faz uma reportagem com o título a “História de Vida do Goleiro Bruno”. Sendo a única emissora que tem o direito de transmitir os jogos de futebol, não me dei ao trabalho de assistir ao programa. Deve ser mel, açúcar ou açúcar com água. Ou fel.
    
     No dia 16 de julho de 2010 (ano do ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), na Rede Globo ou Rede Bola, no programa Mais Você, apresentado por Ana Maria Braga (uma espécie de cozinheira da Rede Globo), com o título “Caso Bruno – Entrevista com o Advogado Ércio Quaresma”, então na condição de Advogado de Bruno, ele acusa um menor envolvido no CRIME que ele era mentiroso e também usuário de COCAÍNA. No caso o menor teria prestado vários depoimentos (segundo o Advogado todos eles cheios de mentiras e contradições).
     O Advogado Ércio Quaresma também acusa o Delegado da Polícia Civil (Presidente de Inquérito), Dr. Edson Moreira de ter dificultado a defesa dos acusados. O Dr. Ércio é casado com a Advogada Dra. Cláudia e tem apenas um filho. Na linguagem confusa do direito ele afirma não haver PROVA de MATERIALIDADE do CRIME. Ele, soube-se depois, era muito conhecido do BOLA, também conhecido por Paulista. Observação do escriba: - Mais adiante os leitores terão uma grande surpresa com esse advogado.

     No dia 30 de julho de 2010 (ano do ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), no programa Balanço Geral da Rede Record com os títulos “Caso Bruno: Goleiro é Indiciado” e “Advogado de Bruno questionando as reportagens da Rede Record”. Na entrevista quem aparece é o então Advogado do goleiro Bruno, Dr. Ércio Quaresma, que afirma ter sido Detetive de Polícia, tentou ser Delegado de Polícia algumas vezes e não conseguiu e terminou sendo Advogado dedicado a causas criminalistas, tendo atuação intensa em Júris Populares (Tribunal de Júri).  

     No dia 03 de dezembro de 2010 (ano do ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio) é a vez da chamada Rede TV! – Título: - “Advogado afastado Ércio Quaresma fala pela 1ª vez sobre vício em Crack” e “Após ser FLAGRADO com Crack Dr. Quaresma fala pela 1ª vez na Rede TV!”. Na entrevista (não sei o nome do entrevistador) ele afirma ser portador de Transtorno Bipolar e de Déficit de Atenção por Hiperatividade. Foi afastado de suas atividades de Advogado pelo Conselho de Ética da OAB (deve ter sido pela Seccional de Minas Gerais). Confessa que estava passando por privações financeiras. Atuando em Belo Horizonte, afirma ser dependente químico do Crack. Apresenta-se como ex-advogado criminalista do goleiro Bruno. O seu nome completo é Ércio Quaresma Firpe.  

     No dia 31 de julho de 2011 (aproximadamente um ano após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio) um Advogado (Cláudio Daledone Júnior) em entrevista a outro repórter (não me recordo da Emissora de Televisão), prometeu que iria descobrir o local aonde se encontrava o corpo da modelo Eliza Samúdio de qualquer maneira. Até hoje nada.

     No dia 18 de julho de 2012 (aproximadamente dois anos após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), um jornal de Minas Gerais publicou a seguinte reportagem.



PRESO que teria ouvido CONFISSÃO de BOLA é RECAPTURADO após FUGA.




     Ele foi ouvido pela POLÍCIA em 2011 em ACAREAÇÃO sobre o caso Eliza. Secretaria ainda não explicou circunstâncias da fuga. Por Flávia Cristini, do G1 MG.

FACEBOOK

“Foto: - De Jaílson de Oliveira e Marcos Aparecido dos Santos (BOLA) durante acareação em Belo Horizonte, em 2011”. (Foto: Pedro Triginelli/G1).


     O detento Jaílson Alves de Oliveira, que denunciou à Justiça ter ouvido a confissão de um dos réus no caso Eliza Samúdio, foi recapturado na noite desta terça-feira (17) na Região do Vale do Rio Doce, após fugir de uma unidade prisional em Belo Horizonte.
     A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDS) não informou as circunstâncias da fuga, mas disse que um procedimento de apuração foi aberto.
     Jaílson Oliveira foi ouvido pela Polícia Civil no fim do ano passado e disse que o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, afirmou ter matado a ex-namorada do goleiro Bruno Fernandes, queimado o corpo e jogado em uma lagoa.
     À época, houve uma acareação, e as declarações foram negadas por Bola e pelo defensor dele.
     Ainda segundo Jaílson Oliveira, Bola tinha um plano para matar cinco pessoas envolvidas nas investigações e no processo judicial sobre a morte da ex-namorada do goleiro Bruno Fernandes.
     Os alvos seriam o Delegado Edson Moreira, que presidiu o inquérito, a Juíza do processo, Marixa Fabiane Rodrigues, o Deputado Durval Ângelo, Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia de Minas Gerais, o Advogado Ércio Quaresma, que já defendeu o Goleiro Bruno no processo e José Arteiro Cavalcanti, que representa a família de Eliza.

     De acordo com a Polícia Civil, Jaílson Oliveira denunciou à Justiça que escutou uma conversa do ex-policial quando estavam na mesma unidade prisional, e o Departamento de Operações Especiais (DEOESP) foi designado para apurar o caso.
     O suposto esquema revelado envolvia também o goleiro Bruno e Luiz Henrique Romão, o Macarrão, réus no caso Eliza. Eles negaram o envolvimento.
     De acordo com a SEDS, o detento conseguiu fugir nesta terça-feira (17) do Centro de Remanejamento Prisional (CERESP) São Cristóvão, em Belo Horizonte.
     A unidade instaurou um procedimento interno para apurar como ocorreu a fuga. Jaílson Oliveira foi encontrado em São João Evangelista, perto de Guanhães, durante a noite.
     A Polícia Civil informou que ele foi parado em uma Blitz Rodoviária, quando estava de moto, e apresentou nome falso antes de reconhecer que era foragido.
     Aos militares que efetuaram a captura, o preso disse que escapou quando trabalhava como pedreiro na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa  (DHPP), em Belo Horizonte.
     Ele vai ser transferido para a Penitenciária Nelson Hungria, na Região Metropolitana.
     Bola vai a Júri Popular por homicídio duplamente qualificado e Ocultação de Cadáver referente ao processo sobre Eliza.
     Já Jaílson Oliveira está detido por acusação de latrocínio.



Caso Eliza Samúdio.

    

     O goleiro Bruno Fernandes e mais sete réus vão a Júri Popular no processo sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samúdio, ex-namorada do jogador.
     Para a polícia, Eliza foi morta em junho de 2010 na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e o corpo nunca foi encontrado.
     Em fevereiro de 2010, a jovem deu à luz um menino e alegava que o atleta era o pai da criança. Atualmente, o menino mora com a mãe de Eliza, em Mato Grosso do Sul.
     O goleiro, o amigo Luiz Henrique Romão – conhecido como Macarrão –, e o primo Sérgio Rosa Sales vão a Júri Popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.
     Sérgio Rosa Sales responde ao processo em liberdade. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, também está preso e vai responder no Júri Popular por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.
     Dayanne, ex-mulher do goleiro, Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo sequestro e cárcere privado do filho de Bruno.
     Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela.
     Eles foram soltos em dezembro de 2010 e respondem ao processo em liberdade.
     Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi inocentado.
     Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), não há previsão de data para o julgamento do caso Eliza Samúdio.


    
     No dia 04 de fevereiro de 2013 (aproximadamente três anos após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), encontramos um vídeo no qual tem o título “Júri Quaresma – Debates – São João Del Rei”. No vídeo aparece o Advogado Dr. Ércio Quaresma Firpe defendendo um rapaz acusado de estupro. Ao final o menor foi condenado a mais de 20 anos de prisão. Observação do escriba: - Sua “cassação” de Advogado parece ter durado pouco. Se estiver curado do vício do Crack tudo bem. Caso contrário tudo mal.


    
     No dia 23 de abril de 2013 (aproximadamente três anos após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), a imprensa escrita divulga notícias sobre o Caso Eliza Samúdio. RSS – Brasil – Agência O Globo.  


     DETENTO diz que BOLA jogou CINZAS de ELIZA SAMÚDIO em LAGO. Depoimento de JAÍLSON ALVES de OLIVEIRA abriu o segundo dia do julgamento de BOLA.

     O detento Jaílson Alves de Oliveira, que já dividiu o mesmo pavilhão do presídio com Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, voltou a afirmar que o ex-policial confessou o assassinato de Eliza Samúdio.
     Em seu depoimento, que abriu o segundo dia do julgamento de Bola, acusado de homicídio duplamente qualificado — meio cruel e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima — e ocultação do corpo da ex-amante do goleiro Bruno, Jaílson confirmou todos os depoimentos que deu anteriormente, inclusive o que ele diz ter ouvido de Bola que MATOU Eliza e jogou seus restos mortais em PNEUS e depois jogou as CINZAS em um LAGO.
     Ércio Quaresma, Advogado de Bola, tentou desclassificar o depoimento afirmando que ele prestou falso testemunho, mas o pedido foi indeferido pela Juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues.
     Antes de começar o depoimento, a Juíza pediu que Bola fosse retirado do Salão do Júri do Fórum de Contagem, onde acontece o julgamento.
     Jaílson disse que passou a ser ameaçado quase todos os dias por detentos e policiais em função do caso. O detento negou ter se beneficiado pelo fato de ter falado o que sabia à Justiça.
     Ele relatou ainda o plano de Bola para matar a Juíza Marixa Rodrigues, o delegado Édson Moreira e o deputado Durval Ângelo, presidente da comissão de Direitos Humanos da Assembleia de Minas.
     Segundo ele, o TRAFICANTE “Nem da Rocinha” teria sido o contratado para executar o plano.
     A segunda testemunha a ser ouvida nesta terça-feira foi o Deputado Durval Ângelo (PT), Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Ele foi arrolado como testemunha de defesa.


     “Foto: - Deputado do PT (PETRALHA) defende Bola. Bola é acusado de homicídio duplamente qualificado e ocultação do corpo da ex-amante do goleiro Bruno”.



     Em depoimento, o deputado reafirmou em juízo que a dentista Ingrid Calheiros denunciou uma suposta venda de um Habeas corpus para libertar o goleiro Bruno.
     Segundo o deputado, Ingrid Calheiros o procurou para denunciar a conduta da Juíza Maria José Starling, da comarca de Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte.
     Maria José Starling foi a primeira Juíza a atuar no caso. Afastada por um processo administrativo, foi substituída pela Juíza Marixa Rodrigues.
     Em Audiência Pública na Assembleia Legislativa, a noiva de Bruno declarou que a magistrada pediu R$ 1 milhão para soltar o goleiro em um plantão. A Juíza, por meio de advogados, sempre negou com veemência a acusação.
     Mais cedo, o promotor Henry Wagner praticamente descartou a possibilidade de Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, de confessar o assassinato e apontar onde estão os restos mortais de Eliza Samúdio, amante do goleiro Bruno Fernandes.
     No entendimento do membro do Ministério Público (MP), Bola corre risco de morrer, caso resolva abrir a boca.
     “Nenhuma expectativa de confissão. Imagine se um matador experimentado, um matador profissional, se ele iria confessar em caso concreto, se assumir como tal. Se ele assumisse como tal, as pessoas que já valeram dos serviços dele em outras situações entrariam em tal estado de instabilidade, de insegurança, que de certo ele colocaria em risco a própria sobrevivência”, afirmou o promotor, em entrevista coletiva.
     Na segunda-feira, o assistente de acusação José Arteiro já havia dito não acreditar numa confissão do ex-policial sobre a morte de Eliza Samúdio.
     O advogado Fernando Magalhães, membro da BANCA de DEFESA de Bola, também afirmou que seu cliente não vai admitir, em hipótese alguma, a autoria do assassinato de Eliza Samúdio.
     Os já condenados Luiz Henrique Romão, o Macarrão, e o goleiro Bruno Fernandes, optaram pela estratégia de uma confissão parcial em seus depoimentos.
     O então braço direito do jogador admitiu, no ano passado, que levou Eliza para SER ENTREGUE PARA UM HOMEM na região da Pampulha, em Belo Horizonte.
     Já o ex-goleiro do Flamengo, no mês passado, revelou ter ficado sabendo da morte da sua amante, mas não denunciou ninguém pelo crime.
     Macarrão foi condenado a 15 anos. Bruno foi condenado a 22 anos e três meses. A confissão parcial deles foi levada em consideração pela Juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues na dosimetria da pena. Bola pode pegar mais de 30 anos de cadeia.
     O depoimento da Delegada Ana Maria Santos encerrou o primeiro dia do julgamento do ex-policial. Ela falou por pouco mais de seis horas.
     A Delegada havia sido arrolada como testemunha de defesa e de acusação, porém pediu para falar na condição de informante.
     Além da Delegada Ana Maria e do detendo Jaílson, o Ministério Público (MP) arrolou outras duas testemunhas: - Jorge Luiz Rosa, primo de Bruno e um das peças chaves do caso, e Jorge Batista Alves Guimarães, ex-caseiro do sítio.



     “Foto: - Várias fotos de Eliza Samúdio. Segundo a Justiça, Eliza foi morta em briga pelo reconhecimento da Paternidade do Filho.



     O MP, no entanto, dispensou o depoimento do ex-caseiro nesta terça-feira. Já a defesa de Bola convocou o Jornalista José Cleves da Silva, o Deputado Durval Ângelo (PT), a Delegada Alessandra Wilke, além de Renato Patrício Teixeira, Corregedor da Polícia Civil de Minas.



Relembre o caso.



     Segundo a Justiça, Eliza Samúdio, de 25 anos, foi MORTA durante uma briga pelo Reconhecimento da Paternidade do Filho Bruninho.
     Eliza Samúdio conheceu Bruno numa festa em maio de 2009, quando tinha 24 anos. Ela engravidou do então goleiro do Flamengo e em outubro o denunciou à polícia, acusando-o de tê-la sequestrado, com ajuda de dois amigos, mantendo-a em cárcere privado e obrigando-a a tomar uma substância abortiva.
     Bruninho acabou nascendo em 10 de fevereiro de 2010. Em junho de 2010, Eliza desapareceu. Ao todo, nove pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público por participação no CRIME.
     Acusado de ser o MANDANTE da morte de Eliza, o ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes foi condenado a um total de 22 anos e 3 meses de prisão em março.
     De acordo com a sentença proferida pela Juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, o ex-atleta recebeu as penas de 17 anos e seis meses, em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado. Três anos e três meses, em regime aberto, pelo sequestro de Bruninho, seu filho com Eliza. E um ano e seis meses, em regime aberto, por ocultação de cadáver.
     Dayanne Rodrigues, ex-mulher de Bruno, foi absolvida dos crimes de sequestro e cárcere privado de Bruninho no mesmo julgamento.
     De acordo com o promotor Henry Wagner Vasconcelos Castro, “Dayanne foi manobrada por todos os envolvidos, incluindo o policial aposentado José Lauriano de Assis Filho, o Zezé”, que, segundo o Ministério Público, também teria participado da trama.
     Durante a sua fala, o promotor chamou o ex-goleiro de “canalha” e “criminoso facínora”.
     Em novembro do ano passado, no primeiro julgamento do caso, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, braço direito de Bruno, foi condenado a 15 anos de prisão, por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado de Eliza.
     Já Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do ex-goleiro, foi condenada a cinco anos por sequestro e cárcere privado de Eliza e Bruninho.
     Um primo de Bruno, Jorge Luiz Rosa, que era menor de idade à época do crime, em 2010, foi condenado a medida socioeducativas por atos infracionais análogos a homicídio e a sequestro e já está em liberdade.
     Em fevereiro deste ano ele concedeu uma entrevista ao 'Fantástico', da TV Globo, onde afirmou que Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, seria o principal culpado da morte da modelo, além de ter planejado o assassinato do filho de Bruno com Eliza.


     No dia 11 de agosto de 2013, (três anos após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio) Marcelo Rezende (já falecido) através da Rede Record (a emissora do falso pastor Edir Macedo) faz uma entrevista com o goleiro Bruno. Assisti cinco minutos da entrevista e fui procurar outra reportagem.
    
     No dia 02 de julho de 2014 (aproximadamente quatros anos após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), no programa TV Verdade, da TV Alterosa aparece o entrevistador Ricardo Carlini. O entrevistador é um pouco debochado. Conversando com o Advogado Rui Pimenta, então Advogado do goleiro Bruno, o entrevistador diz que o Advogado irá libertar o goleiro Bruno e que ele irá participar da Copa do Mundo de Futebol de 2014.
     Outro Advogado entrevistado é o Advogado ZANONE Manoel de OLIVEIRA Júnior. Ele se apresenta como Advogado do Bola, o ex-policial civil, o principal suspeito de ter ASSASSINADO Eliza Samúdio. Segundo o Advogado ZANONE o ex-policial civil nega peremptoriamente ter ASSASSINADO a modelo. Na entrevista fica confirmado que o tal do BOLA tinha vários cachorros. Também ficamos sabendo que o salário do goleiro Bruno no time do Flamengo era de R$ 200 mil mensais. ZANONE disse que no 1º júri absolveu o ex-policial e que o responsável pelo ASSASSINATO de Eliza era o goleiro Bruno. Alguém contradisse, afirmando que o ASSASSINO era o tal do BOLA. O Advogado ZANONE respondeu que essa era a opinião do Ministério Público. Presente na reportagem também estava o Cidadão Eder. Alguém falou em Crime Hediondo. Também fez parte da reportagem uma psicóloga.          



     No dia 06 agosto de 2014 (quatro anos após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), no programa TV Verdade, da TV Alterosa, afiliada do SBT, ocorre um debate sobre uma denúncia do BOLA com o título: -  “Dr. Edson me incriminou”: - TV Verdade repercute entrevista de BOLA ½. O entrevistador é Ricardo Carlini.  
     O Delegado da Polícia Civil, Dr. Edson Moreira diz sobre BOLA (Marcos Aparecido): - Ele nunca foi soldado. Foi apenas aluno.
     Entre os participantes do debate encontra-se um psicólogo e o advogado de Marcos Aparecido (BOLA), o Dr. Fernando Magalhães e outra pessoa.
     O apresentador Ricardo Carlini diz que a vida do BOLA é cheia de histórias cabulosas.
     Numa gravação do BOLA ele diz: -“Delegado é meu desafeto”. Diz que fez curso na ACADEPOL de Minas Gerais, após passar em concurso público para trabalhar na Polícia Civil. Afirma ter sido policial em São Paulo. Foi aluno da Polícia Militar.  
     O Delegado Dr. Edson Moreira foi membro da Polícia Militar de São Pauto, setor de cavalaria ou da ROTA. O Dr. Edson afirma que o tal do BOLA foi expulso da Polícia.  
     O Marcos Aparecido (BOLA) tinha um sítio que era um centro de treinamento para policiais em Minas Gerais. No bairro onde morava a população tinha medo dele, pois se passava por policial.
     O advogado de Marcos Aparecido, Dr. Fernando Magalhães levanta uma polêmica curiosa sobre a “Certidão de Óbito de Eliza Samúdio”. E diz ainda: - “Quem condenou foi a Justiça, ou seja, a Juíza”.
     O BOLA diz que era adestrador de cachorros. E o Delgado Edson ficava lhe cobrando: - Cadê a perna da moça? Nesta entrevista é citado o nome do Dr. ZANONE.
      
     No dia 19 de agosto de 2014 (quatro anos após o ASSASSINATO da mulher Eliza Samúdio), o Jornal Alterosa (TV que deve ser de Minas Gerais) o repórter Elói Oliveira publica uma entrevista mais interessante. O entrevistado é um detento de nome Jailson Alves de Oliveira (Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem), que estava preso por latrocínio. Ele se apresenta como ex-amigo de BOLA, com quem teria conversado várias vezes. O presidiário Jailson relata que Eliza Samúdio sabia que o goleiro Bruno estava envolvido com drogas e que era conhecido do traficante Nem da Rocinha. Diz ainda que o tal do BOLA cortou a mão de Eliza Samúdio quando ela estava ainda viva e, logo depois a matou com um golpe chamado mata-leão (uma “gravata”). Na reportagem são citados os nomes de Bruno, Sérgio, Jorge e Macarrão.
            
    

Observações do escriba:


     1ª - Da mesma forma que atualmente não sou muito ligado ao futebol, da mesma maneira não sou muito ligado aos sensacionalistas programas policiais.
     2ª – Posteriormente irei tirar cópias da atual série de artigos e irei emitir a minha opinião pessoal. Afinal já atuei como Médico Legista.
      
      
  
    
      
     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos supostos MACONHEIROS ESQUIZOFRÊNICOS”.

    
Aracaju, quinta-feira, 11 de outubro de 2018.




       Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.




    
     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – GOOGLE. (3) – Wikipédia. (4) – Emissoras de Televisão. (5) - Imprensa Escrita. (6) - OUTRAS FONTES.


jorge martins
Enviado por jorge martins em 11/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras