Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A VONTADE... 'Após uma CONVERSA CELESTIAL, o escriba pede desculpas e presta esclarecimentos ao talentoso escritor Richard D Foxe'. "ABORTO: CIÊNCIA ou RELIGIÃO?". - (5ª parte).






A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A VONTADE... ‘Após uma CONVERSA CELESTIAL, o escriba pede desculpas e presta esclarecimentos ao talentoso escritor Richard D Foxe’. “ABORTO: CIÊNCIA ou RELIGIÃO?” – (5ª parte).



    

O CASO.



     Publicado em 20 de outubro de 2016 pelo talentoso escritor Richard D Foxe.

    


O ABORTO É SEMPRE UM CRIME?




    
     No dia 02 de Outubro desse ano, no Pronto Socorro de um hospital público da cidade de Catânia (Sicília) se apresenta uma MULHER de 32 ANOS, ao QUINTO MÊS de GRAVIDEZ.
     Durante os primeiros 15 dias tudo procede normalmente e os médicos constatam que ela está GRÁVIDA de DOIS GÊMEOS.
     De repente o quadro clínico piora: - A GESTANTE é acometida por FORTES DORES ABDOMINAIS e FEBRE ALTA enquanto a PRESSÃO ARTERIAL COLAPSA em continuação.
     Os controles revelam que UM dos FETOS RESPIRA com DIFICULDADE e, se ele NÃO FOR REMOVIDO urgentemente, a MÃE pode vir a ÓBITO.
     No entanto, o MÉDICO de PLANTÃO, CATÓLICO, RECUSA-SE a INTERVIR e, consequentemente, tanto a JOVEM como os DOIS FETOS FALECEM.
     Assim, por motivos eminentemente IDEOLÓGICOS, DOIS SERES HUMANOS que poderiam ter sido salvos, perdem suas vidas.
     Nesse caso o ABORTO seria um CRIME?
     Ou não foi bem mais CRIMINOSA a atitude do MÉDICO?
     Agora, gostaria de perguntar aos ANTIABORTISTAS de PLANTÃO como teriam reagido se aquela mulher tivesse sido a sua esposa, sua filha ou sua irmã.
     Aguardo os comentários…





O COMENTÁRIO.



     Feito pela Senhora Ignez Freitas em 21 de outubro de 2016.



    



    
     Observação: - Foi o 14º comentário. Muito bom esse artigo... São complicadas certas IDEOLOGIAS, mas infelizmente temos que conviver com esse tipo de situação a todo instante.
     Em minha opinião são PESSOAS que NÃO EVOLUÍRAM, ou tem uma MENTE FECHADA!





O CONTRA-COMENTÁRIO.



    

     Feito pelo talentoso escritor Richard D Foxe em 21 de junho de 2018.







     Prezado José Martins, como nesse seu texto se fala extensamente dum meu artigo, citando os comentários e expressando um julgamento sobre as minhas palavras, inclusive criticando o meu pensamento, teria sido mais oportuno e mais ético postar suas críticas diretamente na minha escrivaninha assim que, pelo menos, tomasse conhecimento delas e tivesse como rebater.
     Entrei aqui só por acaso e, se não o tivesse feito, teria passado despercebido. Você teria que esclarecer quem são essas pessoas que não evoluíram ou tem a mente fechada, sendo que isso soa bastante ofensivo!






OS ESCLARECIMENTOS (2ª parte).



    
     O escriba continua confortavelmente a bordo de um TÁXI SOLAR. Estou pegando um “bronzeado”. Em minha modesta opinião de astrônomo, a única utilidade do sol é pegar “bronzeado”. Depois de “bronzeado” irei lutar por uma Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados aí no Brasil. Qual categoria? Futebol. Segundo e seguindo as recomendações da Rede Bola de Televisão, a Rede BBB, eu devo lutar para conseguir a Medalha de Ouro!
     Elas, a Rede BBB e a NASA, explicaram-me que bronzeado demais pode provocar queimaduras de 1º, 2º e até de 3º grau. Insistem para que eu volte ao Planeta Terra.
     - Eu disse para eles: - Agora é tarde demais.
     - Eles perguntaram: - Por quê?
     - Eu respondi: - Agora eu estou apaixonado por uma Marciana! É fogo e paixão! E parece que tem bebê a bordo...
     Bebê? Peguei o meu telefone celular de 64 botões e telefonei para um dos meus BEIJA-FLORES que está na gigantesca PRAÇA do tamanho de um continente.  
     - E aí amigo. Já começaram a debater sobre o ABORTO?
     - Do outro lado veio a resposta.
     - Você é um Homo sapiens diferente dos outros e, além do mais, nem sequer está no Planeta Terra. Com você podemos falar à vontade e a verdade. Ou a verdade e à vontade. Precisamos de uma orientação sua.
     - Então perguntei: - Qual é a orientação que vocês querem? O que está acontecendo com vocês?
     - É que tem padres e pastores querendo invadir o local de nossa reunião.
     - Indaguei: - Tem algum padre pedófilo? – Só tem um!
     - Indaguei novamente: - E os pastores são de qual denominação? – São todos da IURD! – Eles são uns ABUTRES, respondi! - E o que devemos fazer?
     - Me deixa contar uma coisa: - Os ABUTRES são do Reino Animalia, do Filo Chordata, da Classe das Aves, da Ordem Accipitriformes, da Família Accipitriade e existem oito Gêneros. São tão agressivos que não constam da lista da Ordem das Aves. Eles são NECRÓFAGOS.
     - Manterei contato telefônico com o Gênero Gypaetus, da Espécie G. Barbatus ou Abutre Barbudo ou Abutre Quebra-Ossos. Será o primeiro ataque. Depois telefonarei para O Gênero Torgos, da Espécie T. Tracheliotus ou Abutre-Real. Será o segundo ataque.
     - Para ABUTRES só tem uma receita: - ABUTRES. Fiquem calmos que aqui do TÁXI SOLAR eu resolvo tudo!
     - Telefonei - Dito e Feito – O primeiro ataque quebrou os ossos do padre PETRALHA e de 192 falsos pastores da IURD. No segundo ataque atuaram como NECRÓFAGOS. O primeiro ataque durou 128 minutos. O segundo ataque perdurou durante 256 minutos.
     - Passado este espaço de tempo, um BEIJA-FLOR me telefonou todo trêmulo – A maioria morreu. Outros fugiram. Que coisa horrível! – Disse-lhe: - Vá se acostumando...
     - Resmungando, desliguei o telefone completamente, durante 32 horas. BEIJA-FLORES molengas!
     - Depois de 32 horas, peguei um telescópio BI-SOLAR e fiquei observando o que acontecia no local da reunião. No caso “A PRAÇA CONTINENTAL”.
     - Os BEIJA-FLORES estavam reunidos num palco do tamanho de 104 campos de golfe. De repente começou a chover lá na “PRAÇA”. Como a chuva estava demorando muito fui dormir que ninguém é de ferro. O Planeta Terra está ficando chato!
     No dia seguinte, data #######@@@@@@@@/2000/2018, por volta das ####horas@@@@min###seg, um GAVIÃO me telefonou, contando-me um caso antigo. Eu esperava ouvir fatos novos sobre a PRAÇA CONTINENTAL ou a PRAÇA DAS AVES. Ser amigo das AVES tem suas vantagens e também desvantagens.
     No TÁXI SOLAR tem uma MÁQUINA do TEMPO. Depois que o GAVIÃO me contou a história fui conferir as informações do INFORMANTE. Entrei na MÁQUINA do TEMPO.  
      
      


JUSTIÇA anula CONDENAÇÕES de TRÊS MÉDICOS do “Caso PAVESI” em MINAS GERAIS.

MÉDICOS chegaram a ser CONDENADOS em 2014 em POÇOS de CALDAS.


PROCESSO deve RETORNAR a POÇOS de CALDAS para novo Julgamento em 1ª Instância.

    
     Do G1, Sul de Minas Gerais.



     “Foto: - TJMG anulou Condenação em 1ª Instância”.  (Foto: Jéssica Balbino/ G1).



     O TRIBUNAL de JUSTIÇA de MINAS GERAIS (MG) Anulou nesta semana a Sentença de 1ª Instância que Condenava os Médicos Sérgio Poli Gaspar, Celso Roberto Frasson Scafi e Cláudio Rogério Carneiro Fernandes, pela morte do menino Paulo Veronesi Pavesi, o Paulinho,  em 2000, na época com 10 anos.
    
     Observação do escriba: - Caramba! Já tem dezoito anos!

     Eles foram condenados por envolvimento na Retirada Ilegal de Órgãos do Menino em Poços de Caldas (MG).
     A decisão foi aprovada pela maioria dos votos, já que os Desembargadores Flávio Batista Leite e Karin Emmerich votaram a favor para que o PROCESSO fosse novamente analisado para que os acusados respondam especificamente pelo CRIME de HOMICÍDIO DOLOSO, ou seja, quando HÁ INTENÇÃO de MATAR.
     Já o Desembargador Edson Feital Leite, não votou para que isso acontecesse.
     Com a Anulação da Sentença, o PROCESSO deve retornar a Poços de Caldas para novo Julgamento em 1ª Instância.



ENTENDA o CASO.




     Os três médicos foram condenados em janeiro de 2014 a penas que variam de 14 a 18 anos de Prisão em Regime Fechado por participação no caso. Eles não foram a JÚRI POPULAR.
     Os Médicos Celso Roberto Frasson Scafi e Cláudio Rogério Carneiro Fernandes chegaram a ficar Presos por 30 dias e ganharam na Justiça o Direito de Recorrer da Sentença em Liberdade.
     Já Sérgio Poli Gaspar ficou foragido por um mês e após se entregar passou apenas um dia preso. Ele também pode Recorrer em Liberdade.
     As Condenações provocaram também a Reabertura do Inquérito referente à Morte de Carlos Henrique Marcondes, o Carlão, que foi Diretor Administrativo do Hospital Santa Casa até o ano de 2002. Ele foi encontrado MORTO dentro do próprio carro.


     “Foto: - Paulinho Pavesi morreu aos 10 anos após cair, passar por cirurgia e ter os órgãos removidos” (Foto: - Paulo Pavesi/ Arquivo Pessoal).



Júri Popular Ainda Deve Acontecer.




     O Júri Popular dos Quatro Médicos envolvidos no “Caso Pavesi”, que aconteceria no dia 06 de abril deste ano em Belo Horizonte (MG), foi suspenso.
     Esta foi a quarta vez que o Julgamento dos Médicos Marco Alexandre Pacheco da Fonseca, José Luiz Gomes da Silva, José Luiz Bonfitto e Álvaro Ianhez, também envolvidos na acusação de MORTE do menino foi adiado e não há data remarcada.
     Segundo a Assessoria de Imprensa do TRIBUNAL de JUSTIÇA de MINAS GERAIS (TJMG), a Audiência foi adiada em novembro de 2015 porque há um Recurso da Defesa de um dos Réus que precisa ser Julgado no SUPERIOR TRIBUNAL FEDERAL (STF), o que deve ocorrer ainda nesta terça-feira (5).
     Com isso, não haveria tempo para que o Júri fosse realizado nesta quarta-feira. Com o Julgamento do Recurso, uma nova data para o Júri Popular deve ser marcada.
     Ainda conforme a JUSTIÇA, os Quatro Médicos teriam sido responsáveis por Procedimentos Incorretos na MORTE e Remoção de Órgãos do Garoto, após ele cair de uma altura de 10 metros no prédio onde morava.
     O Exame que Apontou a MORTE CEREBRAL teria sido FORJADO, e O GAROTO AINDA ESTAVA VIVO no Momento da Retirada dos Órgãos.
     Os Quatro negam Qualquer Irregularidade, tanto nos Exames, quanto nos Transplantes aos Quais o Garoto foi Submetido.
     Este desmembramento do caso, que aconteceu em Poços de Caldas, foi transferido para a Capital Mineira a pedido do MINISTÉRIO PÚBLICO em agosto de 2014, devido ao CLAMOR PÚBLICO.



ADIAMENTOS.



     No processo que tramitava em Poços de Caldas (MG), foi determinado que os médicos fossem submetidos a Júri Popular em outubro de 2011.
    Houve recurso contra a Sentença de Pronúncia, mas os Desembargadores do Tribunal de Justiça, em outubro de 2012, decidiram manter o Júri.

     O Julgamento deveria ter acontecido em julho de 2014 e a sessão chegou a ser iniciada em Poços de Caldas, mas, a pedido do MINISTÉRIO PÚBLICO, foi transferido para a Capital Mineira em razão de PROPAGANDAS feitas pelo CONSELHO REGIONAL de MEDICINA do ESTADO de MINAS GERAIS (CRM) e ASSOCIAÇÃO dos MÉDICOS na cidade, em Favor dos Profissionais.
     Uma Liminar concedida pela Justiça suspendeu pela terceira vez o Júri Popular do "Caso Pavesi", que seria realizado em março de 2015 em Belo Horizonte (MG).
     A decisão aconteceu após um pedido de Habeas Corpus feito pelo Advogado de um dos Médicos, o NEFROLOGISTA Álvaro Ianhez, alegando que o depoimento do pai do menino, Paulo Airton Pavesi, que Atualmente Vive na Inglaterra, seria Ilegal, já que estava previsto para acontecer em Videoconferência, Via Internet.



O CASO PAVESI.




     O caso aconteceu em abril de 2000 e ganhou Repercussão Internacional. Na ocasião, Paulinho, como era conhecido, caiu de uma altura de 10 metros do prédio onde morava e foi levado para o pronto-socorro do HOSPITAL PEDRO SANCHES.
     Ainda de acordo com o MINISTÉRIO PÚBLICO, o menino teria sido vítima de um Erro Médico durante uma Cirurgia e foi levado para a Santa Casa de Poços de Caldas, onde teve os Órgãos Retirados por meio de um DIAGNÓSTICO de MORTE ENCEFÁLICA, que conforme apontaram as Investigações, teria sido FORJADO.
     Após receber uma Conta Hospitalar no valor de R$ 11.668,62, o pai do menino, Paulo Airton Pavesi, Questionou as Cobranças e deparou-se com dados que não condiziam com o que havia sido feito, inclusive com a Cobrança de Medicamentos para Remoção de Órgãos, que oficialmente é custeada pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
     A descoberta de um Suposto Esquema para a Retirada Ilegal de Órgãos de Pacientes em Poços de Caldas fez com que a Santa Casa da cidade fosse Descredenciada para a realização de Transplantes e Remoção de Órgãos no ano de 2002. A entidade que geria os trabalhos na cidade, MG Sul Transplantes, também foi extinta no município.
     Quatro médicos: - José Luis Gomes da Silva, José Luis Bonfitto, Marco Alexandre Pacheco da Fonseca e Álvaro Ianhez foram denunciados pelo MINISTÉRIO PÚBLICO por HOMICÍDIO QUALIFICADO do MENINO PAVESI.
     Na denúncia, consta que cada um cometeu atos encadeados que causaram a MORTE do MENINO. Entre eles, a Admissão em Hospital Inadequado, a demora no Atendimento Neurocirúrgico, a realização de uma Cirurgia feita por um Profissional sem Habilitação Legal, que resultou em Erro Médico, e a inexistência de um tratamento efetivo e eficaz.
     A denúncia aponta também FRAUDE no EXAME que determinou a MORTE ENCEFÁLICA do MENINO.
     Ainda na época, o Médico Álvaro Ianhez foi denunciado por Chefiar a Entidade MG Sul Transplantes, que realizava as Retiradas dos Órgãos e os encaminhava aos Possíveis Receptores.
     A organização foi apontada pelo Ministério Público como  “atravessadora” em um Esquema de Tráfico de Órgãos Humanos.
     Outra Linha de Investigação é de que os Órgãos Retirados do Garoto foram Transplantados de Maneira Irregular.
     As Córneas do Menino foram levadas para Campinas (SP), quando deveriam ter sido Transplantadas em Pacientes da Lista de Espera de Minas Gerais, já que se trata de um Procedimento Regionalizado.
     O "CASO PAVESI", também chamado de "Caso 0", deu origem a uma Investigação que inclui outros oito (8) PROCESSOS em que Irregularidades na Retirada de Órgãos de Pacientes também teriam ocorridos.




A DOR DE PAULO PAVESI.



     POLÍTICA – DRAMA - Por Leandro Fortes — publicado 18/04/2013 12h01, última modificação 18/04/2013 12h01


     Ele é um EXÉRCITO de UM SÓ HOMEM contra a IMPUNIDADE dos MÉDICOS-MONSTROS que MATARAM SEU FILHO para lhe RETIRAR os ÓRGÃOS.


     SOZINHO, ESCONDIDO em LONDRES, na INGLATERRA, depois de ter conseguido ASILO HUMANITÁRIO na ITÁLIA, em 2008, o Analista de Sistemas PAULO PAVESI se transformou no Exército de Um Só Homem contra a Impunidade dos MÉDICOS-MONSTROS que, em 2000, ASSASSINARAM SEU FILHO para lhe Retirar os Rins, o Fígado e as Córneas.
     PAULO VERONESI PAVESI, então com 10 anos de idade, caiu de um brinquedo no prédio onde morava, e foi levado para a Irmandade, Santa Casa de Poços de Caldas, no Sul de Minas, onde foi atendido pelo médico Alvaro Inhaez que, como se descobriu mais tarde, era o Chefe de Uma Central Clandestina de Retirada de Órgãos Humanos disfarçada de ONG, a MG Sul Transplantes.
     Paulinho foi SEDADO e teve os Órgãos Retirados QUANDO AINDA ESTAVA VIVO, no Melhor Estilo do Médico Nazista JOSEF MENGELE.
     Na edição desta semana de Carta Capital, publiquei uma reportagem sobre o envolvimento do Deputado Estadual Carlos Mosconi, (PSDB), com a chamada “MÁFIA dos TRANSPLANTES” da Irmandade Santa Casa de Poços de Caldas.
     Carlos Mosconi, eleito no início do ano, pela quarta vez consecutiva, Presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, foi Assessor Especial do Senador Aécio Neves (PSDB-MG), quando este era Governador do Estado.
     Aécio o nomeou, em 2003, Presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMG), à qual a MG Sul Transplantes, idealizada por Carlos Mosconi e outros Quatro Médicos ligados à MÁFIA DOS TRANSPLANTES, era subordinada.
     As poucas notícias que são veiculadas sobre o caso, à exceção da matéria de minha autoria publicada esta semana, jamais citam o nome de Carlos Mosconi.
     Em Minas Gerais, como se sabe, a imprensa é controlada pela mão de ferro do PSDB.
     Nada se noticia de ruim sobre os tucanos, nem quando se trata de ASSASSINATO a SANGUE FRIO de UMA CRIANÇA de 10 anos que teve as Córneas Arrancadas QUANDO AINDA VIVIA para que fossem Vendidas, no Mercado Negro, por 1,2 mil reais. Nada.
     Esse silêncio, aliado à Leniência da Polícia e do Judiciário Mineiro, é fonte permanente da dor de PAULO PAVESI. Mas PAULO PAVESI não se cala.
     De seu exílio inglês, ele nos lembra todos os dias, que somos uma Sociedade Arcaica e Perversa ao ponto de Proteger ASSASSINOS por Questões Políticas Paroquiais.
     Como sempre, a Velha Mídia Nacional, sem falar na Amordaçada Mídia Mineira, não deu repercussão alguma à Carta Capital, como se isso tivesse alguma importância nesses tempos de Blogosfera e Redes Sociais.
     Pela INTERNET, o Brasil e o Mundo foram apresentados ao JUIZ Narciso Alvarenga de Castro, da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas.
     Em 19 de fevereiro desse ano, ele condenou Quatro MÉDICOS-MONSTROS envolvidos na MÁFIA: - João Alberto Brandão, Celso Scafi, Cláudio Fernandes e Alexandre Zincone.
     Eles foram condenados pela MORTE de um TRABALHADOR RURAL, João Domingos de Carvalho.
     Internado por sete dias na Enfermaria da Santa Casa, entre 11 e 17 de abril de 2001, João Domingos de Carvalho, assim como PAULINHO, foi dado como MORTO quando estava SEDADO e teve os Rins, as Córneas e o Fígado Retirados por Cláudio Fernandes e Celso Scafi.
     Outros sete casos semelhantes foram levantados pela POLÍCIA FEDERAL na Santa Casa.
     Todos os Condenados são ligados à MG Sul Transplantes. Celso Scafi, além de tudo, era sócio de Carlos Mosconi em uma Clínica de Poços de Caldas, Base Eleitoral do Deputado.
      A QUADRILHA realizava os Transplantes na Santa Casa, o que garantia, além do Dinheiro Tomado dos Beneficiários da Lista, recursos do SUS para o hospital.
     O Delegado Célio Jacinto, responsável pelas Investigações da POLÍCIA FEDERAL, revelou a existência de uma Carta do Parlamentar na qual ele Solicita ao Amigo Ianhez o fornecimento de um Rim para Atender ao Pedido do Prefeito de Campanha (MG).
     A carta, disse o Delegado, foi apreendida entre os Documentos de Ianhez, mas desapareceu misteriosamente do Inquérito sob Custódia do Ministério Público Estadual de Minas Gerais. Na terça-feira, veio o troco.
     A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) suspendeu as Audiências que aconteceriam nesta quarta-feira 17, até sexta-feira, 19 de abril, para se iniciar, finalmente, o Julgamento do Caso de PAULINHO.
     Neste PROCESSO, estão sendo Julgados, novamente, Cláudio Fernandes e Celso Scafi, além de outro acusado, Sérgio Poli Gaspar.
     De acordo com a assessoria do TJMG, o cancelamento se deu por conta de uma medida de “exceção de suspeição” contra o JUIZ Narciso de Castro impetrada pelo escritório Kalil e Horta Advogados, que defende Fernandes e Scafi.
     A defesa da dupla, já condenada a penas de 08 a 11 anos de cadeia, argumenta que o JUIZ teria perdido a “necessária isenção e imparcialidade” para apreciar o Caso Pavesi.
     Ou seja, querem trocar o JUIZ, justo agora que o nome do Deputado Carlos Mosconi veio à tona.
     Eu, sinceramente, ainda espero que haja JUÍZES – e JORNALISTAS – em Minas Gerais para denunciar esse acinte à humanidade de Paulo Pavesi que, no fim das contas, é a humanidade de todos nós.




SOB SUSPEITA - UM FELICIANO PIORADO na ASSEMBLÉIA MINEIRA.



     POLÍTICA - Por Leandro Fortes — Publicada em 17/04/2013 17h02, última modificação 18/04/2013 11h52.



     O tucano Carlos Mosconi, Presidente da Comissão de Saúde do Parlamento Estadual, é acusado de TRÁFICO de ÓRGÃOS.
     Enquanto o Congresso Nacional é submetido a um constrangimento diário desde a eleição do deputado Marcos Feliciano (PSC-SP), Pastor Evangélico de discurso homofóbico e racista, para o comando da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, um caso semelhante na forma, mas muito mais grave no conteúdo, permanece escondido na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.
     Em 1º de fevereiro, o tucano Carlos Mosconi assumiu pela quarta vez consecutiva a Presidência da Comissão de Saúde do Parlamento Mineiro.
     Médico de formação, Carlos Mosconi é idealizador da MG Sul Transplantes, ONG que servia de Central Clandestina de Receptação e Distribuição de Órgãos Humanos em Poços de Caldas, no sul do estado.
     Segundo uma investigação da Polícia Federal, Carlos Mosconi chegou a encomendar um Rim para o Amigo de Um Prefeito da cidade mineira de Campanha.
     Em 19 de fevereiro, o JUIZ Narciso Alvarenga de Castro, da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas, condenou Quatro Médicos envolvidos no Esquema de Compra e Venda de Órgãos Humanos, a chamada “MÁFIA dos TRANSPLANTES”.
     João Alberto Brandão, Celso Scafi, Cláudio Fernandes e Alexandre Zincone, todos da Irmandade Santa Casa, eram ligados à MG Sul Transplantes.
     Celso Scafi era sócio de Carlos Mosconi em uma Clínica da cidade. A ONG era responsável pela organização de uma lista de Pacientes Particulares que encomendavam e pagavam por Órgãos Retirados de Pacientes AINDA VIVOS.
     A QUADRILHA realizava os Transplantes na Santa Casa, o que garantia, além do Dinheiro Tomado dos Beneficiários da Lista, recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) para o hospital.
     A MÁFIA de MÉDICOS de Poços de Caldas foi descoberta em 2002 por causa do chamado “Caso Pavesi”, que chegou a ser investigado na Câmara dos Deputados pela CPI do Tráfico de Órgãos Humanos, em 2004.
    Em 19 de abril de 2000, Paulo Veronesi Pavesi, 10 anos de idade à época, caiu de um brinquedo no prédio onde morava e foi levado à Santa Casa.
     O menino foi atendido pelo médico Alvaro Ianhez, coordenador do Setor de Transplantes do Hospital e, soube-se depois, Chefe da Central Clandestina de Tráfico de Órgãos. Ianhez é amigo particular do deputado Carlos Mosconi, responsável por sua nomeação no hospital.
     A partir de uma denúncia do Analista de Sistemas Paulo Pavesi, pai do garoto, a POLÍCIA FEDERAL abriu um Inquérito e descobriu que a equipe de Ianhez havia decretado a MORTE ENCEFÁLICA de Paulo quando ele estava sob efeito de Substâncias Depressivas do Sistema Nervoso Central.
     Ou seja, teve os Rins, o Fígado e as Córneas Retirados quando provavelmente AINDA ESTAVA VIVO.
     Pavesi pai foi obrigado a Pedir Asilo na Itália, depois de ser AMEAÇADO de MORTE por diversas vezes em Minas Gerais.
     Atualmente, mora em Londres, onde aguarda até hoje o Julgamento do caso do filho.
     Outros oito casos semelhantes foram descobertos pela POLÍCIA FEDERAL e pelo Ministério Público Federal durante as investigações.
     Um deles, o do trabalhador rural João Domingos de Carvalho, foi o que resultou nas condenações de fevereiro passado. Internado por sete dias na enfermaria da Santa Casa, entre 11 e 17 de abril de 2001, Carvalho foi dado como MORTO quando estava SEDADO e teve os Rins, as Córneas e o Fígado Retirados pelos médicos Fernandes e Scafi.
     “Era pura ganância, vontade de enriquecimento rápido, sem se preocupar com o sofrimento dos demais seres humanos”, escreveu o JUIZ Narciso de Castro na Sentença que condenou os médicos da Santa Casa a pena de 08 a 11 anos de prisão, em primeira instância.
     Todos continuarão em liberdade até o julgamento dos recursos.
     Pavesi não se amedrontou à toa. Em 24 de abril de 2002, Carlos Henrique Marcondes, Administrador da Santa Casa, foi ASSASSINADO no dia exato de seu DEPOIMENTO no Ministério Público sobre a atuação da máfia dos transplantes lotada no hospital.
     Ele tinha gravado todas as conversas com os médicos envolvidos no tráfico de órgãos e pretendia entregar as fitas às autoridades.
     Antes de falar, Carlos Henrique Marcondes foi encontrado MORTO no próprio carro com um TIRO na BOCA.
     Segundo um delegado da Polícia Civil da cidade, o ex-PM Juarez Vinhas, tratou-se de suicídio. O caso foi sumariamente arquivado.
     O Laudo Pericial constatou, porém, que TRÊS TIROS haviam sido disparados contra Marcondes, embora apenas um o tenha atingido.
     Mais ainda: - A arma usada e colocada na mão da vítima desapareceu do fórum de Poços de Caldas, razão pela qual foi impossível periciá-la.
     Levado à Santa Casa, o corpo do Administrador foi recebido por dois médicos do hospital. Um deles, João Alberto Brandão, foi condenado em fevereiro.
     O outro, Félix Gamarra, chegou a ser indiciado, mas acabou beneficiado pela lei de prescrição penal, por ter mais de 70 anos de idade.
     A dupla raspou e enfaixou a mão direita de Marcondes, supostamente usada para apertar o gatilho, de modo a inviabilizar o EXAME de DIGITAIS e presença de RESÍDUOS de PÓLVORA.
     E o advogado da Santa Casa, o também ex-PM Sérgio Roberto Lopes, providenciou a lavagem do carro.
     O nome de Carlos Mosconi apareceu na trama em 2004, durante a CPI do Tráfico de Órgãos.
     Convocado pela comissão, o delegado Célio Jacinto, responsável pelas investigações da Polícia Federal, revelou a existência de uma carta do parlamentar na qual ele solicita ao amigo Ianhez o fornecimento de um rim para atender ao pedido do prefeito de Campanha, por 08 mil reais.
     A carta, disse o delegado, foi apreendida entre os documentos de Ianhez, mas desapareceu misteriosamente do inquérito sob custódia do Ministério Público Estadual de Minas Gerais.
     Carlos Mosconi foi ouvido pelo JUIZ Narciso de Castro e confirmou conhecer Ianhez desde os anos 1970.
     O parlamentar disse “não se recordar” da existência de uma lista de receptores de órgãos da Santa Casa, da qual chegou a ser presidente do Conselho Curador por um período.
     Sobre a MG Sul Transplantes, que fundou e difundiu, afirmou apenas “ter ouvido falar” de sua existência. Declaração no mínimo estranha.
     O registro de criação da MG Sul Transplantes, em 1991, está publicado em um artigo no Jornal Brasileiro de Transplantes (volume 1, número 4), do qual os autores são o próprio Carlos Mosconi, além de Ianhez, Fernandes, Brandão, e Scafi, todos investigados ou réus do processo sobre a máfia de transplantes de Poços de Caldas.
     Procurada por Carta Capital, a assessoria de imprensa de Carlos Mosconi ficou de marcar uma entrevista com o deputado. Até o fechamento desta edição, o parlamentar não atendeu ao pedido da revista.




Resposta do Deputado Carlos Mosconi (PSDB) à reportagem "Um Feliciano piorado na Assembleia mineira."



     POLÍTICA – MINAS GERAIS - Por Redação Carta Capital — publicado 18/04/2013 11h51, última modificação 18/04/2013 11h51
  

     Resposta do Deputado Estadual Mineiro Carlos Mosconi (PSDB) sobre a matéria, publicada na edição 744 de Carta Capital.


     Em resposta à matéria “Um Feliciano piorado na Assembleia Mineira”, publicada na revista Carta Capital da semana passada (nº744), a assessoria de comunicação do Deputado Estadual Mineiro Carlos Mosconi esclarece que este não foi RÉU, PROCESSADO ou sequer INVESTIGADO em nenhum procedimento relativo ao tema tratado na matéria.
     Carlos Mosconi foi apenas Testemunha de Defesa dos Médicos citados no PROCESSO, acreditando na inocência dos mesmos, tendo a convicção que a JUSTIÇA será feita.
     Realmente, o Deputado Carlos Mosconi é pela 4ª vez Presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).
     Anteriormente, foi quatro vezes Deputado Federal, duas vezes Presidente da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados, Relator da Saúde na Assembleia Nacional Constituinte, onde se criou o SUS.
     Foi Secretário de Saúde do Distrito Federal. Também foi Presidente do INAMPS, no governo Itamar Franco, quando propôs e conseguiu sua extinção para prevalecer o SUS.
     Na mesma época, exerceu a função de Secretário Nacional de Assistência à Saúde.
     Em Minas Gerais, presidiu a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig).
     Como professor universitário, lecionou na Faculdade de Medicina de Itajubá e na Escola de Medicina da Unifenas.
     O Deputado Carlos Mosconi é MÉDICO UROLOGISTA, com especialização no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.






Caso Pavesi: - Conselhos de Medicina por unanimidade absolvem médicos.



     POLÍTICA - Por Luís Nassif - Atualizada em 23/04/2014 - 16h26min


     Não existe risco maior para a DEMOCRACIA do que a PARCERIA ESPÚRIA entre PARTIDOS POLÍTICOS e MEMBROS do JUDICIÁRIO. Ou quando JUÍZES, PROMOTORES e MINISTROS de TRIBUNAIS SUPERIORES passam a afiar movidos por preferências partidárias.
     O episódio da tentativa de Espionagem no Palácio do Planalto é exemplo maior.
     A parceria entre Joaquim Barbosa, o ex-Juiz das Execuções Penais de Brasília e a Promotora que pediu a quebra de sigilo prova maior desse comportamento deletério.
     A submissão de Ministros do STF às pressões da mídia, assim como  o papel de dois Procuradores Gerais da República - Antonio Fernando de Souza e Roberto Gurgel - no julgamento da AP 470, prova maior dessa ameaça aos direitos e à democracia.
     Em plano de menor visibilidade, mas tão ameaçador aos direitos quanto os demais episódios, é o que ocorreu em Poços de Caldas, no caso dos transplantes.
     CRIMINALIZOU-SE toda uma COMUNIDADE MÉDICA, permitiu-se toda sorte de abusos por parte de um JUIZ PARCIAL, pelo fato de um dos alvos ser um Deputado do PSDB.
     Admitiu-se até a existência de uma Organização Criminosa atuando ao longo dos anos em uma cidade média, à vista de todos, sem despertar suspeitas.
     Apesar dos ingentes esforços de sua Diretoria para Desmoralizar a Instituição, o CONSELHO FEDERAL de MEDICINA é o ÓRGÃO MÁXIMO do PAÍS para JULGAR PROCEDIMENTOS MÉDICOS.
     Por UNANIMIDADE, o CFM, assim como o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais avalizaram a Conduta dos Médicos Envolvidos no Transplante.
     Não se trata de mera atitude CORPORATIVISTA. Avaliações incorretas sujeitam os avaliadores às penas da lei.
     E o fato da absolvição ser por unanimidade nos dois conselhos, comprova que não havia sombra de dúvida sobre a correção dos procedimentos adotados.






Por unanimidade, CRM de Minas absolveu médicos acusados de VENDA de ÓRGÃOS.





     Carlos Eduardo Cherem - Do UOL, em Belo Horizonte - 14/02/2014 - 19h17min - Atualizado em 15/02/2014 - 11h32min



     Os médicos Cláudio Rogério Carneiro Fernandes e Celso Roberto Frasson Scafi, condenados pela Justiça e presos semana passada em Poços de Caldas (460 Km de Belo Horizonte) pela RETIRADA de ÓRGÃOS do GAROTO PAULO PAVESI, 10, AINDA VIVO, foram absolvidos, junto com mais quatro médicos, no Processo Administrativo a que respondiam no CRM-MG (Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais) pela mesma acusação.
     Os ÓRGÃOS do MENINO TERIAM SIDO VENDIDOS.

     A decisão foi unânime entre os 42 conselheiros que, em plenária em 24 de janeiro, absolveram os profissionais.
     A Justiça pediu a Cassação dos Registros Profissionais desses médicos para que não pudessem exercer a profissão, pois foram Condenados pela Justiça.
     Com a decisão, eles poderão continuar a exercer a profissão.

     Além de Fernandes e Scafi, foram absolvidos pelo conselho, os médicos Félix Herman Gamarra Alcântara, Alexandre Crispino Zincone, Gérsio Zincone.

     Além da CONDENAÇÃO PELA MORTE do GAROTO DE DEZ ANOS, esses médicos foram CONDENADOS em janeiro deste ano PELA MORTE e RETIRADA de ÓRGÃOS PARA a VENDA do PEDREIRO José Domingos de Carvalho.

     De acordo com o CRM-MG, foi elaborado um relatório amplo após análise detalhada da denúncia, dos Prontuários e Depoimentos de Testemunhas.
     Os 42 conselheiros votaram pela absolvição, porque não se constatou que os profissionais INFLIGIRAM o CÓDIGO de ÉTICA.
     "Foi entendido que nos autos não havia prova alguma de irregularidade. O JUIZ se baseia no CÓDIGO PENAL, mas o CRM decide na Esfera Administrativa, com Base no CÓDIGO de ÉTICA”.



Observações do escriba:




     1ª - O CONSELHO FEDERAL DE MERDICINA está acima do SUPREMO TRIBUNAL de JUSTIÇA e acima do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.


     2ª – O CÓDIGO DE ÉTICA MÉRDICA está acima do CÓDIGO PENAL BRASILEIRO.


     3ª – Os médicos brasileiros tem CARTA BRANCA para matar qualquer pessoa, inclusive...

    
     4ª – Os meus BEIJA-FLORES tem que ler com muita atenção o que acabei de escrever para continuarem os seus esclarecimentos e para pedirem desculpas...



     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos supostos ESQUIZOFRÊNICOS MACONHEIROS”. Terça-feira, 28 de agosto de 2018.




                  
            Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.




     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – GOOGLE. (3) – Wikipédia. (4) – Revista Carta Capital. (5) – O Presidente do UNIVERSO. (6) – OS BEIJA-FLORES. (7) – OUTRAS FONTES.

jorge martins
Enviado por jorge martins em 28/08/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras