Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A VONTADE... 'Após uma CONVERSA CELESTIAL, o escriba pede desculpas e presta esclarecimentos ao talentoso escritor Richard D Foxe'. "ABORTO: CIÊNCIA ou RELIGIÃO?". (4ª parte).






A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A VONTADE... ‘Após uma CONVERSA CELESTIAL, o escriba pede desculpas e presta esclarecimentos ao talentoso escritor Richard D Foxe’. “ABORTO: CIÊNCIA ou RELIGIÃO?” – (4ª parte).



    


O CASO.



     Publicado em 20 de outubro de 2016 pelo talentoso escritor Richard D Foxe.

    



O ABORTO É SEMPRE UM CRIME?




    
     No dia 02 de Outubro desse ano, no Pronto Socorro de um hospital público da cidade de Catânia (Sicília) se apresenta uma MULHER de 32 ANOS, ao QUINTO MÊS de GRAVIDEZ.
     Durante os primeiros 15 dias tudo procede normalmente e os médicos constatam que ela está GRÁVIDA de DOIS GÊMEOS.
     De repente o quadro clínico piora: - A GESTANTE é acometida por FORTES DORES ABDOMINAIS e FEBRE ALTA enquanto a PRESSÃO ARTERIAL COLAPSA em continuação.
     Os controles revelam que UM dos FETOS RESPIRA com DIFICULDADE e, se ele NÃO FOR REMOVIDO urgentemente, a MÃE pode vir a ÓBITO.
     No entanto, o MÉDICO de PLANTÃO, CATÓLICO, RECUSA-SE a INTERVIR e, consequentemente, tanto a JOVEM como os DOIS FETOS FALECEM.
     Assim, por motivos eminentemente IDEOLÓGICOS, DOIS SERES HUMANOS que poderiam ter sido salvos, perdem suas vidas.
     Nesse caso o ABORTO seria um CRIME?
     Ou não foi bem mais CRIMINOSA a atitude do MÉDICO?
     Agora, gostaria de perguntar aos ANTIABORTISTAS de PLANTÃO como teriam reagido se aquela mulher tivesse sido a sua esposa, sua filha ou sua irmã.
     Aguardo os comentários…





O COMENTÁRIO.



     Feito pela Senhora Ignez Freitas em 21 de outubro de 2016.



    



    
     Observação: - Foi o 14º comentário. Muito bom esse artigo... São complicadas certas IDEOLOGIAS, mas infelizmente temos que conviver com esse tipo de situação a todo instante.
     Em minha opinião são PESSOAS que NÃO EVOLUÍRAM, ou tem uma MENTE FECHADA!




O CONTRA-COMENTÁRIO.



    

     Feito pelo talentoso escritor Richard D Foxe em 21 de junho de 2018.







     Prezado José Martins, como nesse seu texto se fala extensamente dum meu artigo, citando os comentários e expressando um julgamento sobre as minhas palavras, inclusive criticando o meu pensamento, teria sido mais oportuno e mais ético postar suas críticas diretamente na minha escrivaninha assim que, pelo menos, tomasse conhecimento delas e tivesse como rebater.
     Entrei aqui só por acaso e, se não o tivesse feito, teria passado despercebido. Você teria que esclarecer quem são essas pessoas que não evoluíram ou tem a mente fechada, sendo que isso soa bastante ofensivo!






OS ESCLARECIMENTOS (1ª parte).

    

     Uma reunião de emergência foi CONVOCADA através de um OFÍCIO CIRCULAR procedente de um TÁXI SOLAR, para que QUASE todo o REINO ANIMAL do PLANETA TERRA se reunisse numa enorme PRAÇA muito bem ARBORIZADA e bastante AJARDINADA.
     A PRAÇA em questão tinha “apenas” oito milhões e quinhentos mil quilômetros quadrados aproximadamente. Portanto, quase do tamanho do Brasil. Mas, a PRAÇA não estava situada no Brasil.
     A PRAÇA estava localizada em algum lugar do continente europeu.
     No referido OFÍCIO CIRCULAR, por razões óbvias o REINO VEGETAL não foi convocado, porquanto, a reunião sendo realizada numa PRAÇA ARBORIZADA e belamente AJARDINADA, ficava patente, que o REINO VEGETAL já estava presente.
     Como todos nós sabemos os milhares de troncos das ÁRVORES frondosas, os milhões de caules e folhas das PLANTAS de incontáveis espécies, e, os bilhões de ramos de FLORES multicoloridas, vivem, em perfeita harmonia com o REINO MINERAL.
     Por conseguinte, o dito OFÍCIO CIRCULAR nem de longe fazia referência ao REINO MINERAL. O tal “REINO” também já estava presente. Há de se compreender.  
     O bendito OFÍCIO CIRCULAR era taxativo: - O Reino Animalia, do Filo Chordata, da Classe Mammalia, da Ordem Primates, do Gênero Homo, da Espécie H. Sapiens e da Subespécie H. Sapiens Sapiens está dispensado da presente CONVOCAÇÃO.
     De acordo com a Classificação Taxonômica dos Seres Vivos, outros filos, classes, ordens, gêneros, espécies, etc., também estão dispensados da atual CONVOCAÇÃO.
     Os responsáveis pela escolha final dos participantes que fazem parte da Classificação Filogenética serão feita exclusivamente pelos BEIJA-FLORES.
      Tal decisão CONVOCATÓRIA foi tomada por MIM em comum acordo com os BEIJA-FLORES.            
     Assinatura Principal – O Presidente do Universo.
     Assinatura Secundária – Todos os BEIJA-FLORES.  





BEIJA-FLOR.



    
     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.



CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA



Reino – Animalia.
Filo – Chordata.
Classe – Aves.
Ordem – Apodiformes.
Família – Trochilidae.
Gêneros – Ver texto.
Espécies – Ver texto.



    
     O BEIJA-FLOR, também conhecido como COLIBRI, CUITELO, CHUPA-FLOR, PICA-FLOR, CHUPA-MEL, BINGA, GUANAMBI, GUINUMBI, GUAINUMBI, GUANUMBI e MAINOI, é uma AVE da FAMÍLIA Trochilidae, composta por 108 GÊNEROS e 322 ESPÉCIES conhecidas.
     No Brasil, alguns GÊNEROS recebem outros nomes, como os rabos-brancos do GÊNERO Phaethornis ou os bicos-retos do GÊNERO Heliomaster.
     No sistema classificativo de Sibley & Ahlquist, a FAMÍLIA Trochilidae integrava uma ORDEM própria, a Trochiliformes.
     Entre as características distintivas do grupo contam-se o BICO ALONGADO, a alimentação à base de NÉCTAR, oito pares de costelas, catorze a quinze VÉRTEBRAS CERVICAIS, plumagem iridescente e uma língua extensível e bifurcada.
     O grupo é originário das Américas e ocorre desde o Alasca à Terra do Fogo.
     A maioria das ESPÉCIES é tropical e subtropical, vivendo entre as latitudes 10ºN e 25ºS.
     A maior BIODIVERSIDADE do grupo encontra-se no Brasil e no Equador, que contam com cerca de metade das ESPÉCIES conhecidas de BEIJA-FLOR.
     Os troquilídeos estão ausentes do Velho Mundo, onde o seu Nicho Ecológico é preenchido pela FAMÍLIA Nectariniidae, da ORDEM Passeriformes.




CARACTERÍSTICAS FÍSICAS.



     “Foto: - Beija-flor-de-bico-curvo alimentando FILHOTES”.



     Os BEIJA-FLORES são AVES de PEQUENO PORTE, que medem em média de seis a doze centímetros de comprimento e pesam de dois a seis gramas.
     O BICO é normalmente LONGO, mas o formato preciso varia bastante com a ESPÉCIE e está adaptado ao formato da FLOR que constitui a base da ALIMENTAÇÃO de cada tipo de BEIJA-FLOR.
     Uma característica comum é a LÍNGUA BIFURCADA e EXTENSÍVEL, usada para extrair o NÉCTAR das FLORES.
     O esqueleto e constituição muscular dos BEIJA-FLORES estão adaptados de forma a permitir um vôo rápido e extremamente ágil.
     São as únicas AVES capazes de VOAR em MARCHA-RÉ e de PERMANECER IMÓVEIS no AR.
     O batimento das asas é muito rápido e as ESPÉCIES menores podem bater as asas de 70 a 80 vezes por segundo.
     Em contraste, as patas dos BEIJA-FLORES são pequenas demais para a ave caminhar sobre o solo.
     As FÊMEAS são, em geral, maiores que os machos, mas apresentam coloração menos intensa.
     Vivem, em média, doze anos e seu tempo de incubação é de treze a quinze dias.




COMPORTAMENTO.




     “Foto: - Eupetomena macroura, tesoura. Espécime brasileiro de BEIJA-FLOR em seu NINHO”.



     Tal como a maioria das AVES, o sentido do olfato não está muito desenvolvido nos BEIJA-FLORES.
     A VISÃO, no entanto, é MUITO APURADA. Além de poderem identificar CORES, os BEIJA-FLORES são dos poucos VERTEBRADOS capazes de detectar CORES no Espectro ULTRAVIOLETA.
     A ALIMENTAÇÃO dos BEIJA-FLORES é baseada em NÉCTAR (cerca de noventa por cento) e ARTRÓPODES, em particular MOSCAS e FORMIGAS.
     Os BEIJA-FLORES são POLIGÂMICOS.



     “Foto: - Hylocharis chrysura”.




POLINIZAÇÃO.



     Entre os ANIMAIS que visitam FLORES em busca de ALIMENTO, os BEIJA-FLORES são os mais conhecidos, pelos TONS METÁLICOS da sua PLUMAGEM e a capacidade de VISITAR FLORES PAIRANDO no AR.
     Os BEIJA-FLORES precisam de grandes quantidades de NÉCTAR diariamente, para suprir a ENERGIA necessária ao seu ESVOAÇAR CONTÍNUO.
     O NÉCTAR das FLORES visitadas por BEIJA-FLORES é um ALIMENTO altamente ENERGÉTICO, contendo cerca de vinte por cento de AÇÚCARES, sendo que a quantidade de NÉCTAR disponível varia com o tamanho e tipo de FLOR.
     As FLORES visitadas por BEIJA-FLORES em geral são TUBULOSAS e apresentam CORES VIVAS, com tonalidades que variam do VERMELHO ao ALARANJADO.
     Esse conjunto de cores e formas permite prever que o POLINIZADOR de uma determinada FLOR seja um BEIJA-FLOR. As FLORES da Sálvia e do Cipó-de-São-João representam bem os tipos visitados por BEIJA-FLORES.
     Entretanto, algumas FLORES POLINIZADAS por essas AVES podem ser AZUIS ou BRANCAS, como as de certos CARAGUATÁS.
     Nesse caso, as brácteas ou alguma outra parte da planta apresentam cor avermelhada, que atrai a atenção dos BEIJA-FLORES.
     Alguns BEIJA-FLORES também buscam NÉCTAR em FLORES que são POLINIZADAS por outros tipos de animais, como ABELHAS, BORBOLETAS ou MORCEGOS.
     Quando isso ocorre, nem sempre há um ajuste entre o tamanho e o tipo de FLOR e o tamanho do BICO do BEIJA-FLOR.
     Quando a FLOR é grande demais, pode ocorrer a "PILHAGEM de NÉCTAR". Nesse tipo de visita, o BEIJA-FLOR retira o NÉCTAR sem tocar nas partes REPRODUTIVAS da planta e, portanto, não realiza a POLINIZAÇÃO.
     BEIJA-FLORES pequenos, como o Besourinho-de-Bico-Vermelho são pilhadores habituais.
     Ao visitar as FLORES em busca de NÉCTAR, os BEIJA-FLORES podem adotar dois modos distintos: - Estabelecem territórios ou percorrem rotas alimentares. Os dois modos resultam em diferenças na POLINIZAÇÃO.
     Quando estabelece território, o BEIJA-FLOR transporta PÓLEN entre as FLORES da mesma planta ou de plantas próximas entre si.
     Já a territorialidade, portanto, resulta em menor número de plantas na POLINIZAÇÃO. Na ronda alimentar, por outro lado, o BEIJA-FLOR transporta PÓLEN entre as FLORES de um maior número de indivíduos, distantes entre si, possibilitando assim maior Variabilidade GENÉTICA.




ALIMENTAÇÃO ARTIFICIAL.



     “Foto: - Clytolaema rubricauda, FÊMEA do Rubi-Brasileiro. BEIJA-FLOR comum nas áreas de altitude da Serra da Mantiqueira, no Brasil”.



     Aproveitando a grande necessidade que os BEIJA-FLORES têm de um ALIMENTO ENERGÉTICO de rápida utilização, como o NÉCTAR, que contém CARBOIDRATOS em concentração variável em torno de quinze a 25 por cento, é possível atraí-los para Fontes Artificiais de Soluções Açucaradas, os chamados "BEBEDOUROS" para BEIJA-FLORES.
     Trata-se de recipientes com Corolas Artificiais onde é colocada uma Solução Açucarada cuja concentração recomendada é de vinte por cento.
     Uma crença, que tudo indica foi iniciada a partir de uma Publicação de Autoria do Naturalista Augusto Ruschi, diz que o uso desses BEBEDOUROS, sem a devida manutenção, pode ocasionar DOENÇAS nessas AVES, podendo até MATÁ-LAS.
     Porém não há, na Literatura Ornitológica, nenhum trabalho científico comprovando isto.
     Essa crença tornou-se extremamente difundida na população. A doença à qual Augusto Ruschi se referiu seria a CANDIDÍASE, Infecção Oportunista causada pelo Fungo Cândida albicans, que acometeria a Boca dos BEIJA-FLORES.
     Sendo assim, é aconselhável quando se utiliza de tal artifício para atração de BEIJA-FLORES, por exemplo, em Jardins ou Sacadas, proceder-se aliado à limpeza diária dos BEBEDOUROS e à troca da Solução Açucarada, preparado de preferência com Açúcar Comum, evitando-se a utilização de Mel, Açúcar Mascavo, e demais preparados caseiros, pois, estes possuem uma maior tendência à FERMENTAÇÃO.
     Além disso, é contraindicado o uso da Água Encanada de Rede Pública, pois esta usualmente é tratada com compostos de CLORO ou FLÚOR em dosagens insignificantes para os humanos, mas que nos organismos de AVES de pequeno e médio PORTE caracterizam-se como substâncias acumulativas que prejudicam a saúde destes.
     Havendo a disponibilidade do Alimento Artificial, normalmente os BEIJA-FLORES o procuram complementando, com louvor, seu provimento energético.  
     Esse alimento fornecido auxilia os BEIJA-FLORES, porém alguns cuidados são necessários.
     Em áreas com Desequilíbrio da Vegetação Natural ou mesmo em certos períodos do ano, quando há maior escassez de alimento, os BEIJA-FLORES tendem a se especializar nos BEBEDOUROS.
     A hipótese é que essa fase de especialização pode provocar um Desequilíbrio no Organismo do Animal, Debilitando o seu SISTEMA IMUNOLÓGICO.
     Foi observado, principalmente nestes períodos de escassez, um aumento de doenças nestas AVES, especialmente aquelas provocadas por Fungos.
     Isso provavelmente pode ter origem na carência de alguns nutrientes que normalmente seriam encontrados em Fontes Naturais de Alimento, como o NÉCTAR e ARTRÓPODES.
     Estudos demonstraram que com uma pequena adição de Sal na Dieta Líquida houve um aumento na resistência às doenças, tornando-se rara a presença de aves enfermas.
     Desta forma, além da Troca Diária da Calda Açucarada, é recomendável o acréscimo de uma Pequena Pitada de Sal Comum no preparado, porém evitando-se quantidades excessivas, pois quantidades demasiadas de Sal prejudicam o METABOLISMO dos animais.
     Com relação à Limpeza dos BEBEDOUROS, igualmente, é importante mantê-los longe de insetos como formigas, vespas, baratas etc. Tais insetos, além de competir pelo alimento com os BEIJA-FLORES, carregam parasitas, especialmente fungos que infectam os BEBEDOUROS.
     Um sinal visível da infestação por fungos é o pronto escurecimento do bocal e até Pétalas das Flores Artificiais, logo após a visita dos insetos.
     Sendo assim, é recomendável utilizarem-se modelos de BEBEDOUROS que tenham algum dispositivo limitador de formigas etc., e, ao se notar o Escurecimento das Flores de Plásticos, estas devem imediatamente ser esterilizadas com algum composto clorado (destinado a purificar alimentos como verduras, e "jamais usar produtos comuns de limpeza") e bem enxaguadas antes de serem reutilizadas.



     “Foto - BEBEDOURO, com discos preenchidos de água no alto e na base, para limitar o acesso de insetos”.




     Uma prática condenável é completar o nível dos BEBEDOUROS com mais calda. A presença eventual de alguma AVE doente pode contaminar outros BEIJA-FLORES, através do próprio BEBEDOURO.
     Dessa maneira, particularmente quando o nível do líquido está próximo do fim, aumenta a concentração de possíveis elementos PATOGÊNICOS.
     Ademais, ocorre que no preparado, bactérias rapidamente FERMENTAM o Açúcar Dissolvido, produzindo-se substâncias nocivas às AVES.
     Em avançado processo de FERMENTAÇÃO, é perceptível um característico odor de azedo e, em alguns casos, até um leve aroma alcoólico.
     Para reduzir todos esses riscos, o procedimento correto é diariamente trocar "completamente" a Água Adocicada e Higienizar os BEBEDOUROS.



REPRODUÇÃO.



      “Foto: - Leucochloris albicollis, papo-branco”.


     “Foto: - Phaethornis eurynome, rabo-branco-da-mata”.




     Certas ESPÉCIES, como a Leucochloris albicollis, apreciadora das regiões de altitude da Mata Atlântica, são BASTANTE CANORAS.
     O MACHO desta ESPÉCIE emite um característico e LONGO TRINADO para atrair a FÊMEA e se ACASALAR. É a FÊMEA que constrói o NINHO e cuida da INCUBAÇÃO.
     Normalmente, dura de dezesseis a dezessete dias a eclosão dos DOIS OVOS, que costumam ter a cor branca.
     Até os FILHOTES saírem do NINHO, ainda vai um período de vinte a trinta dias nos quais permanecem sendo ALIMENTADOS pela MÃE.
     O formato do NINHO e material de construção varia de ESPÉCIE para ESPÉCIE, assim como a dimensão dos OVOS.
     A maioria costuma ter o NINHO em forma de tigela utilizando materiais como fibras vegetais, folhas, teias de aranha para dar coesão externa, musgo e líquens. Todos com aparência muito delicada.



     “Foto: - Chlorostilbon lucidus, Verdinho-do-Bico-Vermelho, ANINHADO”.



     Contudo, algumas ESPÉCIES como a Phaethornis eurynome (Rabo-Branco-da-Mata), típica da Mata Atlântica, constroem o NINHO em forma de uma bola ovalada trançada com musgo.
     Assemelha-se a uma rede pendente, porém presa por um único fio (este com cerca de quinze centímetros) no galho de uma planta a cerca de dois metros de altura em média.
     Seu NINHO é revestido com líquens e, sob o calor da INCUBAÇÃO, os OVOS acabam tingidos por eles.
     A entrada é pela lateral, próxima à base. Com esta forma, o NINHO fica fechado por cima e protegido da chuva. Mas devido ao seu diminuto tamanho, curiosamente a longa cauda da FÊMEA pende pelo lado externo.



CONSERVAÇÃO.



     Duas ESPÉCIES de BEIJA-FLOR extinguiram-se no passado recente: - Esmeralda-de-Brace (Chlorostilbon bracei) e Esmeralda-de-Gould (Chlorostilbon elegans).
     Das 322 ESPÉCIES conhecidas, a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais lista nove como "em perigo crítico de extinção", onze como "em perigo" e outras nove como "vulneráveis".
     As maiores ameaças à preservação do grupo são a destruição, degradação e fragmentação de seus habitat.



REFERÊNCIAS CULTURAIS.



     “Foto: - Foto aérea da imagem de BEIJA-FLOR estilizado nas linhas de Nazca no Peru”.


    
     Os BEIJA-FLORES estão representados:


     01 - No brasão de armas e na moeda de um cêntimo de Trinidade e Tobago.

     02 - Nas linhas de Nazca.

     03 - Na CÉDULA de um REAL.

     04 - No símbolo da Prefeitura Municipal de Betim, em Minas Gerais, no Brasil.

     05 - Na música Cuitelinho, do folclore do Pantanal mato-grossense.

     06 - Na música brasileira “Ai que Saudade d'Ocê”.

     07 - Na bandeira e no brasão de Santa Teresa, no Espírito Santo, no Brasil.

     08 - O COLIBRI (mainoi) faz parte das histórias sagradas dos indígenas brasileiros, como relatado no livro mítico Origem da Linguagem (Ayvu Rapyta) dos Guarani. No dia a dia dos Guarani, um COLIBRI circulando um JOVEM CASAL reflete o desejo deles de ter um BEBÊ.


     Observação do escriba: - No vocábulo MAINOI existe um (~) no último i.



CLASSIFICAÇÃO.



ORDENS da CLASSE AVES (segundo Sibley-Ahlquist).



01 - Anseriformes.  
02 - Apodiformes.  
03 - Bucerotiformes.  
04 - Ciconiiformes.
05 - Coliiformes.  
06 - Columbiformes.  
07 - Coraciiformes.
08 - Craciformes.  
09 - Cuculiformes.  
10 - Galliformes.  
11 - Gruiformes.  
12 - Musophagiformes.  
13 - Passeriformes.  
14 - Piciformes.  
15 - Psittaciformes.  
16 - Strigiformes.  
17 - Struthioniformes.  
19 - Tinamiformes.
20 – Trochiliformes.  
21 - Trogoniformes.  
22 - Turniciformes.  
23 - Upupiformes.


     “Foto: - Amazilia fimbriata. Garganta-Verde em pleno vôo”.

     Família Trochilidae Vigors, 1825.  

     Subfamília Phaethornithinae Jardine, 1833. Nesta subfamília existem seis (6) gêneros. Encontra-se disponível na Wikipédia.
     Subfamília Trochilinae Vigors, 1825. Nesta subfamília existem cento e um (101) gêneros. Também se encontra disponível na Wikipédia para os leitores mais curiosos e mais exigentes.



Observações do escriba:



     1ª - Na Wikipédia estão disponíveis apenas três referências sobre os BEIJA-FLORES.
    
     2ª – Após a breve exposição da Wikipédia sobre os BEIJA-FLORES, os mesmos, acatando às recomendações do Presidente do UNIVERSO, resolveram por unanimidade, que do REINO ANIMAL, só ficariam presentes na belíssima PRAÇA apenas a CLASSE das AVES. Os demais ANIMAIS foram convidados a se retirarem. E, os demais ANIMAIS, acataram a decisão final educadamente.    

     3ª – Como o tema ABORTO é um tema muito DELICADO, e, como os BEIJA-FLORES são muito DELICADOS, das 23 ORDENS da CLASSE, apenas os APODIFORMES poderiam participar dos debates seguintes. Outra decisão tomada pelos BEIJA-FLORES.

     4ª - As demais ORDENS apenas participariam como ouvintes. As demais ORDENS das AVES, também acataram com certo alívio às novas orientações. Venhamos e convenhamos. Era uma passarada da gota serena.  

     5ª – Assim, aproximadamente 108 gêneros e 322 espécies de BEIJA-FLORES iriam passar vários dias, ou até semanas, debatendo sobre o problemático ABORTO. Já que o tema é problemático surge o primeiro problema. Como começar o debate? Quem será o líder? É o que veremos na 2ª parte dos ESCLARECIMENTOS.





CATEGORIA:


    
     APODIFORMES.


     Esta página foi editada pela última vez às 04h21min de 16 de maio de 2018.



     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos ESQUIZOFRÊNICOS MACONHEIROS”. Segunda-feira, 27 de agosto de 2018.




                  
            Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.




     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – GOOGLE. (3) – Wikipédia. (4) – O Presidente do UNIVERSO. (5) – OS BEIJA-FLORES. (6) – OUTRAS FONTES.


jorge martins
Enviado por jorge martins em 27/08/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras