Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A ARTE... A VERDADE... A VONTADE... "Não existem doenças. Existem doentes. Alfabeto, Jogo, Música, Números e DEUS". (2ª parte).







A LIBERDADE... A ARTE... A VERDADE... A VONTADE... “Não existem doenças. Existem doentes. Alfabeto, Jogo, Música, Números e DEUS”. (2ª parte).





É PRECISO SABER VIVER – 2º ATO.
    
  






CAETANO VELOSO – FORÇA ESTRANHA.





     Eu vi um menino correndo / Eu vi o TEMPO brincando ao redor / Do caminho daquele menino.


Eu pus os meus pés no RIACHO / E acho que nunca os tirei / O SOL ainda brilha na estrada e eu nunca passei.


     Eu vi a MULHER preparando outra PESSOA / O TEMPO parou pra eu OLHAR para aquela BARRIGA / A VIDA é AMIGA da ARTE.


É a parte que o SOL me ensinou / O SOL que atravessa essa estrada que nunca passou.


     Por isso uma FORÇA me leva a CANTAR / Por isso essa FORÇA ESTRANHA no AR.


Por isso é que eu CANTO, não posso parar / Por isso essa VOZ TAMANHA.


     Eu vi muitos cabelos brancos na fronte do ARTISTA / O TEMPO não pára e, no entanto ele nunca envelhece.


Aquele que conhece o JOGO, do fogo das coisas que são / É o SOL, é o TEMPO, é a estrada, é o pé e é o chão.


     Eu vi muitos homens brigando, ouvi seus gritos / Estive no fundo de cada VONTADE encoberta.


E a coisa mais certa de todas as coisas / Não vale um caminho sob o SOL / E o SOL sobre a estrada, é o SOL sobre a estrada, é o SOL.


     Por isso uma FORÇA me leva a CANTAR / Por isso essa FORÇA ESTRANHA no AR.


Por isso é que eu CANTO, não posso parar / Por isso essa VOZ TAMANHA.


     Por isso uma FORÇA me leva a CANTAR / Por isso essa FORÇA ESTRANHA no AR.


Por isso é que eu CANTO, não posso parar /Por isso essa VOZ, essa VOZ TAMANHA.



     Após terminar a MÚSICA, CANTADA pelos quatro NÚMEROS, o número 4 continuou aplaudindo sozinho durante mais algum tempo. O número 1, o número 2 e o número 3 questionaram: - Ué, número 4. Você está aplaudindo quem?
     Estou aplaudindo os três NÚMEROS que vieram antes de mim que, no caso são vocês, e, também, a VOZ, a MÚSICA, o SOL e a FORÇA ESTRANHA, entre outras coisas. Principalmente a “FORÇA ESTRANHA”.  
     Depois, o número 4 começou a explicar o motivo pelo qual tinha misturado o ALFABETO com os NÚMEROS.
     - Como, por enquanto, não estou muito interessado em falar sobre o número 9 e o número 10, vamos ver a que se referem os oito primeiros NÚMEROS, e o que dizem as oito primeiras LETRAS, ou seja, a parte inicial do nosso ALFABETO, ou vice-versa.  
    
     Analisando a primeiras sete letras (A, B, C, D, E, F e G).
    
     A letra A corresponde a nota MUSICAL Lá. A letra B representa a nota MUSICAL Si. A letra C significa a nota MUSICAL Dó. A letra D é mensageira da nota MUSICAL Ré. A letra E é igual à nota MUSICAL Mi. A letra F é amiga da nota MUSICAL Fá. E finalmente a letra G é companheira da nota MUSICAL Sol.
                  


                  Duas Organizações.    




Dó = C-----------------------------------A = Lá.
Ré = D-----------------------------------B = Si.                                                
Mi = E-----------------------------------C = Dó.
Fá = F-----------------------------------D = Ré.  
Sol = G----------------------------------E = Mi.
Lá = A-----------------------------------F = Fá.
Si = B-----------------------------------G = Sol.  

      

     As SETE primeiras LETRAS do ALFABETO, portanto, correspondem às SETE notas MUSICAIS naturais. Entretanto também existem mais CINCO notas MUSICAIS acidentais que são:    
      
    

                                           Duas Organizações.



Dó Sustenido = C#--------------------------------------A# = Lá Sustenido.
Ré Sustenido = D#--------------------------------------C# = Dó Sustenido.
Fá Sustenido = F#---------------------------------------D# = Ré Sustenido.
Sol Sustenido = G#--------------------------------------F# = Fá Sustenido.  
Lá Sustenido = A#---------------------------------------G# = Sol Sustenido.


     As notas MUSICAIS Mi e Si não têm sustenido. Não confundir NOTA MUSICAL com ACORDE MUSICAL. Um Acorde MUSICAL é feito de várias Notas MUSICAIS.
    Com a colaboração das DOZE Notas MUSICAIS são construídos CENTENAS de Acordes MUSICAIS. Mas, aí é outra história, encerrou o número 4 sobre a parte MUSICAL...
     Mas, o número 4 disse que gostaria de falar mais um pouco sobre o JOGO dos REIS. O número 1, o número 2 e o número 3 concordaram ALEGREMENTE e telepaticamente.  
     O número 4 agradeceu com muito entusiasmo e começou a falar com muita elegância:
     Os TABULEIROS do JOGO de XADREZ, na maioria dos casos são QUADRADOS. E, o quadrado tem quatro lados. Tem o lado número 1, o lado número 2, o lado número 3 e o lado número 4.    
   O número 4 pegou o tabuleiro e arrumou as peças direitinhas, colocando-as nos lugares corretos e dizendo o nome de cada peça. – Peão, Torre, Cavalo, Bispo, Rainha e Rei. Cinco peças com formatos diferentes e tamanhos diferentes. O famoso e lento Rei é a peça mais alta e também a mais valiosa.    
     Depois de arrumado as peças no tabuleiro do JOGO dos REIS, o número 4 disse: - Os lados mais importantes são o lado número 1 e o lado número 3, pois sãos os lados onde ficam sentados os JOGADORES. Um defronte ao outro.


Observações do escriba:


     1ª - As operações (4 – 1 = 3), (4 – 2 = 2), e 4 – 3 =1), foram intencionalmente omitidas pelo número 4, pois, segundo ele, a SUBTRAÇÃO é uma operação aritmética muito negativa. A DIVISÃO ainda é suportável, mas a SUBTRAÇÃO ele não gosta.  Gosto não se discute.
     Sobre a operação 4 – 4 = 0, aí é que ele não pode falar mesmo. Segundo o número 4 ele dá muito azar... Superstição?  
    
     2ª – O número 1 ficou muito curioso ao saber da existência dos números 5, 6, 7, 8, 9 e 10. Aguardou com muita atenção as novas explanações do número 4 e depois faria algumas perguntas a ele.


     De mais a mais, o TABULEIRO de XADREZ além de ser quadrado todas as 64 casas, também são quadrados, ou seja, tem quatro lados, com os números 1, 2, 3 e o número 4. Durante o jogo cheio de quadrados todos os quatro lados são usados.
     O número 64 (que é o total de número de casas do TABULEIRO do JOGO dos REIS), dividido pelo número 2 é igual ao número 32, que corresponde ao total do número de peças dos dois JOGADORES. Já o número 32 dividido pelo número 2 é igual ao número 16 que corresponde ao número de peças de cada JOGADOR. E, o número 16 dividido novamente pelo número 2 é igual ao número 8, o número mais importante para continuarmos com o nosso trabalho.  
     E enfatizou: - Existe o número 1, o número 2, o número 3 e o número 4 que somos nós aqui reunidos. O número 4 + o número 1 = ao número 5. O número 4 + o número 2 = ao número 6. O número 4 + o número 3 = ao número 7. E o número 4 + outro número 4 é igual ao número 8, disse com certo orgulho.  
     Certamente tais conhecimentos ele ficou sabendo com DEUS na Santa Paz Celestial. Mas, conforme prometido, ele não poderia revelar sua conversa com o DIVINO.      
      Mas, segundo o DIVINO, os demais números não tinham sido CRIADOS por ELE. ELE só tinha CRIADO o número 1, o número 3 e o número 4. Isto o número 4 não falava. Ele apenas pensava baixinho, por causa da telepatia.
     Na frente dos demais números, número 4 me apresentou aos demais números. Este é um amigo meu que é escriba e consegue falar com a gente. Passou-me a palavra...  
       ...Alguns ENXADRISTAS e até mesmo muitos MATEMÁTICOS de prestígio comparam o JOGO de XADREZ a uma ARTE. Um ENXADRISTA de altíssimo nível poderia ser considerado um ARTISTA? Não penso assim.
     Mesmo que alguém em algum momento venha a considerar o JOGO dos REIS uma ARTE, ela será uma ARTE inferior à MÚSICA. Sempre será. Pelo menos para mim. Peço desculpas, aos NÚMEROS e a todos os ENXADRISTAS.
     Peço desculpas às duas TORRES, aos dois CAVALOS, aos dois BISPOS ao REI e principalmente à RAINHA (que aliados aos oito PEÕES totalizam as restantes oito PEÇAS de um JOGADOR) – oito PEÕES + duas TORRES + dois CAVALOS + dois BISPOS + uma RAINHA + um REI = 16 peças.
     O JOGO de XADREZ é conhecido como JOGO dos REIS. Poderia ser chamado de JOGO das RAINHAS?
     Vejamos a aritmética ou matemática – Um PEÃO tem o valor do número 1. Um CAVALO tem o valor do número 3. Um BISPO tem o valor do número 3. Uma TORRE tem o valor do número 5. Uma RAINHA tem o valor do número 9. O REI tem o valor indeterminado. Na verdade o REI tem o valor zero. Eita bichinho preguiçoso, disse eu!
     Todas as PEÇAS trabalham para defendê-lo, inclusive e principalmente a mais poderosa delas que é a RAINHA. Se chamarem de “JOGO das RAINHAS” não terá muita importância. Só que o JOGO de DAMAS ficará com um pouco de ciúme... Com o passar dos tempos as tradições e os costumes mudam lentamente. Então...    
     Talvez, por esta razão, o JOGO dos REIS é mais conhecido como JOGO de XADREZ. Todas as PEÇAS trabalham principalmente a poderosa RAINHA. Geralmente, é somente no final das partidas que o REI dá aqueles passinhos curtinhos. Prá casa vizinha ou prá casa da vizinha...
     Como um PEÃO tem o valor do número 1, se somarmos o valor dos oito PEÕES chegaríamos ao valor do número 8. Um valor menor do que o valor de apenas UMA RAINHA, cujo valor é o número 9!  
     E ainda, no presente texto, peço desculpas por ter abusado do “erudito” NÚMERO 4, pois, (4 + 4) = ao NÚMERO 8, que é o total de PEÕES de um dos JOGADORES no JOGO dos REIS. Assim:


Jogador nº 1---------------------------------16 peças.

Um peão = ao número 1-----------------------oito peões = nº 8.        
Um cavalo = ao número 3---------------------dois cavalos = nº 6.
Um bispo = ao número 3----------------------dois bispos = nº 6.
Uma torre = ao número 5---------------------duas torres = nº 10
Uma rainha = ao número 9--------------------uma rainha = nº 9.  
Um rei = valor indeterminado------------------um rei = nº indeterminado.
Total = ao número 21-------------------------Total = 39  
    







Jogador nº 2-------------------------------------16 peças.

Um peão = ao número 1-------------------------oito peões = nº 8.        
Um cavalo = ao número 3-----------------------dois cavalos = nº 6.
Um bispo = ao número 3-------------------------dois bispos = nº 6.
Uma torre = ao número 5------------------------duas torres = nº 10
Uma rainha = ao número 9-----------------------uma rainha = nº 9.  
Um rei = valor indeterminado---------------------um rei = nº indeterminado.
Total = ao número 21---------------------------Total = 39.  


Jogador nº 1----------------------Total = 21 + 39 = nº 60.
Jogador nº 2----------------------Total = 21 + 39 = nº 60.

Jogador nº 1 + Jogador nº 2 = 42 + 78 = 120.


Um cavalo + outro cavalo = 6.
Um bispo + outro bispo = 6.
Uma torre + outra torre = 10.
Uma rainha = 9.
Um rei = valor indeterminado
Um peão vezes oito peões = 8 (1 x 8 = 8) ou  
Um peão + sete peões = 8 (1 + 7 = 8) ou
Quatro peões + quatro peões = 8 (4 + 4 = 8).
O que é importante é que um número 4 + outro número 4 é igual ao número 8.

     O número 1 ainda insistiu com o número 4. Como você ficou sabendo da existência dos outros números? O número 4, às vezes olhava pro CÉU às vezes olhava pra mim. Às vezes olhava pra mim e depois olhava pro CÉU. Finalmente o número 4 disse: - Quem me falou dos outros NÚMEROS foi o escriba disse ele sorrindo. Eu tive de responder:  

     - Foi através da LEITURA que descobri o valor de vocês, o valor do número 4, o valor dos outros NÚMEROS e a história do JOGO de XADREZ ou JOGO dos REIS. Então comecei a ler um LIVRO...





O HOMEM QUE CALCULAVA.



     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.




     O Homem que Calculava: - Aventura (s) de um singular calculista persa é um romance Infanto-Juvenil do fictício escritor Malba Tahan (heterônimo do professor brasileiro Julio César de Mello e Souza), que narra as aventuras e proezas matemáticas do calculista persa Beremiz Samir na Bagdá do século XIII.
     Foi publicado pela primeira vez em 1938 e já chegou a sua 80ª edição.
     A narrativa, dentro da paisagem do mundo Islâmico Medieval, trata das peripécias MATEMÁTICAS do protagonista, que resolve e explica de modo extraordinário, diversos problemas, quebra-cabeças e curiosidades da MATEMÁTICA.
     Inclui, ainda, lendas e histórias pitorescas, como, por exemplo, a lenda da origem do JOGO de XADREZ e a história da filósofa e MATEMÁTICA HIPÁTIA de ALEXANDRIA.
     Sem ser um livro DIDÁTICO, tem, contudo, uma forte tonalidade MORALISTA.
     Por isso, o livro é indicado como um LIVRO PARADIDÁTICO em vários países, tendo sido citado na Revista Book Report e em várias publicações do gênero.
     A obra foi traduzida para o espanhol, o português, o inglês, o italiano, o alemão e o francês.



PERSONAGENS PRINCIPAIS.



     01 - Hank Tade-Maiá - Ele conta a história e é amigo de Beremiz.
     02 - Beremiz Samir - O homem que Calculava. Protagonista.
     03 - Ibrahim Maluf el Barad - Grão-vizir protetor de Beremiz.
     04 - Telassim - Filha de 17 anos do poeta Iezid Abul Hamid.
     05 - Al-Motacém - O califa Al-Musta’sim Billah (1242-1258 AD) de Bagdá.



ENREDO.


     Viajando de Samarra a Bagdá, Hank Tade-Maiá, o narrador da história, encontra Beremiz Samir, um singular personagem que se revela ser um fabuloso calculista da Pérsia.
     Eles decidem viajar juntos para Bagdá e ainda no trajeto Beremiz dá mostras de sua extraordinária habilidade com os cálculos.
     Em Bagdá, Beremiz rapidamente torna-se famoso e muito requisitado tanto por pessoas comuns quanto por nobres, despertando a simpatia de uns e a inveja de outros.
     Emprega-se como secretário do Grão-vizir Ibrahim Maluf, enquanto que Tade-Maiá fica como escriba deste mesmo ministro.
     Beremiz aceita também a tarefa de ensinar a MATEMÁTICA à filha do poeta Iezid, travando conhecimento com Telassim, sua futura esposa.
     Até mesmo o califa ouve falar de Beremiz e concede-lhe uma audiência.
     O califa fica encantado com a argúcia do calculista, elogiando-o.
     Para testar definitivamente a capacidade de Beremiz, o califa prepara, então, uma audiência onde o calculista seria interrogado por sete sábios.
     Tendo respondido brilhantemente todas as provas, Beremiz, como recompensa, pede em casamento a mão de Telassim, por quem havia se apaixonado.
     Beremiz casa-se com Telassim e, se convertido ambos ao Cristianismo, tendo três filhos, mudam-se juntamente com o amigo Tade-Maiá para Constantinopla na Turquia.



FRASES.



     Ingrato é aquele que esquece a PÁTRIA e os AMIGOS de INFÂNCIA, quando tem a FELICIDADE de encontrar na VIDA, o OÁSIS da PROSPERIDADE e da FORTUNA.



RECEPÇÃO da CRÍTICA.



     MONTEIRO LOBATO classificou este livro como: - “… OBRA que ficará a salvo das VASSOURADAS do TEMPO como a melhor expressão do binômio ‘CIÊNCIA-IMAGINAÇÃO’."



PRÊMIOS.



     Em 1972, o livro foi premiado pela Academia Brasileira de Letras. Na ocasião em que era lançada sua 25ª edição.



     Observação do escriba: - Na Wikipédia estão disponíveis apenas cinco notas.  



CATEGORIAS:




Livros de MATEMÁTICA.
Livros Infanto-Juvenis do Brasil.
Livros de 1939.
Livros de Malba Tahan.


     Esta página foi editada pela última vez às 13h04min de 27 de setembro de 2017.


    


     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Sexta-feira, 25 de maio de 2018.




                  
            Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.




     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Wikipédia. (3) – LIVRO – Xadrez Para Principiantes – Josej Doubek – Tradução – Harald Gollnow – 13ª edição – 1982 – Ediouro Publicações S/A – Páginas 52 e 53 – (100 páginas). (4) – OUTRAS FONTES.

     (Fim do 2º ATO).


    
jorge martins e Caetano Valoso.
Enviado por jorge martins em 25/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras