Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VONTADE... "Estou na MOLDÁVIA, acompanhado de oito BEIJA-FLORES, PESQUISANDO OZONIOTERAPIA". Aqui a IURD é MUDA! (IV e última parte).





A LIBERDADE... A VONTADE... “Estou na MOLDÁVIA, em companhia de oito BEIJA-FLORES, PESQUISANDO OZONIOTERAPIA”. Aqui a IURD é MUDA! (IV e última  parte).




11ª parte.





A OZONIOTERAPIA.




     O GÁS OZÔNIO foi descoberto em 1840 pelo PESQUISADOR ALEMÃO Dr. Christian Friedrich Schoenbein, que observou um odor característico quando o OXIGÊNIO era submetido a uma DESCARGA ELÉTRICA, e pela freqüência sistemática com que isto ocorria, o chamou de “ozein”, que em grego significa “aquilo que cheira”.  
     Em 1857, o FÍSICO Dr. Werner Von Siemens, desenvolveu o Gerador de Alta Freqüência, aparelho que forma o GÁS OZÔNIO através de DESCARGAS ELÉTRICAS em ÁTOMOS de OXIGÊNIO.

    
     “Foto: - Do Gerador de Alta Frequência”.


      A OZONIOTERAPIA MÉDICA é utilizada desde o século XIX, e os primeiros estudos foram desenvolvidos na ALEMANHA.
     Inicialmente o tratamento era utilizado para combater a ação de bactérias e germes na pele humana.
     Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) MÉDICOS ALEMÃES e INGLESES utilizaram o OZÔNIO para o tratamento de FERIDAS em soldados, conforme já publicado na revista THE LANCET, nos anos 1916 e 1917.
     Erwin Payr, importante CIRURGIÃO AUSTRÍACO, professor em Leipzig, experimentou o tratamento com OZÔNIO por seu DENTISTA, E. A. Fisch, e em 1935 apresentou uma publicação de 290 páginas intitulada "O TRATAMENTO com OZÔNIO na CIRURGIA". E este foi o início da OZONIOTERAPIA que conhecemos hoje.
     A ausência de materiais adequados, resistentes à oxidação - como plásticos para aplicação local de OZÔNIO em FERIDAS, ou INSUFLAÇÃO RETAL do GÁS - tornava sua utilização complicada, razão pela qual foi durante um tempo esquecida.
     Hans H. Wolff dedicou sua vida à pesquisa e aplicação do OZÔNIO e em 1979, um ano antes de sua morte, publicou seu livro "O OZÔNIO MEDICINAL" onde apresenta sua pesquisa e prática MÉDICA do uso do OZÔNIO.
     Ele fundou a SOCIEDADE MÉDICA ALEMÃ de OZÔNIO, posteriormente renomeada Sociedade MÉDICA para Aplicação Preventiva e Terapêutica do OZÔNIO.
     Particularmente o conhecimento da aplicação MÉDICA do OZÔNIO difundiu-se pela Europa, e ganhou grande aderência nos países do leste europeu, particularmente na RÚSSIA.
     Pelo estreito contato tecnológico com a RÚSSIA, CUBA passou a desenvolver também sua experiência com o uso do OZÔNIO, e hoje detém a maior experiência em sistema público de saúde com 35 Centros Clínicos de OZONIOTERAPIA, além de Unidades Hospitalares e o maior centro de pesquisa básica e ensaios BIOLÓGICOS de OZÔNIO.
    Hoje também o OZÔNIO está sendo desenvolvido em outros países, como no CANADÁ, MÉXICO, e alguns estados NORTE-AMERICANOS e países da Ásia como CHINA, MALÁSIA e CORÉIA.
     No BRASIL, o MÉDICO Heinz Konrad iniciou a prática em 1975, na sua Clínica em SÃO PAULO, e com ela trabalha até hoje.
     Em meados dos anos 90 o Dr. Edison de Cezar Philippi (in memorian) introduziu a prática em SANTA CATARINA e difundiu a OZONIOTERAPIA em inúmeros cursos e congressos.



VIAS de APLICAÇÃO da OZONIOTERAPIA.




     Muitas décadas da experiência e estudos clínicos recentes mostraram que os seguintes métodos da aplicação são válidos para a OZONIOTERAPIA.

     01 - Aplicação sistêmica via endovenosa de OXIGÊNIO-OZONIOTERAPIA ou AUTO-HEMOTERAPIA Maior: - Tratamento externo do SANGUE do paciente, seguido de reinfusão por Via Endovenosa. O OZÔNIO reage completa  e imediatamente com substâncias específicas nos glóbulos vermelhos e brancos do SANGUE, e no PLASMA, e desse modo ativa o seu metabolismo.

     02 - Aplicação sistêmica autóloga ou  AUTO-HEMOTERAPIA Menor com OZÔNIO: - É uma aplicação, através da Via Intramuscular, com  SANGUE OZONIZADO.

     03 - Aplicação  tópica:  - Requer um sistema fechado de circulação do OZÔNIO e um sistema de sucção conectado a um catalisador de OZÔNIO. Uma parte do corpo, por exemplo, uma perna, é colocada dentro de um bag, feito de material OZÔNIO-RESISTENTE, cujas bordas são vedadas junto à pele.

     Observação do escriba: - Deixando de lado o elitismo do MEDICINÊS, aplicação TÓPICA significa uma aplicação LOCAL. Por exemplo: - A aplicação em feridas nas pernas. Pode ser em forma de azeite ozonizado, etc. É bem melhor do que, por exemplo, AMPUTAR um PÉ DIABÉTICO. Eu estou aqui apenas repassando informações de fontes seguras. Os leitores também pesquisem e depois decidam. Nos dias atuais, é sempre recomendável ter a opinião de mais de um médico.    


     04 - Água bidestilada OZONIZADA e azeite OZONIZADO: - É a aplicação tópica de água bidestilada ou de azeite previamente OZONIZADO, diretamente sobre áreas afetadas da pele.

     05 - Insuflação retal: - É uma Via Sistêmica onde o OZÔNIO é absorvido diretamente pela mucosa intestinal.

     06 - Aplicação intra-articular, para-vertebral, intra-discal: - O OZÔNIO MEDICINAL é injetado diretamente dentro do espaço articular, na musculatura para-vertebral ou no espaço intra-discal. Este procedimento requer treinamento especial do MÉDICO OZONIOTERAPEUTA.


     IMPORTANTE: - Inalar OZÔNIO é absolutamente proibido e altamente perigoso. Esta é a única via de aplicação do OZÔNIO que não pode ser utilizada de maneira nenhuma.

     A OZONIOTERAPIA é um procedimento MÉDICO e, como tal, deve ser feita exclusivamente por um profissional qualificado, devidamente treinado e experiente. As informações fornecidas neste site são meramente informativas, com objetivo de esclarecer e não substituir a relação que existe entre um paciente/visitante a este site e seu MÉDICO. As informações fornecidas não substituem avaliação MÉDICA pessoal.


    



Observações do escriba:


     1ª – O guitarrista e cantor PEPEU GOMES realizava e ainda deve realizar a chamada AUTO-HEMOTERAPIA Maior, conforme consta na Revista VEJA (abril de 2010).

     2ª – O atleta e ciclista LANCE ARMSTRONG fazia e ainda deve fazer a OZONIOTERAPIA através da Insuflação Retal, conforme depoimento do Dr. Lair Ribeiro em um vídeo, com o objetivo complementar de tratar o CÂNCER no TESTÍCULO.

     3ª – O lutador Moldavo ION CUTELABA, provavelmente deve ter feito a aplicação da OZONIOTERAPIA intra-articular (ombro) na MOLDÁVIA, pois, na maioria dos países do leste europeu a OZONIOTERAPIA é corriqueira (novembro de 2017).

     4ª – A Resolução CFO 166/2015, datada de 24 de novembro de 2015 RECONHECEU e REGULAMENTOU o uso da OZONIOTERAPIA pelos CIRURGIÕES-DENTISTAS.

     5ª – Portanto, segundo a Resolução do CONSELHO FEDERAL de ODONTOLOGIA - CFO, a partir de 24 de novembro de 2015, o uso e a prática da OZONIOTERAPIA, deixou de ser uma exclusividade da arrogante classe médica. O prepotente ATO MÉDICO foi pras “cucuias”.  

     6ª – Segundo consta no LIVRO “VETERINÁRIA PRÁTICA”, escrito e publicado em 1951 (2ª edição), pelo PROFESSOR e MÉDICO VETERINÁRIO Argentino Doutor OSVALDO A. ECKELL, a AUTO-HEMOTERAPIA era usada corriqueiramente em animais de diversificadas espécies e variados portes, e, indicada no tratamento de muitas enfermidades.

     7ª – Segundo consta do 2º DVD gravado pelo saudoso Doutor LUIZ MOURA – “AUTO-HEMOTERAPIA – Conversa com Dr. LUIZ MOURA” – (vídeo produzido em 2004) – Doutor LUIZ MOURA afirma, com muita simplicidade, mas, com muita convicção, que a AUTO-HEMOTERAPIA além de ser usada em seres humanos, TAMBÉM é usada em MEDICINA VETERINÁRIA.        

     8ª – Posteriormente foi divulgado em um dos programas da Rede Globo de Televisão, chamado GLOBO RURAL que a AUTO-HEMOTERAPIA, realmente é usada em MEDICINA VETERINÁRIA. No referido programa um PROFESSOR e MÉDICO VETERINÁRIO, aparece realizando a AUTO-HEMOTERAPIA em uma vaca.

     9ª – Nos dias atuais, a OZONIOTERAPIA voltou também com maior empenho a ser utilizada pelos MÉDICOS VETERINÁRIOS, em animais de pequeno porte.

     10ª – THE LANCET - Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre. The Lancet é uma REVISTA CIENTÍFICA sobre MEDICINA publicada semanalmente e com REVISÃO por PARES. É uma das mais ANTIGAS e conhecidas REVISTAS MÉDICAS do MUNDO e descrita como uma das MAIS PRESTIGIADAS.
     É publicada pela Elsevier no Reino Unido pelo Lancet Publishing Group. O periódico foi fundado em 1823 pelo CIRURGIÃO e membro do parlamento inglês Thomas Wakley (1795 - 1862), que se manteve como editor até a velhice, auxiliado e sucedido por um de seus filhos.
     Em 2014, no Journal Citation Reports, The Lancet foi classificada em segundo lugar dentre as REVISTAS MÉDICAS (fator de impacto 45), atrás apenas do The New England Journal of Medicine (fator de impacto de 56).
  

CATEGORIAS:


JORNAIS do REINO UNIDO.
REVISTAS CIENTÍFICAS de MEDICINA.
PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA REVISTA por PARES.


     Esta página foi editada pela última vez às 22h06min de 27 de fevereiro de 2016.


     11ª – Contra fatos e fotos convincentes não existem argumentos.

    


  



12ª parte.





O Parecer CFM nº 12/2007, é anencéfalo, desinformante, desumano, incompetente, irresponsável e GENOCIDA.


     O médico Dr. LUIZ MOURA gravou dois DVDs sobre Medicina e Saúde. No 1º DVD ele aborda mais a BIOENERGÉTICA ou ENERGIA ORGÔNICA ou ENERGIA VITAL e fala muito pouco sobre a AUTO-HEMOTERAPIA. O 1º DVD teve muito pouca repercussão sobre a opinião pública.
     Os produtores do 1º DVD resolveram então fazer uma segunda entrevista, o que deu origem ao 2º DVD.
     No 2º DVD, o médico Dr. LUIZ MOURA fala muito sobre a AUTO-HEMOTERAPIA, menciona a IMUNOTERAPIA (por causa do trabalho científico do professor e médico Dr. RICARDO VERONESI) fala dos benefícios do CLORETO de MAGNÉSIO, fala sobre o ESTIMAMIZOL, o ASCARIDIL e o CLORIDRATO de LEVAMISOL, cita o uso da AUTO-HEMOTERAPIA na MEDICINA VETERINÁRIA e fala muito pouco sobre a BIOENERGÉTICA ou ENERGIA ORGÔNICA ou ENERGIA VITAL.
     Em momento algum Dr. LUIZ MOURA menciona a OZONIOTERAPIA.
     No entanto, os pareceristas foram alertados para dois tipos de OZONIOTERAPIAS também conhecidas como AUTO-HEMOTERAPIA Maior e AUTO-HEMOTERAPIA Menor.
     No 1º caso (AUTO-HEMOTERAPIA Maior) é preciso ser realizada a AUTO-HEMOTRANSFUSÃO, e, concluída a prática da OZONIOTERAPIA através da Via INTRAVENOSA. No 2º caso (AUTO-HEMOTERAPIA Menor) é preciso ser realizada a AUTO-HEMOTRANSFUSÃO, e, concluída a prática da OZONIOTERAPIA através da Via INTRAMUSCULAR.
     Então a palavra de ordem foi sentar a bordoada em todas as terapias alternativas e/ou complementares, principalmente as que envolvessem o uso do próprio SANGUE.
     Só não levou cacetada foi a BIOENERGÉTICA, ENERGIA ORGÔNICA ou ENERGIA VITAL, por uma razão muito simples. Sobre este assunto os pareceristas não são somente anencéfalos. Eles não têm nem sequer a cabeça. Eles só têm tronco e membros.  
     O 2º DVD foi produzido para ser vendido em larga escala (eu ganhei de presente o 2º DVD para estudá-lo e dar a minha opinião a pedido de amigos conhecidos), e ainda o tenho guardado.
     Pouco tempo depois, alguém colocou o DVD disponível na INTERNET. Acenderam um rastilho de PÓLVORA... Em pouco tempo a prática da AUTO-HEMOTERAPIA transformou-se numa BENÉFICA EPIDEMIA, que poderia aliviar, deter ou curar definitivamente várias enfermidades, algumas delas tidas como intratáveis ou incuráveis. Era uma afronta à bilionária INDÚSTRIA FARMACÊUTICA e à pseudo COMUNIDADE CIENTÍFICA.
     Forças poderosíssimas entraram em ação para impedir sua prática. E conseguiram em parte. Na realidade tem muita gente fazendo às escondidas. Aos poucos a cancela está se abrindo para passar um touro. Depois passará a tourada inteira. Dois garrotes já passaram e eles nem perceberam...
     Tentando desqualificar a AUTO-HEMOTERAPIA, veremos a seguir o que diz o parecer anencéfalo e desumano do CFM, sobre a OZONIOTERAPIA, um tema sobre o qual o Dr. LUIZ MOURA não fez nenhum comentário.    





AUTO-HEMOTERAPIA COM SANGUE TRATADO POR ALGUM AGENTE QUÍMICO OU FÍSICO.


Outros procedimentos designados como AUTO-HEMOTERAPIA constam da administração de SANGUE VENOSO submetido à ação de algum AGENTE QUÍMICO ou FÍSICO (OZÔNIO, RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA, etc.), por via intravenosa, intramuscular ou subcutânea.
     Destes, o método mais usado, denominado em língua inglesa de OZONATED AUTOHEMOTHERAPY (O3-AHT) ou, aproximadamente, AUTO-HEMOTERAPIA com OZÔNIO, consta da administração de SANGUE OZONIZADO por via intravenosa (AHT Major) ou AUTO-HEMOTERAPIA MAIOR (AHT-M), por infiltração ou por via intramuscular (AHT Minor), ou AUTO-HEMOTERAPIA MENOR (AHT-m) de acordo com Gracer e Bocci (2005).
     Neste contexto, a AUTO-HEMOTERAPIA é utilizada para a administração de OZÔNIO, um ‘FÁRMACO’ com PRETENSA ação TERAPÊUTICA BENÉFICA, notadamente sobre DOENÇAS DEGENERATIVAS CRÔNICAS, alguns TRANSTORNOS IMUNOLÓGICOS (Di Paolo, Gaggiotti e Galli, 2005) e PROCESSOS INFECCIOSOS RESISTENTES (Biedunkiewicz, Tylicki, Racho net al. 2004).
     Na técnica de AUTO-HEMOTERAPIA (AHT) Major com OZÔNIO, 50 a 100 ml de SANGUE são retirados do PACIENTE, misturados a uma dose de OZÔNIO-OXIGÊNIO de concentração predeterminada e então DEVOLVIDO pelo mesmo CATETER INTRAVENOSO ao mesmo PACIENTE.
     Na AUTO-HEMOTERAPIA Minor, 10 ml de SANGUE VENOSO é administrado por VIA INTRAMUSCULAR, após OZONIZAÇÃO.
     Uma técnica chamada OZONIZAÇÃO e OXIGENAÇÃO EXTRACORPÓREA de SANGUE (Extracorporeal blood oxygenation and ozonation ou EBOO) têm permitido a administração de SANGUE OZONIZADO por CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA (Di Paolo, Gaggiotti e Galli, 2005, Gracer e Bocci, 2005).
     Outras vias de administração de OZÔNIO têm sido empregadas, até mesmo por meio de INSUFLAÇÕES RETAIS, como assinalam Hernandez Rosales et al. (2005).
     Para Tilicki et al (2003), a AUTO-HEMOTERAPIA com OZÔNIO é usada como uma ABORDAGEM MÉDICA COMPLEMENTAR no TRATAMENTO de TRANSTORNOS VASCULARES, como a ISQUEMIA ATEROSCLERÓTICA dos MEMBROS INFERIORES, embora outras doenças tenham sido abordadas por essa TERAPIA.
     Di Paolo, Gaggiotti e Galli (2005), assinalam que a EBOO apresenta grande potencial em pacientes com DOENÇA ARTERIAL PERIFÉRICA GRAVE, DOENÇA CORONARIANA, cholesterol embolism, dislipidemia grave, doença de Madelung e surdez súbita de origem vascular.
     No entanto, relatos isolados dão conta do uso desse procedimento em outras doenças, inclusive ASMA (Hernandez Rosales et al., 2005).
     Há escassos relatos na literatura de uma modalidade de AUTO-HEMOTERAPIA na qual o SANGUE é irradiado com RAIOS ULTRAVIOLETA. (Kadiev, Alekseev, Novitskaia et al., 1990, Lur'e, Alekseev e Kadiev, 1986).
     A AUTO-HEMOTERAPIA com OZÔNIO não parece ser procedimento de mesma índole do que aquele onde simplesmente se retira SANGUE da VIA INTRAVENOSA para administrá-lo no MÚSCULO.
    
    
     Observação do escriba: - Realmente não é da mesma índole. A AUTO-HEMOTERAPIA com OZÔNIO é uma AUTO-HEMOTERAPIA artificial na qual se usa um “FÁRMACO” (o O3), se usa um EQUIPAMENTO para a produção do “FÁRMACO” (o O3), e necessita de uma DESCARGA ELÉTRICA, para transformar o OXIGÊNIO (O2) em OZÔNIO (O3).
     Já a AUTO-HEMOTERAPIA propriamente dita é uma AUTO-HEMOTERAPIA natural. Basta uma seringa e uma agulha. Simples. Simples assim.


     Neste caso a discussão crítica deveria incidir sobre efeitos e conseqüências da OZONIZAÇÃO do SANGUE, o que não parece pertinente neste parecer.

    
     Observação do escriba: - Porque não é pertinente neste parecer? Por que não sabem o mecanismo de ação ou por que não podem dizer?

    
     É descrita também a PROLOTERAPIA com SANGUE OZONIZADO (Gracer e Bocci, 2005).
     Fica evidente que esses procedimentos são distintos em face de seus pretensos mecanismos de ação.
     Na OZONIOTERAPIA por AUTO-HEMOTRANSFUSÃO, o AGENTE TERAPÊUTICO é o OZÔNIO, que deve ser reconhecido, então, como um FÁRMACO, visto que é a SUBSTÂNCIA ATIVA do procedimento TERAPÊUTICO em apreço.


Observações do escriba:


     1ª – Ué! Acabou?

     2ª - O vocábulo FÁRMACO nos lembra FARMACOPÉIA, FARMACOLOGIA e principalmente INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS.

     3ª – Na época em que foi elaborado o parecer (2007), os pareceristas já deviam ter conhecimento de que no BRASIL já eram fabricados EQUIPAMENTOS para a produção de OZÔNIO MEDICINAL, e que, tais EQUIPAMENTOS são devidamente CERTIFICADOS pela ANVISA.

     4ª – Os pareceristas não disseram SIM e nem disseram NÃO. Disseram: - Talvez. Em outras palavras ficaram em cima do muro... Mexer com um “FÁRMACO”, no caso o OZÔNIO (O3)? Nem pensar!




OZONIOTERAPIA POR AUTO-HEMOTRANSFUSÃO.


    
     Escassos ensaios clínicos de OZONIOTERAPIA por AUTO-HEMOTRANSFUSÃO apresentaram resultados positivos, como o de Di Paolo, Bocci, Salvo et al. (2005), que compararam a EBOO com PROSTACICLINA no TRATAMENTO de DOENÇA ARTERIAL PERIFÉRICA.
     Embora nenhum parâmetro de permeabilidade arterial tenha se modificado, eles relataram melhora das LESÕES CUTÂNEAS, alegando que deveria haver um mecanismo diferente para justificar tal ação visto que não foram demonstradas alterações na circulação arterial.
     Outro estudo clínico com resultados positivos, mas apenas com 2 casos arrolados, foi o de De Monte, Van der Zee e Bocci (2005).
     Um ensaio clínico envolvendo 10 pacientes HEMODIALIZADOS com CLAUDICAÇÃO INTERMITENTE, não controlado e não randomizado, também forneceu dados positivos, segundo Biedunkiewicz, Tylicki, Nieweglowski (2004).
     Um trabalho polonês, de Paradysz et al. (2002), dá conta, em abstract, de um estudo em 122 crianças portadoras de REFLUXO VESICO-URETERAL, tratadas com AUTO-HEMOTERAPIA INTRAVESICAL ENDOSCÓPICA versus TERAPIA CONSERVADORA, concluindo que a eficácia da AUTO-HEMOTERAPIA na eliminação do REFLUXO BILATERAL de alto grau foi comparável àquela obtida com dois anos de TRATAMENTO CONSERVADOR.
    

     Observação do escriba: - O chamado TRATAMENTO CONSERVADOR poderia ser chamado de TRATAMENTO MERCENÁRIO? Acho que sim. Mas, por quê? Porque a maioria dos TRATAMENTOS CONSERVADORES são completamente dominados pelo chamado COMPLEXO INDUSTRIAL MÉDICO-HOSPITALAR-FARAMACÊUTICO.  


     O artigo na íntegra está escrito em polonês. Outro estudo com escasso número de pacientes dá conta, de alívio de sintomas de ISQUEMIA de MEMBROS INFERIORES em cinco pacientes HEMODIALIZADOS e sete sob DIÁLISE PERITONIAL tratados com OZONIOTERAPIA (Tylicki, Niewglowski, Biedunkiewicz et al., 2001).
A análise das informações disponíveis nos permite concluir que:
     1.      As indicações da AUTO-HEMOTERAPIA com OZÔNIO são muito diversificadas e o número de trabalhos cientificamente orientados que amparam a utilização clínica dessa TERAPIA é INSIGNIFICANTE. Os estudos sempre apontam RESULTADOS POSITIVOS e não foram devidamente REPLICADOS.
     2.      Considerando o Nível de EVIDÊNCIA CIENTÍFICA por Tipo de Estudo (Oxford Centre for Evidence-based Medicine, 2001), não existem trabalhos com força de EVIDÊNCIA CIENTÍFICA ELEVADA.
     Dos ensaios clínicos disponíveis, apenas um apresenta, possivelmente, grau de recomendação B (Paradysz et al., 2002).
     No entanto este estudo não é CORROBORADO por nenhum outro trabalho que nos foi possível coletar.
     3.      Na AUTO-HEMOTERAPIA Major com OZÔNIO, a análise crítica deve incidir sobre o OZÔNIO e não sobre a administração INTRAVENOSA de SANGUE por si mesma, notadamente, quando o procedimento é realizado com HEMODIÁLISE e os estudos realizados sempre visaram a ação do OZÔNIO e não do SANGUE.
     4.      A variedade de indicações é muito grande e cada uma deveria ter um acervo de EVIDÊNCIAS oriundas de ensaios clínicos com força de EVIDÊNCIA CLÍNICA ELEVADA.
     Na verdade o que nos foi possível recolher constitui uma QUANTIDADE INSIGNIFICANTE de estudos para indicações muito amplas.
     5.      Não existe qualquer artigo sobre esta TERAPIA em REVISTA de RENOME INTERNACIONAL ou considerada pela COMUNIDADE CIENTÍFICA como sendo de ELEVADO PADRÃO CIENTÍFICO (fator de impacto elevado).





Observações e questionamentos do escriba:


     1ª - É preciso lembrar aos leitores e aos pareceristas que a Revista “THE LANCET” é uma REVISTA de RENOME INTERNACIONAL. Ou não?

     2ª – Na Revista “THE LANCET” foram escritos artigos em 1916 e 1917, sobre o uso da OZONIOTERAPIA, durante a 1ª guerra mundial (1914-1918). Médicos alemães e médicos ingleses realizavam a OZONIOTERAPIA em feridas de soldados.  

     3ª – Os artigos sobre OZONIOTERAPIA devem ter sido escritos por MÉDICOS ALEMÃES e principalmente por MÉDICOS INGLESES. Ou não?

     4ª – No início da década de 30 o CIRURGIÃO austríaco Erwin Payr, usou o OZÔNIO para o seu próprio tratamento dentário. O seu ODONTÓLOGO foi E. A. Fisch. Então, em 1935 ele publicou o LIVRO: - “O TRATAMENTO com OZÔNIO na CIRURGIA”.      

     5ª – Em 2007, quem eram os principais integrantes da ANVISA? Eram médicos? Quais as especialidades deles? Tinham quantos IMUNOLOGISTAS? Tinham quantos CIENTISTAS? Os nomes deles? Tinha políticos? Quem eram eles? Eram os PETRALHAS?

     6ª – Em 2007, quem eram os integrantes do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM)? Os nomes deles? As especialidades deles? Tinha quantos IMUNOLOGISTAS? Os nomes deles? Tinham quantos CIENTISTAS? Os nomes deles? Tinha políticos? Quem eram eles? Eram os PETRALHAS?

     7ª – Para os pareceristas quais são as REVISTAS de RENOME INTERNACIONAL? Quantas são? Os nomes delas? Somente as Americanas ou as Inglesas?  

     8ª – Revistas Alemãs, Francesas, Italianas, Suecas, Chinesas, Russas, etc., por exemplo, não tem nenhum VALOR CIENTÍFICO?

     9ª – Os pareceristas sabem quantos idiomas?  E quais os idiomas que os senhores dominam bem?

     10ª – A “COMUNIDADE CIENTÍFICA” a que se referem os pareceristas são somente as Americanas e as Inglesas?

     11ª – No chamado Leste Europeu não existem CIENTISTAS? Lá não existe COMUNIDADE CIENTÍFICA?  

    12ª – No Brasil existe COMUNIDADE CIENTÍFICA? Onde fica a sede da comunidade científica? Quantos cientistas fazem parte dessa comunidade? Quais os nomes dos cientistas? Quem financia os cientistas? Será George Soros?      

     13ª – Os pareceristas já estudaram as chamadas ciências médicas de todos os continentes e de todos os países? Quais os continentes? Quantos países? Quais os países?

     14ª – Quais os livros foram consultados pelos pareceristas? Quantos livros? O título dos livros? Em quais idiomas? Em quantos idiomas? Quais os assuntos estudados? Anatomia? Fisiologia? Biologia? Citologia? Histologia? Imunologia? Bioquímica? Biofísica? Patologia?

     15ª – Os pareceristas consideram as CIÊNCIAS MÉDICAS como uma CIÊNCIA EXATA? Sim ou não?      

     16ª – Os pareceristas devem saber que no planeta terra todos os SERES HUMANOS têm o SANGUE VERMELHO. Ou será que para vocês existe SANGUE de outra cor? Por acaso vocês estão querendo ofender todo o povo brasileiro, todas as raças e todas as etnias? Será que vocês são da NOBREZA CIENTÍFICA e têm o SANGUE AZUL?
  
     17ª – Evidência Científica Elevada, Evidência Clínica Elevada, Elevado Padrão Científico, Nível de Evidência Científica. Que lindo! Só que o Parecer CFM nº 12/2007 não tem nada disso. Tem Elevado Padrão de Lixo. O Padrão de Lixo chega a feder tanto que o fedor atinge a camada de OZÔNIO.

     18ª – Tais observações e questionamentos devem ser respondidos aos leitores, aos demais profissionais de saúde, a mim, e ao Poder Judiciário, portanto às CIÊNCIAS JURÍDICAS.

     19ª – O CFM não está imune a ações judiciais e, porque não dizer, a ações criminais. Se os pareceristas citaram tantas vezes Evidência Científica Elevada e Elevado Padrão Científico, devemos lembrar que existem Evidência Jurídica Elevada e Elevado Padrão Jurídico. É uma questão de INICIATIVA e de TEMPO.

    
     6.      Indicações diversas incluindo doenças de ETIOPATOGENIA tão DÍSPARES nos levam a supor trata-se tal MODALIDADE TERAPÊUTICA de uma PANACÉIA (1).
    
    

     Observação do escriba: - PANACÉIA são os ANTIBIÓTICOS!

    

     Isso é CORROBORADO pela AUSÊNCIA ABSOLUTA de ESTUDOS, em uma quantidade significativa sobre cada indicação, e pela AUSÊNCIA de INTERESSE de PUBLICAÇÃO, em REVISTAS de ELEVADO PADRÃO CIENTÍFICA.
    
    


Observações do escriba:


     1ª - Quem manda no mundo é o dinheiro. Quem tem dinheiro são os banqueiros. Existem as bolsas de valores não é verdade? Os banqueiros, as multinacionais e as bolsas de valores são muito amigos. Entendem? A Indústria Farmacêutica tem muito dinheiro. Entendem? A revista Veja, Época, Isto É, “Caras”, “Coroas”, Carta Capital, etc., os Jornais, todas elas e todos eles precisam de dinheiro. Entendem? Emissoras de Rádio de Televisões seguem o mesmo caminho. Ou não?

     2ª - A Indústria Farmacêutica pagou... Publicou! Um artigo supostamente CIENTÍFICO pode ser falso. Inclusive as REVISTAS CIENTÍFICAS de RENOME INTERNACIONAL, podem receber um jabá e publicar qualquer porcaria.  


     Enfim, essas constatações conduzem inevitavelmente à conclusão de que a OZONIOTERAPIA por AUTO-HEMOTRANSFUSÃO não apresenta EVIDÊNCIAS CONFIÁVEIS de sua EFETIVIDADE em SERES HUMANOS, ao menos que possa ser deduzida de análise da LITERATURA DISPONÍVEL indicada pela base de dados mencionada.
    
    

Observações do escriba:



     1ª - Quer dizer que a OZONIOTERAPIA por AUTO-HEMOTRANSFUSÃO não apresenta EVIDÊNCIAS CONFIÁVEIS de sua EFETIVIDADE em SERES HUMANOS?

     2ª – Quer dizer que a NEGOCIATA é atingir a AUTO-HEMOTERAPIA? É isso?

     3ª – E passar um azeite OZONIZADO num PÉ DIABÉTICO é confiável! É!

     4ª – Podemos usar ÁGUA OZONIZADA? Podemos!

     5ª – Vale a pena dizer de novo: - A OZONIOTERAPIA é reconhecida pelo sistema de saúde da Alemanha, Portugal, Espanha, Grécia, Turquia, Cuba, China, Rússia, e, em 32 estados dos Estados Unidos da América do Norte, segundo consta no relatório do Senador Valdir Raupp (PMDB – RO). Curiosamente o Senhor Valdir Raupp já foi Governador do Estado de Rondônia e atualmente é Senador pelo Estado de Rondônia. Rondônia tem alguma coisa a ver com a AUTO-HEMOTERAPIA? Tem! É só assistir novamente ao programa “Fantástico” da Rede Globo de Televisão, que foi exibido em abril de 2007 (abril de dois mil e sete). Em abril de 2007 o Brasil era governado pelos PETRALHAS...  

     6ª – Vale a pena repetir de novo: - A Resolução CFO 166/2015, datada de 24 de novembro de 2015, RECONHECEU e REGULAMENTOU o uso pelo CIRURGIÃO-DENTISTA da prática OZONIOTERAPIA.

     7ª – Ao redigir na Resolução do CONSELHO FEDERAL de ODONTOLOGIA (CFO) o vocábulo OZONIOTERAPIA, está implícito o uso de todas as modalidades de OZONIOTERAPIAS, inclusive a AUTO-HEMOTERAPIA Maior e a AUTO-HEMOTERAPIA Menor. Em outras palavras, a OZONIOTERAPIA com AUTO-HEMOTRANSFUSÃO intravenosa está reconhecida e regulamentada, e a OZONIOTERAPIA com AUTO-HEMOTRANSFUSÃO INTRAMUSCULAR está reconhecida e regulamentada pelo CFO. Todos os ODONTÓLOGOS podem realizar em seus pacientes a OZONIOTERAPIA. Uma cacetada no soberbo “ATO MÉDICO”. Um GARROTE já passou pela CANCELA!

     8ª – Ora! Além dos países já mencionados que reconhece o uso da OZONIOTERAPIA, o Brasil, a partir de 2015, através de uma Resolução do CFO, passou a reconhecer e a regulamentar todas as formas de OZONIOTERAPIA por parte das cidadãs e dos cidadãos de sua classe profissional, no caso as ODONTÓLOGAS e os ODONTÓLOGOS de todo o território nacional.    

     9ª – Então, em 2017, no Senado Federal, o PLS 227/2017, projeto de autoria do Senador Valdir Raupp (PMDB de Rondônia), que pretende reconhecer e regulamentar o uso e a prática da OZONIOTERAPIA pelos Médicos, foi debatido na CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado. O Projeto PLS 227/2017 foi aprovado pelos senadores presentes por unanimidade.  

     10ª – Após uma brilhante exposição, a MÉDICA otorrinolaringologista Doutora Maria Emília Gadelha Serra fez uma pergunta que não quer CALAR: - “A BOCA faz parte do CORPO HUMANO?”  

     11ª – Entre os meus oito BEIJA-FLORES que estão comigo na MOLDÁVIA, um é MÉDICO e outro é ODONTÓLOGO. O BEIJA-FLOR MÉDICO, dirigindo-se ao BEIJA-FLOR ODONTÓLOGO fez a seguinte pergunta: - A BOCA do BEIJA-FLOR faz parte do resto do CORPO do BEIJA-FLOR? O BEIJA-FLOR ODONTÓLOGO respondeu: - SIM! Os outros seis BEIJA-FLORES caíram na gargalhada...

     12ª – Estou saindo da MOLDÁVIA em direção à ROMÊNIA. Meu objetivo é conhecer a terra natal do romeno GRIGORE AVRAM VALERIU, autor do livro “A VERDADEIRA HISTÓRIA da IGREJA UNIVERSAL”. Como DEUS é JUSTO, é uma espécie de acerto de contas com a PICARETA da IURD...    


  

     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Segunda-feira, 09 de abril de 2018.




                  
            Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Wikipédia. (3) - OUTRAS FONTES.
  
jorge martins
Enviado por jorge martins em 09/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras