Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VONTADE... "Estou na MOLDÁVIA, acompanhado de oito BEIJA-FLORES, PESQUISANDO OZONIOTERAPIA". Aqui a IURD é MUDA! (parte II).






A LIBERDADE... A VONTADE... “Estou na MOLDÁVIA, em companhia de oito BEIJA-FLORES, PESQUISANDO OZONIOTERAPIA”. Aqui a IURD é MUDA! (parte II).





6ª parte.




    

     No dia 25 de outubro de 2015, escrevi aqui no RECANTO das LETRAS o texto: A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A ARTE... O PREÇO... “O cantor PEPEU GOMES faz uso da OZONIOTERAPIA. Ou seja, faz uso de uma AUTO-HEMOTERAPIA artificial. Tem custo, tem dinheiro e tem PREÇO”. (J. M. C.).
     Referia-me ao cantor, compositor e exímio guitarrista PEPEU GOMES, que deu uma entrevista à Revista Veja, parece-me que no dia 07 de abril de 2010. No próximo dia 07 de abril a reportagem estará completando oito (8) anos. A revista Veja escreveu que PEPEU GOMES teria dito que ele trocava o SANGUE toda semana. Ou PEPEU GOMES não se explicou corretamente, ou a Revista Veja distorceu as suas palavras. É igual à Rede Bola de Televisão. Mais das vezes vive enganando os leitores e os telespectadores respectivamente.
     No mesmo artigo citei a Realeza da Inglaterra, Dr. Lair Ribeiro (Escritor, Nutrólogo e Cardiologista), Dr. Miguel Sorrentino Jr. (Cirurgião Plástico), Dr. Victor Sorrentino (Cirurgião Plástico) e Dr. Glacus de Souza Brito (Médico e Professor de Medicina), todos eles defensores da OZONIOTERAPIA e da HIDROZONIOTERAPIA.    
     O PLS 227 / 2017 PROJETO de autoria do SENADOR Valdir Raupp (PMDB-RO), que tramitou na CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do SENADO, - Audiência Pública -, foi aprovado por UNANIMIDADE pelos integrantes da referida COMISSÃO em 2017 (não sei até o momento o exato mês nem o dia).
     No dia 18 de outubro de 2017 o PLS 227 / 2017 voltou a ser debatido no plenário do Senado para apreciação dos demais Senadores presentes. Foi aprovado pelos Senadores presentes por UNANIMIDADE, pela segunda vez.
     Agora o PROJETO já se encontra na Câmara Federal para a apreciação dos Senhores Deputados.
     Independente do resultado da votação na Câmara dos Deputados, que irá acontecer a qualquer momento, alguns alertas:
     1º - MILHARES de ODONTÓLOGOS de todo o BRASIL, já estão devidamente protegidos pelo seu respectivo CONSELHO FEDERAL de ODONTOLOGIA (CFO), através de uma sucinta, mas firme Resolução, assinada pelo Presidente e pelo Secretário Geral daquela instituição de saúde.
     2º - Por outro lado, MILHARES de MÉDICOS VETERINÁRIOS de todo o BRASIL, também contam com o apoio de seu respectivo CONSELHO FEDERAL de MEDICINA VETERINÁRIA (CFMV).
     3º - Acrescente-se a este segundo alerta, o fato de que eles lidam com animais irracionais, um campo fértil aonde podem ser realizadas pesquisas científicas de grande envergadura, tanto com a OZONIOTERAPIA como com a AUTO-HEMOTERAPIA.
     4º - A diferença é que os ODONTÓLOGOS lidam com SERES HUMANOS, enquanto os MÉDICOS VETERINÁRIOS lidam com outros animais.
    
     Na audiência pública do Senado, sobre a OZONIOTERAPIA, uma MÉDICA OTORRINOLARINGOLOGISTA mostrou a Resolução do CONSELHO FEDERAL de ODONTOLOGIA, - Resolução CFO – 166/2015 – Datada de 24 de novembro de 2015 – Rio de Janeiro (RJ) – que diz: - “RECONHECE e REGULAMENTA o uso pelo cirurgião-dentista da prática da OZONIOTERAPIA”.
     A expositora, Dra. Maria Emília Gadelha Serra chamou a atenção para as diferentes especialidades da Odontologia nas quais é indicado o uso da OZONIOTERAPIA, destacando o seu uso em necroses maxilares, osteomielite, etc.  
    Aí fez a pergunta que não quer CALAR: - A BOCA faz parte do CORPO HUMANO? Aparece uma charge – Sim ou Não? A Doutora continuou seu brilhante raciocínio. Se a OZONIOTERAPIA pode ser usada na BOCA, ela também poderá ser usada no RESTO do CORPO HUMANO! Pois, a OZONIOTERAPIA usada na BOCA é a mesma usada em outras partes do CORPO HUMANO.
     Porquanto, o OXIGÊNIO MEDICINAL é transformado em OZÔNIO MEDICINAL. Ou seja, a matéria prima, o princípio básico é o mesmo. Cinco por cento (5%) de OZÔNIO e noventa e cinco por cento (95%) de OXIGÊNIO.  
     A representante do CFM, em tom de deboche disse: - Para vocês o uso do OZÔNIO em tratamentos de saúde é tradicional ou experimental? A representante do CFM é uma assessora da Presidência da referida e milionária autarquia. O nome dela é Clarice Alegre Petramane.  
     A seguir colocou uma mensagem em que diz: - Pesquisa, Prática Médica – Não confundir – Tem riscos – Éticos, Clínicos, Econômicos e Científicos. No final da mensagem consta: - Credibilidade da Profissão. Sim! Credibilidade da Profissão Médica. Ué? E as outras profissões não devem zelar pela sua credibilidade?
     Alerta para a representante do CFM: - Éticos (e Canalhas), Clínicos (e Cínicos), Econômicos (e Mercenários), Científicos (e Anencéfalos). Morou Moraes?  
     Por exemplo: - O cirurgião-dentista realiza as chamadas cirurgias buco-maxilo-faciais. Ele é um cirurgião da boca, dos ossos maxilares e de outros ossos da face, e de todos os demais tecidos daquela região anatômica. Eles, ao mesmo tempo, são cirurgiões plásticos (do rosto) e são os ortopedistas do rosto. Ou não?
     E, nessas delicadas cirurgias, eles trabalham com excelentes anestesistas. Ou não? No dia-a-dia, na prática, na habilidade, eles podem ser considerados Médicos. Ou não? Então eles também têm o direito de zelar pela Credibilidade da Profissão dos Odontólogos. Ou não?
     Vou modificar a pergunta que não quer CALAR: - A CARA de uma PESSOA, a FACE de uma PESSOA ou o ROSTO de uma PESSOA faz parte do RESTO do CORPO “HUMANO” de uma PESSOA? A redundância é intencional. Não estamos falando de cavalos, bois, vacas, bodes, camundongos, coelhos, etc. Estamos falando de CIDADÃS e CIDADÃOS. Desde os mais humildes até os mais afortunados. Inclusive dos soberbos integrantes do CFM, a “Suprema Corte de Medicina”.  
     Na atual sociedade moderna, o que não falta é trabalho para os ORTOPEDISTAS do ROSTO e/ou os CIRURGIÕES PLÁSTICOS do ROSTO, ou seja, os cirurgiões-dentistas. Por quê? Os acidentes de trânsito, por exemplo! Principalmente os acidentes de carros e os acidentes com motos que estão aumentando assustadoramente. Quando não matam aleijam. Ou não?                

     Entre os depoentes presentes na CAS (Comissão de Assuntos Sociais), encontrava-se o senador Edison Lobão (PMDB-MA) o qual disse que há mais ou menos 20 anos, começou a ter problemas nas CORDAS VOCAIS (dificuldade de falar e dor). Ou seja, a “ORATÓRIA” e a DOR no local. Sem a voz, sem a palavra oral, e sem “ORATÓRIA”, o político está lascado. Hoje ele está com 81 anos de idade.
     Para resolver o problema ele submeteu-se a uma cirurgia na FRANÇA, duas cirurgias nos ESTADOS UNIDOS e duas cirurgias no Hospital Albert Einstein (BRASIL), nas CORDAS VOCAIS, mas, não obteve sucesso. Não houve melhora.
     Procurou então a Otorrinolaringologista Maria Emília Gadelha Serra, - principal presença na CAS do Senado -, e atual Presidente da Associação Brasileira de OZONIOTERAPIA (ABOZ), e, submeteu-se à OZONIOTERAPIA com a Dra. Emília.  Segundo o Senador Edison Lobão, ele obteve melhora e continua satisfeito com o resultado. Não entrou em detalhes sobre como foi feito o seu tratamento. Mas, fez questão de dar o seu testemunho.  

     Outro depoimento marcante na CAS do Senado foi o de uma Promotora de Justiça do Mato Grosso (Dra. Sasenazy Daufenbach), contando o caso de seu filho que nasceu com AUTISMO. Segundo relato da Promotora ela tratou o seu filho (que “é” AUTISTA) com a OZONIOTERAPIA.
     A criança nunca tinha falado. Após a 12ª aplicação de OZONIOTERAPIA, um belo dia, a criança foi em direção ao pai e disse “PAPAI”. A Promotora relatou ainda que observou em seu filho outras melhoras importantes. Ela também não entrou em maiores detalhes sobre como foi feita a OZONIOTERAPIA.
     A Dra. Emília Gadelha retrucou, dizendo que, segundo a sua experiência como otorrinolaringologista, vários AUTISTAS passam a falar após o uso da OZONIOTERAPIA.  
  O terceiro depoimento, para mim o mais impactante, foi o de um paciente (acho que ele é advogado) – o Senhor Carlos Eduardo Braga – que foi tratado no Hospital Sírio Libanês (SP). Ele foi diagnosticado como sendo portador de CÂNCER no ESÔFAGO grau IV, pois já estava com metástases na traquéia e nos pulmões.
     O caso foi considerado pelos médicos, na ocasião, como inoperável (a cirurgia é a mais antiga terapia contra o CÂNCER). Em outras palavras, o CÂNCER estava tão avançado, que não podia ser resolvido cirurgicamente.
     Como não podia ser operado (CÂNCER grau IV!), submeteu-se à Radioterapia e à Quimioterapia – a 2ª e a 3ª terapias descobertas contra o CÂNCER – tratamento realizado no Hospital Sírio Libanês durante aproximadamente doze dias.
     Concluídas as sessões de Radioterapia e de Quimioterapia um médico disse para o paciente: - Agora você vai pra casa. O paciente retrucou: - Pra morrer em casa? O médico disse: - Não! Pra não morrer no Hospital... O médico ou foi muito frio ou foi muito sincero.  
     O paciente deve ter pensado assim: - Fiz tudo certinho e saio como um mulambo do Hospital? Olha bem! O tratamento foi PARTICULAR e foi feito no conceituado Hospital Sírio Libanês.  
     Após ter recebido a alta Hospitalar, então, quase que de imediato, resolveu fazer a OZONIOTERAPIA, usando apenas ÁGUA OZONIZADA durante aproximadamente três dias. Após este período as dores no ESÔFAGO foram aliviadas ou desapareceram. Além do CÂNCER ele “ganhou de presente” uma INFECÇÃO provocada por um FUNGO. Provavelmente a INFECÇÃO foi contraída no Hospital.
     Se as dores no ESÔFAGO foram aliviadas ou desapareceram completamente, ele começou naturalmente e gradativamente a se alimentar melhor. Um adágio popular nos ensina: - “Saco vazio não fica em pé”.
     Durante aproximadamente cinqüenta dias ele continuou a realizar a OZONIOTERAPIA, com aplicações de maneiras diferentes.
     Mais ou menos sessenta dias após ter recebido a alta Hospitalar ele retornou para submeter-se a um ato cirúrgico, no mesmo Hospital Sírio Libanês. O (s) Médico (s) que o tinham tratado inicialmente, após realizar vários exames, constataram que o CÂNCER tinha sido curado, e que não precisava mais ser operado.
     Segundo o testemunho do Senhor Carlos Eduardo Braga (em Audiência Pública no Senado), ele continua fazendo a OZONIOTERAPIA (há cinco anos aproximadamente). Aparenta estar bem de saúde.
     Segundo a Dra. Clarice Alegre Petramane, o CFM autorizou a título experimental o tratamento com o uso de OZONIOTERAPIA, nos casos de HÉRNIA de DISCO LOMBAR, tendo em vista que os tratamentos feitos com infiltração de corticóides, anestésicos, colagenase, etc, nos locais afetados, não tem alcançado os efeitos esperados.
     Nem cura a patologia e nem alivia as dores localizadas nestas regiões anatômicas. Nem as dores localizadas e nem as dores ramificadas. Lembrando aqui o NERVO CIÁTICO.
     No entanto, algumas ou muitas HÉRNIAS de DISCO LOMBAR, podem ser curadas com cirurgias ortopédicas, com bons resultados ou excelentes resultados. Porém, tais cirurgias só devem ou só podem ser realizadas por Ortopedistas.
     No próprio Senado Federal existe um excelente ortopedista, que fez curso no exterior (Europa) e no Rio de Janeiro, e que é especialista em cirurgias ortopédicas de COLUNA VERTEBRAL, e, com mais de 42 anos de experiência profissional. É o Médico e também Senador Ronaldo Caiado (DEM-GO).
     Além do mais ele é ruralista. O nobre médico deve saber muito bem o que é a AUTO-HEMOTERAPIA e também o que é a OZONIOTERAPIA. Certamente ele deve ter muita amizade e conhecimento com muitos MÉDICOS VETERINÁRIOS.
     A senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), falou alguma coisa depois de ouvir os três principais depoimentos, se posicionando favorável à OZONIOTERAPIA. A Senadora Ana Amélia (PP-RS) que leu com muita atenção o PROJETO do Senador Valdir Raupp, também falou alguma coisa do ponto de vista do valor da prevenção. Ela também se posicionou a favor da OZONIOTERAPIA.
     Dizem que “não existe almoço de graça”. Discordo em parte. Eu já compareci em algumas festas de aniversário para beber e comer de graça. Quando era mais jovem. Ia a depender do valor do aniversariante. Valores afetivos entendem? Bebia de graça, comia de graça e ainda saia reclamando do aniversariante e da família. “Coração Leviano”. Música bonita de Paulinho da Viola.
     Pois bem. Pois muito bem. Na audiência também estava presente a Economista Celina Ramalho, com mestrado e doutorado na Fundação Getúlio Vargas, que estuda e pesquisa a relação entre o custo de certas terapias e de certas enfermidades há aproximadamente 20 anos.
     Segundo a Senhora Celina Ramalho (mostrando tabelas e gráficos) ficou claro e evidente que, se for colocada em prática o uso da OZONIOTERAPIA, a economia é muito grande para a Saúde Pública. Aqui SAÚDE PÚBLICA com letras maiúsculas. Boa exposição dela. E convincente.  
     Do ponto de vista da segurança da OZONIOTERAPIA para os usuários, a Dra. Emília Gadelha mostrou dados da Alemanha e dos Estados Unidos. Efeitos colaterais praticamente inexistentes e mortalidade baixíssima. Ela se baseou em dados feitos por médicos pesquisadores da Alemanha (principalmente) e dos EUA.  
     Estava presente também um representante do Ministério da Saúde. Ele deu a entender que a colaboração da ANVISA é muito importante, mas, a decisão final caberá ao Conselho Federal de Medicina.
     A Dra. Emília Gadelha falou sobre a sua peregrinação de porta em porta em busca de apoio. Como ela é médica bateu primeiro na porta (suntuosa) do CFM. Lá, algum “anencéfalo” disse que a OZONIOTERAPIA era um problema de competência da ANVISA. Não consigo entender como um “anencéfalo” tem BOCA.
     De lá, ela foi bater na porta (também suntuosa) da ANVISA. Não sei se lá o CARA-FACE-ROSTO era anencéfalo ou não. Mas, tinha BOCA. Tanto que ele FALOU que o tema OZONIOTERAPIA era de competência do Ministério da Saúde e do CFM. Outra viagem perdida.
     De lá era foi no Ministério da Saúde. As portas não eram tão suntuosas. Entretanto para ela chegar até o “PODEROSO CHEFÃO” – que na época era do PT (PETRALHA) -, ela teve que atravessar 573 portas. Tenho certeza por causa do meu número do CREMESE.
     Dra. Emília levou duas horas para transpor as 573 portas, e, mais duas horas de “chá de espera”, na porta de º 573. Finalmente, um barbudo a recebeu.
     O “PODEROSO CHEFÃO” era da “espécie” CARA-FACE-ROSTO-BOCA. Esquerdopata e falastrão com treinamento no MST, na CUT e na Coréia do Norte.
     Ao invés de falar sucintamente, fez primeiro um discurso ATEU-ANARQUISTA-SINDICALISTA, durante longas seis horas, e concluiu: - Companheira! Essa tal O-ZONATERAPIA é problema da ANVISA e principalmente dos ricaços do CFM. Eles também entendem de foice, de martelo e de PARAFUSO!
     Ao ouvir a palavra PARAFUSO, a Dra. Emília lembrou-se que a porta do seu consultório médico estava com dificuldade de ser aberta, exatamente por causa de um PARAFUSO. Foi correndo para o consultório, pois a sua secretária estava na porta e já tinha sete pessoas esperando-a para fazer a OZONIOTERAPIA. Só ela sabia o jeitinho de abrir a porta... Entendem? Coisa da vida. Ou de portas. Ou de parafusos... Pegou uma “chave de fenda de bolso” e resolveu logo o problema...    
     Devo uma explicação aos leitores sobre o que me motivou a escrever sobre OZONIOTERAPIA novamente. É que eu recebi recentemente tal informação sobre a Audiência Pública em questão, através de um e-mail, de um grupo de pessoas que lutam pela legalização da AUTO-HEMOTERAPIA, no Brasil. A OZONIOTERAPIA é parente da AUTO-HEMOTERAPIA. Daí?    
     Os leitores interessados, através da INTERNET – e do nosso amigo Dr. Google –, poderão assistir uma boa parte do que acabei de escrever, acessando a TV Senado.
     Quase no final da reunião, o autor do PLS 227 / 2017, o Senador Valdir Raupp (PMDB-RO), - que não é médico -, leu um ofício da Sociedade Brasileira de Reumatologia, ofício no qual está escrito que é contra a OZONIOTERAPIA, alegando que a mesma não tem nenhuma eficácia contra a ARTRITE REUMATÓIDE. O senador pediu à doutora que falasse alguma coisa.
     A Dra. Emília Gadelha não esqueceu a MELODIA, estava HARMÔNICA e dentro de um RITMO gostoso de ouvir. A resposta foi educadíssima, e, ao mesmo tempo bombástica. Ela MUSICOU: - “A quase totalidade dos reumatologistas tem conflitos de interesses pesados com a INDÚSTRIA FARMACÊUTICA”.
     Para melhorar a MÚSICA da doutora a economista Celina Ramalho, começou a tocar um VIOLINO: - “Cada paciente portador de ARTRITE REUMATÓIDE, custa, com os tratamentos convencionais, 26.000 reais por ano. Usando-se a OZONIOTERAPIA o custo é bem menor”.        
     Com todo o respeito que alguns reumatologistas merecem, o escriba irá dar a resposta merecida à Sociedade Brasileira de Reumatologia. Não exatamente eu. Mas, o que consta em um LIVRO escrito por um médico das antigas. Adiantarei apenas o bonito título do LIVRO: - “O Submundo da Medicina – Histórias Cruéis e Verdadeiras”. Minha “ORQUESTRA” será apenas um TAMBOR. No momento estou apressado. Fica para depois.
     No “livro” do Dr. GOOGLE, pode ser encontrado outro vídeo com duração de aproximadamente 25 minutos, no qual o jornalista Paulo Acrísio, entrevista a otorrinolaringologista Dra. Maria Emília Gadelha Serra. Vamos ver uma parte da entrevista.  
     A presidente da Associação Brasileira de OZONIOTERAPIA (ABOZ) é médica, especialista em otorrinolaringologista e, quando tinha 33 anos de idade, foi diagnosticada com um CÂNCER na TIREÓIDE, já com início de metástases para os gânglios linfáticos do PESCOÇO. Provavelmente ela deve ter realizado alguma cirurgia. Não foi dito na entrevista.  
     Tem entrevistadores que não sabem entrevistar bem. Não deixam os entrevistados falarem livremente, e, alguns, fazem perguntas muito seletivas, ou seja, direcionadas para os seus interesses (e dos patrões).
     Diante desse diagnóstico ela deve ter ficado muito aflita. Provavelmente iriam fazer nela a Radioterapia e a Quimioterapia. Ela procurou estudar outras terapias alternativas. Não sei por qual razão ela decidiu estudar a OZONIOTERAPIA.  
     No entanto, ela fez cursos sobre OZONIOTERAPIA na Alemanha, na Itália e em Cuba. Não sei a ordem dos países, nem quanto tempo ela passou em cada país.
     Na Alemanha, na década de 80, um grupo de 700 médicos se submeteu a uma pesquisa retrospectiva, na qual foram estudados os casos de 5.600.000 pacientes que tinham sido tratados com a OZONIOTERAPIA. Deste total de pacientes, faleceram seis (6) devido à terapia.
     Nos Estados Unidos, aonde a OZONIOTERAPIA é usada desde 1966, foi registrado apenas um óbito.  
     Não me recordo se ela mencionou o total de pacientes avaliados.
     No Brasil, a OZONIOTERAPIA parece ter sido usada a partir de 1975. No entanto, a OZONIOTERAPIA começou a ganhar força a partir de 2006 (+ ou -) com a criação da Associação Brasileira de OZONIOTERAPIA (ABOZ).
     Na entrevista ao repórter a Dra. Emília Gadelha fala da camada de OZÔNIO e das irradiações, afirma que a OZONIOTERAPIA melhora a oxigenação, regula o SISTEMA IMUNOLÓGICO, controla infecções, alivia dores, diz que é altamente recomendável em feridas de diabéticos para evitar a amputação (água ozonizada).
     Acredito que a entrevista foi realizada depois da aprovação pelo plenário do Senado, pois, o jornalista fez a seguinte pergunta (seletiva?): - Se ela teve conhecimento do fato de algum senador ter sido abordado por algum lobista. Ela respondeu que chegou a ver lobistas conversando com senadores falando dos “malefícios” da OZONIOTERAPIA.
     A bem da verdade eu dei mais atenção ao vídeo da TV Senado. Mas, se os leitores estiverem mais interessados podem assistir a outros vídeos. Existem vídeos de muitos outros médicos falando sobre a OZONIOTERAPIA, inclusive mais de um vídeo do Dr. Lair Ribeiro.  
      
            
    



7ª parte.




Ultimate Fighting Championship (UFC).


Observações iniciais:


     1ª – O Chamado Complexo Médico-Hospitalar – incluso a INDÚSTRIA FARMACÊUTICA -, atua fortemente nos ESPORTES e até nos JOGOS OLÍMPICOS com muito gás.  
     2ª – “Aleatoriamente” escolhi o tal UFC para defender a OZONIOTERAPIA.        



     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.


     “Foto: - O octógono do Ultimate Fighting Championship”.


     “Foto: - O cinturão de campeão do Ultimate Fighting Championship”.



     O Ultimate Fighting Championship (UFC) é uma organização de MMA que produz eventos ao redor de todo o mundo. Tem sua base atualmente nos Estados Unidos. Foi fundado em 12 de novembro de 1993.
     O primeiro evento promovido pelo UFC ocorreu em Denver, Colorado. A proposta do evento era identificar a arte marcial mais efetiva, em uma luta entre competidores de diferentes tipos de luta, incluindo jiu-jitsu brasileiro, boxe, wrestling, muay thai, judô, karatê, tae kwon do, entre outras.
     Em eventos subseqüentes, passou-se a adotar técnicas efetivas de mais de um tipo de luta, o que se iniciou com o famoso lutador Marco Ruas, o que ajudou a criar um novo estilo de luta que hoje conhecemos como artes marciais mistas.
     Com um acordo de televisão a cabo e expansão para Canadá, Europa, Austrália, o Oriente Médio, Ásia, Brasil e novos territórios nos Estados Unidos, o UFC foi ganhando popularidade, junto com muita cobertura da mídia.
     Desde 2001, os telespectadores podem ver o UFC em pay-per-view nos EUA, Brasil, Austrália, Canadá, Nova Zelândia e Itália.
     O UFC, nos Estados Unidos, também é transmitido pela FX, Fuel TV, Fox, Versus e Fox Sports 1, a ESPN transmite o UFC no Reino Unido e na Irlanda, assim como em 150 países em 22 diferentes línguas ao redor do mundo.
     O UFC planeja agora continuar sua expansão mundial, apresentando shows constantemente no Reino Unido, no Canadá e no Brasil, estabilizando escritórios na Europa e no Brasil.
     O UFC também já realizou eventos na Alemanha, na Austrália e nos Emirados Árabes, com planos para realizar eventos no México, nas Filipinas e no Afeganistão.
    Em Portugal a BTV (Benfica TV), anunciou em Julho de 2015 o exclusivo para Portugal.
     O UFC também já comprou e absorveu organizações rivais como Pride, World Extreme Cagefighting e Strikeforce.
     A transmissão do UFC no Brasil, ocorre por pay-per-view, pelo Canal Combate, que transmite todos os eventos do UFC ao vivo, do canal SPORTV, com pesagens e um card preliminar por mês.
     Ainda ocorrendo transmissão em TV aberta, pela TV Globo, de eventos que ocorrem no Brasil e reprises de eventos importantes, além da transmissão do The Ultimate Fighter Brasil e os eventos com suas finais.



HISTÓRIA.



COMPETIÇÃO INICIAL – COMEÇO dos ANOS 1990.


     “Foto: - Royce Gracie usou Jiu-jitsu brasileiro nos primeiros anos do UFC para derrotar oponente com maior altura e força”.
     Art Davie propôs para Rorion Gracie e John Milius um torneio mata-mata com oito competidores chamado "War of the Worlds" (Guerra dos Mundos).  
     O torneio foi inspirado por uma série de vídeos produzidos pela família Gracie no Brasil, aonde os estudantes de Gracie Jiu-Jitsu derrotavam mestres de artes marciais de vários tipos como karatê, kung fu e kickboxing.
     O torneio teria artistas marciais de diferentes artes enfrentando um ao outro em combates sem regras para determinar a melhor arte marcial e iria propagar animação como nas lutas vistas por Davie nos vídeos.
     John Milius, um notável diretor de filmes e roteirista, assim como estudante dos Gracie, concordou em ser o diretor de criação do evento.
     Davie fez o plano de negócios e vinte oito investidores contribuíram para o capital inicial para começar a WOW Promotions, com a intenção de desenvolver o torneio em uma franquia de televisão.
     Em 1993, a WOW Promotions procurou um parceiro de televisão e se aproximou dos produtores de pay-per-view TVKO (HBO), SET (Showtime) e Campbell McLaren na Semaphore Entertainment Group (SEG).
     TVKO e SET recusaram a oferta, porém a SEG - uma pioneira em pay-per-view, que já produziu vários tipos de eventos – se tornou a parceira da WOW em maio de 1993.
     A SEG contatou o diretor de arte de vídeos e filmes Jason Cusson para desenhar o licenciado "Octagon", um símbolo do evento. Cusson se manteve como Designer de Produção até o UFC 27.  SEG deu o nome de The Ultimate Fighting Championship ao evento.
     WOW Promotions e SEG produziram o primeiro evento, mais tarde chamado de UFC 1, na McNichols Sports Arena em Denver, Colorado no dia 12 de novembro de 1993.
     Art Davie participou do evento como matchmaker. O show propôs achar uma resposta para perguntas de fãs de esporte como: "Um wrestler pode vencer um boxeador?"
     Como a maioria dos artistas marciais da época, os lutadores tipicamente tinham habilidades em apenas um tipo de luta e tinham pouca experiência contra oponentes de diferentes tipos.
     A transmissão televisiva teve os kickboxers Patrick Smith e Kevin Rosier, o lutador de savate Gerard Gordeau, o expert em karatê Zane Frazier, o shootfighter Ken Shamrock, o lutador de sumô Teila Tuli, o boxeador Art Jimmerson e o faixa preta de Jiu-jitsu brasileiro de 79 kg Royce Gracie - irmão mais novo do co-fundador do UFC Rorion Gracie, o qual Rorion escolheu para representar sua família na competição.
     As habilidades em finalização de Royce Gracie se mostraram as mais efetivas no torneio inaugural, que o deram o primeiro título de torneio do UFC após finalizar Jimmerson, Shamrock e Gordeau em sucessão.
     O show se provou ser um extremo sucesso com 86.592 compras no pay-per-view.
     Porém, os promotores não tinham a intenção de que o evento fosse o precursor de uma série. "O evento era para ser único", disse o eventual presidente do UFC Dana White. "Ele se deu tão bem no pay-per-view que eles decidiram fazer outro e outro. Nunca em um milhão de anos eles pensaram que estavam criando um esporte."
     Sem classes de peso, lutadores frequentemente enfrentaram oponentes mais altos e pesados. Keith "The Giant Killer" Hackney enfrentou Emmanuel Yarborough no UFC 3 com uma desvantagem de 23 cm e 180 kg.
     Muitos artistas marciais acreditavam que técnica poderia ser mais importante que desvantagens em tamanho e peso e um lutador com muita habilidade poderiam usar o peso e a força de um oponente contra ele. Com o lutador de 79 kg Royce Gracie vencendo três dos quatro primeiros eventos, o UFC rapidamente provou que o tamanho nem sempre determina o resultado da luta.
     Durante esta parte inicial da organização, o UFC mostraria uma grande variação de estilos e lutadores.
     Além dos mais citados Royce Gracie, Ken Shamrock e Patrick Smith, as competições também contaram com participações do Hall da Fama Dan Severn, além de Marco Ruas, Gary Goodridge, Don Frye, Kimo Leopoldo, Oleg Taktarov e Tank Abbott.
     Em abril de 1995, após o UFC 5 em Charlotte, North Carolina, Davie e Gracie venderam suas partes na franquia para a SEG e debandaram a WOW Promotions.
     Davie continuou com a SEG agendando os eventos e como matchmaker, assim como comissário até dezembro de 1997.



EMERGÊNCIA de REGRAS RIGOROSAS.


     “Foto: - "Big" John McCarthy é o árbitro enquanto Tank Abbott coloca Cal Worsham contra a grade no Ultimate Ultimate 1996”.


     Apesar de o UFC ter usado o slogan "There are no rules!" ("Não há regras!") no começo dos anos 90, eles operavam com regras limitadas.
     Isso baniu cortes e dedos no olho, além de reprimir movimentos como puxar o cabelo, cabeçadas, ataques na região genital e "pescar".
     De fato, em uma luta qualificatória do UFC 4, os competidores Jason Fairn e Guy Mezger concordaram em não puxar os cabelos - como ambos usaram rabos de cavalo no cabelo para a luta. Além disso, o mesmo evento viu uma luta entre Keith Hackney e Joe Son, onde Hackney acertou uma série de golpes na região genital contra Son no chão.
     O UFC tinha uma reputação, principalmente nos primeiros eventos, de ser um evento extremamente violento, como mostrou um aviso no começo do UFC 5 que precaviu os espectadores contra a natureza violenta do esporte.
     O UFC 5 também teve a primeira luta fora do torneio, uma revanche entre o primeiro e três vezes campeão do UFC Royce Gracie e Ken Shamrock, chamada de "A Superluta". Isto provou ser um importante avanço, porque essas lutas separadas teriam lutadores que não tinham sofrido nenhum dano físico em uma luta anterior do mesmo evento, diferente das lutas do torneio. Lutas únicas se tornariam uma marca do UFC nos anos posteriores.
     "A Superluta" começou como uma luta fora do torneio que determinaria o primeiro campeão do UFC para os vencedores do torneio enfrentar. Depois acabou envolvendo um confronto que poderia ter lutas com disputas de título ou sem disputas de título.
     A "Superluta" eventualmente ficaria totalmente a parte de lutas dos torneios. Desde o UFC Brazil, o UFC abandonou o formato de torneio para uma card inteiro de lutas separadas (fora por um único torneio no UFC Japão, onde só apareceram lutadores japoneses).
     O UFC 6 foi o primeiro evento a coroar um campeão do UFC fora do torneio, Ken Shamrock.



CONTROVÉRSIA e REFORMA – FIM dos ANOS 1990.



     A natureza violenta do esporte em crescimento atraiu a atenção de autoridades dos Estados Unidos.

     “Foto: - Antes da reforma, o senador John McCain destacadamente se opôs ao UFC”.


     O senador John McCain (R-AZ) viu uma fita dos primeiros eventos do UFC e imediatamente achou-os repugnantes. O próprio McCain liderou uma campanha para banir o UFC, chamando-o de "lutas de galo humanas" e mandando cartas para os governadores de todos os cinqüenta estados dos Estados Unidos pedindo-lhes que banissem o evento.
     Trinta e seis estados promulgaram leis que baniram lutas sem regulamentação, incluindo Nova York, que promulgou o banimento na véspera do UFC 12, forçando uma realocação do evento para Dothan, Alabama.
     O UFC continuou a ser transmitido no pay-per-view da DirecTV, apesar da audiência se tornar minúscula comparada com as grandes companhias de PPV da época.
     Em resposta às críticas, o UFC aumentou sua cooperação com as comissões atléticas estaduais e redesenharam suas regras para remover os elementos menos atrativos de suas lutas enquanto manteve os elementos centrais de golpes e grappling.
     O UFC 12 viu a introdução de classes de pesos e o banimento da "pescaria". Para o UFC 14, as luvas se tornaram obrigatórias, enquanto chutes na cabeça de um oponente no chão foram banidos.
     No UFC 15 houve limitações em puxadas de cabelo e o banimento de golpes atrás do pescoço e da cabeça, cabeçadas, manipulações em pequenas articulações e golpes na virilha.
     Com rounds de cinco minutos introduzidos no UFC 21, o UFC gradualmente repaginou a si mesmo mais como um esporte do que como um espetáculo.
     Liderados pelo comissário do UFC Jeff Blatnick e o árbitro John McCarthy, o UFC continuou a trabalhar com as comissões atléticas estaduais. Blatnick, McCarthy e o matchmaker Joe Silva criaram um manual de políticas, procedimentos, códigos de conduta e regras para ajudar a tornar o UFC sancionado pelas comissões atléticas, muitas das quais existem até hoje.
     Blatnick e McCarthy viajaram por todo o país, educando e mudando as percepções sobre um esporte que se pensava ser sanguinário e desumano.


     Observação do escriba: - Se é que podemos chamar um porcaria dessas de esporte, em minha opinião é um esporte sanguinário e desumano. Se o boxe já é prejudicial à saúde, esse “esporte” é muito mais nocivo.

     Em abril de 2000, o movimento dele havia claramente feito um impacto. A Califórnia estava posicionada para ser o primeiro estado dos Estados Unidos a assinar um conjunto de regras para dirigir o MMA. Logo após, o estado de Nova Jérsei adotou a mesma posição.
     Conforme o UFC continuou a trabalhar com as comissões atléticas, eventos ocorreram em mercados menores dos Estados Unidos, incluindo Iowa, Mississipi, Luisiana, Wyoming e Alabama.
     A SEG não conseguiu lançamentos em VHS entre o UFC 23 e o UFC 29. Com outras promoções de artes marciais mistas sendo sancionada dentro do país, a International Fighting Championships (IFC) assegurou o primeiro evento sancionado de MMA nos Estados Unidos, que ocorreu em Nova Jérsei em 30 de setembro de 2000.
     Apenas dois meses depois, o UFC promoveu seu primeiro evento sancionado, o UFC 28, dentro das "Regras Unificadas" do New Jersey State Athletic Control Board (SACB).
     Conforme as regras do UFC começaram a se desenvolver e seus competidores evoluíram também. Lutadores notáveis do UFC nessa era incluem os membros do Hall da Fama Mark Coleman, Randy Couture, Chuck Liddell, Matt Hughes e Tito Ortiz, assim como os notáveis lutadores Vitor Belfort, Mark Kerr, Pedro Rizzo, Murilo Bustamante, Pat Miletich, Frank Shamrock, Mikey Burnett, Jeremy Horn, Pete Williams, Jens Pulver, Evan Tanner, Andrei Arlovski e Wanderlei Silva, entre outros.



ZUFFA.



     Após uma longa batalha para ser sancionado e à beira da falência, o SEG se reuniu com os executivos do Station Casinos, Frank e Lorenzo Fertitta e o promotor de boxe Dana White em 2001.
     Um mês depois, em janeiro de 2001, os Fertittas e Dana White compraram o UFC por US$ 2.000.000,00 (dois milhões de dólares) e criaram a Zuffa, empresa que passava a ter a patente controladora do campeonato.
     Tendo relações com a Comissão Atlética de Nevada (Lorenzo Fertitta já havia sido seu membro), a Zuffa conseguiu assegurar aprovação para realizar lutas em Nevada em 2001.
     Pouco tempo depois, no UFC 33, a competição retornou ao pay-per-view da TV a cabo americana.
     O Ultimate continuou crescendo em popularidade após a compra pela Zuffa, devido a fortes propagandas, grandes patrocínios, à volta ao pay-per-view e à venda de DVDs.
     Com grandes eventos em lugares famosos como o Cassino Trump Taj Mahal e a MGM Grand Garden Arena e com as vendas em pay-per-view voltando a crescer, o Ultimate conseguiu seu primeiro acordo na televisão com a Fox Sports e com o The Best Damn Sport Show, que realizou a primeira luta de artes marciais mistas na televisão a cabo americana, em junho de 2002, no UFC 37.5 (Vitor Belfort vs. Chuck Liddell).
     Em seguida, a Feature Story News passou a transmitir os melhores momentos das lutas. No UFC 40, as compras de pay-per-view renderam US$ 978.150,00 em uma programação que tinha como evento principal, a luta entre Tito Ortiz e Ken Shamrock.
     Apesar do sucesso, o UFC ainda apresentava dívidas e, em 2004, a Zuffa havia perdido US$ 78.500.000 com a compra.
     Em julho de 2016 é anunciada a venda do UFC para o grupo chinês WME-IMG pela quantia de US$ 4 bilhões.



AUMENTO na POPULARIDADE.



     Com o aumento da popularidade dos "reality shows", chegou o momento do UFC ter seu próprio "reality show", o The Ultimate Fighter (TUF).
     Várias emissoras rejeitaram o projeto, que foi aceito pela Spike TV. Com a oferta de arcar com os 10 milhões de custos com a produção, eles conseguiram fechar o negócio.
     Em janeiro de 2005, a Spike TV lançou a série e o show se tornou um sucesso imediato, tornando-se um dos programas com mais audiência da Spike TV e transmitindo uma luta memorável entre Forrest Griffin contra Stephan Bonnar nas finais, que ficou conhecida como a luta do ano.
     Depois dessa temporada, já ocorreram outras 17 temporadas nos Estados Unidos e três no Brasil.
     Seguido pelo sucesso do reality show, a Spike TV levou ao ar o UFC Unleashed, uma hora de programa semanal, com lutas de diferentes eventos, e também assinou um contrato para transmitir o UFC Fight Night.
     Com visibilidade maior, os números de pay-per-view aumentaram exponencialmente. O UFC 52, primeiro evento após o The Ultimate Fighter, foi vendido para 280.000 pessoas pelo pay-per-view, quase o dobro de seu antigo recorde.
     A revanche entre Couture e Liddell no UFC 57 teve 410.000 compras de PPV. O Evento UFC 60 que contou com o brasileiro Royce Gracie teve nada menos que 625.000 compras de PPV.
     O UFC 61, teve 775.000. Desde então as vendas do PPV do UFC não param de crescer. A média atual é de mais de um milhão de vendas por eventos, gerando $222.766.000 somente com vendas do PPV em 2006, superando o boxe e a WWE.
     O UFC atualmente tem exibido alguns eventos ao vivo na TV Aberta americana. Eles são exibidos pelos canais Fox, FX e Fuel TV. Todas elas já exibiram quatro eventos em TV Aberta cada, sendo a Fox a única a transmitir uma disputa de cinturão. O UFC planeja mais eventos para ambas.
     A Fuel TV e a FX já tem até a sexta edição encaminhada, enquanto a Fox tem até a quinta.



DOMINANDO o MERCADO.



     Em março de 2007, os irmãos Fertitta anunciaram a compra do PRIDE Fighting Championships, prometendo manter ambos os eventos e possibilitar um intercâmbio de lutadores.
     Porém isso não aconteceu. Nenhum evento no Japão ocorreu com a organização dos americanos, e o PRIDE foi extinto, tendo o UFC apenas incorporado parte de seus lutadores ao seu elenco.
     Alguns nomes do PRIDE acabaram indo para organizações menores. Com a extinção do PRIDE e a incorporação de alguns dos seus principais lutadores, o UFC tornou-se indiscutivelmente o mais prestigiado evento de MMA do mundo.
     Em 2008 foi criado o DREAM, evento japonês tido como o sucessor do antigo PRIDE.
     No mês de outubro de 2010 o presidente do UFC e representante frente à Zuffa Dana White, anunciou que o WEC uma organização de lutadores de pesos inferiores a 70 kg, que pertence a Zuffa iria se fundir com o UFC, a fusão teve inicio oficial em 1º de janeiro de 2011 no UFC 125: Resolution.
     Em 14 de março de 2011, foi anunciado que a Zuffa comprou seu maior rival nos EUA o Strikeforce, o evento, porém não será extinto de imediato, até onde o presidente do UFC Dana White afirmou, o evento ocorrera até o fim do contrato com o canal Showtime.



TRANSMISSÃO no BRASIL.



     O primeiro evento do UFC transmitido em TV aberta no Brasil foi o UFC 37.5, em 2002. Com um pequeno delay, o SBT transmitiu a luta principal entre Vitor Belfort (que 2 meses antes havia participado da Casa dos Artistas) e Chuck Lidell.
     Atualmente os eventos do UFC são transmitidos ao vivo em TV por assinatura via pay-per-view pelo canal Combate e pela Rede Globo (desde outubro 2011) nas TVs abertas.
     De 2009 até setembro de 2011, a RedeTV!, era quem transmitia o UFC nas TVs abertas do país. Os eventos eram transmitidos dentro do programa UFC sem Limites, que apresentava reprises dos melhores combates já realizados no UFC desde a sua criação.
     Em 2007, o canal Combate fez a primeira transmissão ao vivo do UFC, com o desafio entre Anderson Silva e Travis Lutter, a primeira defesa de cinturão do Spider na organização.
     No dia 05 de fevereiro de 2011 aconteceu a luta que foi o divisor de águas do MMA no Brasil. No UFC 126, a chamada Luta do Século pôs frente a frente Anderson Silva e Vitor Belfort, no duelo que mudou o MMA de patamar no país. A partir deste evento, o interesse pelo esporte, e por consequência as audiências dos eventos, só cresceram.
     Para se ter uma idéia, o programa Sensei SporTV, exibido minutos antes do UFC 126, obteve a maior audiência do canal SporTV de todo o sábado, incluindo os jogos de futebol, além de ter liderado a audiência no horário nas TVs pagas.
     Além disso, o canal Combate registrou aumento de 25% do número de assinantes em apenas um mês.
     Aproveitando este sucesso, em 27 de agosto de 2011, a RedeTV!, resolveu exibir o UFC Rio ao vivo, na íntegra, dentro do programa UFC sem Limites. Com isso, esta foi a primeira vez em que um evento do UFC foi exibido ao vivo e na integra por um canal de TV aberta no Brasil.
     A aposta mostrou-se de fato acertada, e a emissora ficou em segundo lugar e alguns minutos na liderança em audiência nacional, com 12,8 pontos em São Paulo (a maior de sua história para o horário, correspondendo a quase dez vezes a audiência do canal em sua média/dia (das 7h à meia-noite), que ficava na casa do 1,5 ponto).
     Isto fez com que as emissoras concorrentes passassem a ter interesse neste esporte.
     De acordo com um comunicado divulgado pela Rede Globo de Televisão no dia 27 de outubro e 2011, a emissora passou a ter exclusividade para exibir ao vivo todos os eventos do UFC no Brasil e três no exterior, além das edições brasileiras do reality show The Ultimate Fighter (TUF).
     No dia 12 de novembro de 2011, com o nome de "UFC Combate", ocorreu a primeira transmissão pela Rede Globo.
     Na madrugada entre os dias 26 e 27 de maio (sábado e domingo, respectivamente), a Rede Globo gerou polêmica após transmitir a luta principal do UFC 146 (Júnior Cigano contra Frank Mir) dizendo ser ao vivo, mais de meia hora depois de ela ter ocorrido.
     Enquanto a luta acontecia no cassino MGM Grand Garden Arena, a Globo exibia o filme A Casa das Coelhinhas no Supercine.


     Observação do escriba: - Mais uma safadeza da Rede Bola de Televisão. A propósito, aqueles programas em que aparecem crianças cantando, por acaso não é exploração de trabalho infantil? Cadê as autoridades?

    
     Por volta de 1h30m, a Globo começou a transmissão do evento, e o narrador Sérgio Maurício anunciou a luta como “ao vivo”, 35 minutos após Cigano vencer o combate.
     Novamente a Globo transmitiu outra edição do UFC, o UFC 148, dizendo ser ao vivo, porém a luta já tinha acabado há cerca de 30 minutos, gerando revolta nos admiradores do esporte.


     Observação do escriba: - Em primeiro lugar não é esporte. É festival de pancadaria. Em segundo lugar o número de admiradores deve ser muito pequeno.


     Sobre o UFC 148, um número interessante: - A crônica do confronto Anderson Silva x Chael Sonnen, publicada na editoria do canal Combate no SporTV.com, tornou-se a matéria mais lida na história do site, com mais de 1,7 milhão de acessos.
     Segundo o site Google Analytics, estes números ajudaram o site a bater o recorde semanal de páginas vistas, de visitas e de visitantes únicos, enquanto no domingo foi batido o recorde diário de páginas acessadas e de visitantes únicos.



MMA FEMININO.



     Em 16 de novembro de 2012, véspera do UFC 154, Dana White confirmou que em 2013 o UFC teria uma categoria destinada ao MMA feminino.
     Dana também anunciou que Ronda Rousey, campeã do Strikeforce, foi a primeira lutadora a assinar com o UFC.
     Em 06 de dezembro de 2012, durante a conferência do evento UFC on Fox: - Henderson vs. Diaz Dana entregou a Rousey o cinturão de campeã dos pesos-galos e ainda anunciou que ela faria sua primeira defesa de cinturão no UFC 157 contra Liz Carmouche.



REGRAS - DIVISÕES de PESO.

    
     O UFC se divide nessas categorias de pesos:


01 - Peso Palha (Strawweight) - até 52,2 kg / 115lb (Feminino).
02 - Peso Mosca (Flyweight) - até 56,7 kg / 125 lb (Masculino e Feminino).
03 - Peso Galo (Bantamweight) - até 61,2 kg / 135 lb (Masculino e Feminino).
04 - Peso Pena (Featherweight) - até 65,8 kg / 145 lb (Masculino e Feminino).
05 - Peso Leve (Lightweight) - até 70,3 kg / 155 lb.
06 - Peso Meio-Médio (Welterweight) - até 77,1 kg / 170 lb.
07 - Peso Médio (Middleweight) - até 83,9 kg / 185 lb.
08 - Peso Meio-Pesado (Light Heavyweight) - até 93,0 kg / 205 lb.
09 - Peso Pesado (Heavyweight) - até 120,2 kg / 265 lb.


     REGRAS BÁSICAS – Convido os meus distintos leitores a consultarem a Wikipédia sobre o assunto com mais detalhes, se assim o desejarem.





SALÁRIOS e CONTRATOS dos LUTADORES.



     Um lutador de UFC geralmente não tem um salário específico. Eles são pagos por luta, com valores dependendo de quão bem conhecidos os lutadores são e como bem patrocinados o lutador e o evento são.
     Os lutadores normalmente recebem dinheiro para lutar com uma bonificação adicional em caso de vitória.
     Bônus em dinheiro também são concedidos para a "Luta da Noite", "Nocaute da Noite" e "Finalização da Noite".
     O tamanho destes bônus é de US$ 50.000, e, para os lutadores menos conhecidos, eles podem ser várias vezes maior do que o valor contratado para a luta.
     Valores de contrato geralmente têm de ser declaradas à Comissão Atlética do Estado onde é realizado o evento, no entanto, o UFC também paga bônus não revelados aos atletas.
     Nos últimos anos, contratos de lutadores do UFC e direitos de merchandising tem sido objeto de disputa entre lutadores (representado pelo crescimento do Mixed Martial Arts Fighters Association) e o UFC, que tem tentado defender regulamentos existentes.


ATUAIS CAMPEÕES e CAMPEÃS.



Observações do escriba:



     1ª – Deixo os leitores à vontade para saber a relação completa na Wikipédia. Já sei que são nove categorias de acordo com o peso. Porém fica aqui registrado o meu desafio: - Luto com os atuais nove machões de uma só vez. E ganho dos nove! Duvidam?

     2ª – São quatro mulheres campeãs. Não luto contra nenhuma delas por causa da “Lei Maria da Penha”.

     3ª - Com os nove campeões é tapa pra todo lado. Cada tapa é um nocaute. Já com as mulheres são beijos pra todos os lados. Uma de cada vez. Na cama. Com elas vou perder todas as lutas... Isso se eu sair vivo... Entendem?    



LUTADORES e PERSONALIDADES NOTÁVEIS.


     Hall da Fama do UFC – Jorge Martins Cardoso. (Merecidamente. Vencer nove campeões na base de tapas, de uma só vez. E, ainda, vencer quatro campeãs na base de beijos)... Entendem?




     Observação – Na Wikipédia estão disponíveis 66 referências sobre o tal UFC.



ALGUMAS REFERÊNCIAS CURIOSAS.



     01 - uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br/ UFC Rio faz Rede TV!, bater a Globo em audiência na noite de sábado.

     02 - odiario.com/ Globo ‘rouba’ da RedeTV!, direitos de transmissão do UFC.

     03 - «Globo vence duelo por direitos de transmissão do UFC». PB Agora. 28 de outubro de 2011. Consultado em 29 de outubro de 2011.

     04 - «Rede Globo anuncia acordo para transmitir lutas do UFC no Brasil». iG. 27 de outubro de 2011. Consultado em 29 de outubro de 2011.

     05 - UFC | Globo passa videotape da luta de Cigano e gera polêmica na internet.

     06 - Globo troca Cigano por Coelhinhas, passa VT por ao vivo e irrita fãs.

     07 - Globo não transmite ao vivo luta de Júnior Cigano e vira trend topic mundial.

     08 - Globo não transmite UFC como anunciado e revolta fãs.

     09 - ‘Casa das Coelhinhas’ frustra fãs de MMA e Globo não transmite Cigano x Mir ao vivo.

     10 - Globo transmite VT da luta de Cigano como ao vivo e revolta telespectadores.  



CATEGORIA:


• Ultimate Fighting Championship


     Esta página foi editada pela última vez às 22h41min de 21 de dezembro de 2017.

     Observação do escriba: - O próximo artigo será o último da série.
    

     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Domingo, 25 de março de 2018.




                  
            Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Wikipédia. (3) - OUTRAS FONTES.

jorge martins
Enviado por jorge martins em 25/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras