Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... "O MOLUSCO desmandou, ROUBOU e deixou roubar, não assassinou mas deixou ASSASSINAR, e, continua incitando a VIOLÊNCIA! O MOLUSCO irá parar na PAPUDA?" (I).





A LIBERDADE... “O MOLUSCO desmandou, ROUBOU e deixou roubar, não assassinou mas deixou ASSASSINAR, e, continua incitando a VIOLÊNCIA! O MOLUSCO irá parar na PAPUDA?” (I).




JOSÉ CARLOS BUMLAI.



     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.




     José Carlos da Costa Marques BUMLAI (Corumbá, 28 de novembro de 1944 – 73 anos), mais conhecido por José Carlos BUMLAI ou simplesmente por BUMBAI, é um Engenheiro, Empresário e Pecuarista brasileiro preso e condenado pela Operação Lava Jato.



BIOGRAFIA.



     BUMLAI é nacionalmente célebre por ser um amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tendo sido envolvido e preso pela Operação Lava Jato em um empréstimo fraudulento de R$ 12 milhões.
     BUMLAI trabalhou 30 anos na Constran e em paralelo desenvolveu uma atividade rural modelo em Mato Grosso do Sul.
     Em 24 de novembro de 2015, BUMLAI foi convocado para depor na CPI do BNDES, entretanto foi preso no mesmo dia e a convocação para CPI foi remarcado para 1º de dezembro do mesmo ano. Na CPI, BUMLAI ficou em silêncio.
     Em fevereiro de 2016, o advogado criminalista Arnaldo Malheiros Filho, que defende o PECUARISTA, afirmou que o empresário, para atender à família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem é amigo, cedeu um ENGENHEIRO e um ARQUITETO para a reforma no SÍTIO SANTA BÁRBARA, em ATIBAIA.
     Em 21 de julho de 2016, foi denunciado pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal por Obstrução à Justiça.
     Em 28 de julho de 2016, a Justiça Federal no Distrito Federal aceitou a denúncia, e BUMLAI se tornou réu do processo.
     Em 15 de setembro de 2016, BUMLAI foi condenado pela Lava Jato a 09 anos e 10 meses por Corrupção Passiva e Gestão Fraudulenta de Instituição Financeira.



PRISÃO PREVENTIVA e DOMICILIAR.


     Ver artigo principal: - Operação Passe Livre.



     Em 24 de novembro de 2015, BUMLAI foi preso pela Polícia Federal, na Operação Passe Livre, no âmbito da Operação Lava Jato.
     Em março de 2016, passou para prisão domiciliar em razão do diagnóstico de câncer de bexiga.
     Após tratamento do câncer, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, afirmou em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal que há "gravidade concreta" nos delitos cometidos pelo empresário José Carlos BUMLAI que justificam que ele permaneça preso.
     No documento, o procurador também aponta riscos de que BUMLAI continuará a cometer crimes caso seja solto.
     Em agosto de 2016, o juiz Sérgio Moro determinou que BUMLAI voltasse à prisão por representar risco à investigação e pelo estado de saúde de BUMLAI ser estável.



COLABORAÇÃO com a JUSTIÇA.



     Em 30 de maio, em tentativa de fechar acordo de delação premiada, o PECUARISTA afirmou à Justiça Federal que o PT (PETRALHAS) "assumiu totalmente" o empréstimo de R$ 12 milhões, tomado de forma fraudulenta em 2004, em seu nome, no Banco Schahin.
     A Operação Lava Jato descobriu que o valor nunca foi pago pelo partido e que o negócio foi compensado ao Grupo Empresarial com um contrato de US$ 1,6 bilhão, na Petrobras, cinco anos depois.

“O empréstimo foi assumido pelo PT, totalmente assumido pelo PT”.



DENÚNCIA e CONDENAÇÃO – DENUNCIADO pelo MPF.



     Em 21 de julho de 2016, foi denunciado pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal por Obstrução à Justiça na Lava Jato.
     Em 28 de julho de 2016, a Justiça Federal do Distrito Federal aceitou a denúncia contra BUMLAI, acusado de participar de uma trama para comprar a Delação Premiada do ex-diretor da Petrobras NESTOR CERVERÓ.



CONDENADO pela JUSTIÇA do PARANÁ.



     No dia 15 de setembro de 2016, BUMLAI foi condenado pela Operação Lava Jato a 09 anos e 10 meses pelos crimes de Corrupção Passiva e Gestão Fraudulenta de Instituição Financeira.
     "A prática do crime envolveu fraudes de especial complexidade, como a quitação por simulação de doação em pagamento de semoventes, de difícil detecção, e ainda a utilização de Empresa Estatal em benefício indevido de Agremiação Partidária e do próprio condenado", afirmou o juiz em sua sentença.



PROBLEMAS de SAÚDE.



     Em março de 2016, BUMLAI veio a ser diagnosticado com câncer na bexiga. No mesmo mês, o juiz Sérgio Moro autorizou por três meses a prisão domiciliar de BUMLAI em razão desse diagnóstico.



Observações do escriba:



     1ª - Na Wikipédia estão disponíveis 16 referências sobre o suposto “Santo” BUMLAI.

     2ª – Essa é uma obra de FICÇÃO CIENTÍFICA.



ALGUMAS REFERÊNCIAS CURIOSAS.



     01 - Leonardo Attuch (abril de 2009). «O CONSELHEIRO RURAL DO MOLUSCO». Dinheiro rural. Consultado em 21 de julho de 2016.
     02 - Julia Affonso e Mateus Coutinho (21 de julho de 2016). «Lava Jato pede condenação do amigo do MOLUSCO por corrupção». Estadão. Consultado em 21 de julho de 2016.
     03 - «Amigo do MOLUSCO, pecuarista BUMLAI depõe nesta terça à CPI do BNDES». G1. Globo. Consultado em 21 de julho de 2016.
     04 - «Empresário José Carlos BUMLAI fica calado em depoimento à CPI do BNDES». Ultimo Segundo. iG. Consultado em 21 de julho de 2016.
     05 - Agência Estado (27 de fevereiro de 2016). «José Carlos BUMLAI atendeu à família do MOLUSCO, diz defesa do PECUARISTA». Correio Braziliense. Consultado em 21 de julho de 2016.
     06 - «MPF do DF denuncia MOLUSCO, Delcídio, BUMLAI e mais 04 pessoas por Obstrução à Justiça». InfoMoney. 21 de julho de 2016. Consultado em 21 de julho de 2016.
     07 - «Entenda quem é BUMLAI, amigo do MOLUSCO preso na Lava Jato». Folha de S.Paulo. 24 de novembro de 2015. Consultado em 21 de julho de 2016.
     08 - «BUMLAI diz em delação que empréstimo foi "totalmente assumido" pelo PT (PETRALHAS)». UOL. 30 de maio de 2016. Consultado em 21 de julho de 2016.
     09 - Ricardo Brito (21 de julho de 2016). «MPF de Brasília denuncia MOLUSCO, Delcídio, André Esteves por Obstrução à Justiça». Estadão. Consultado em 21 de julho de 2016.





CATEGORIAS:




• Nascidos em 1944.
• Naturais de Corumbá.
• Brasileiros de ascendência portuguesa.
• Brasileiros de ascendência italiana.
• Engenheiros de Mato Grosso do Sul.
• Empresários de Mato Grosso do Sul.
• PECUARISTAS do Brasil.
• Pessoas condenadas na Operação Lava Jato.
• Condenados por corrupção.
• CRIMINOSOS do Brasil.



     Esta página foi editada pela última vez às 20h52min de 10 de novembro de 2017.







NESTOR CERVERÓ.



     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.




     NESTOR CUÑAT CERVERÓ (Rio de Janeiro, 15 de agosto de 1951 – 66 anos) é um Engenheiro Químico brasileiro, também detentor de nacionalidade espanhola, que se tornou nacionalmente conhecido pelas investigações da Operação Lava Jato, sendo condenado por Corrupção Passiva e Lavagem de Dinheiro a uma pena de doze anos e três meses de prisão.
     CERVERÓ foi Diretor Internacional da Petrobras de 2003 até 2008, e diretor financeiro da BR Distribuidora de 2008 a 2014, sendo exonerado do cargo após investigações da Operação Lava Jato.



BIOGRAFIA.



     Funcionário de carreira da Petrobras desde 1975, CERVERÓ se tornou um executivo de alto escalão em 2003 ao ser indicado ao cargo pela então ministra de Minas e Energia Dilma Rousseff, e pelo senador Renan Calheiros.
     CERVERÓ foi identificado como o autor de um relatório que levou a empresa a adquirir, em 2006, a refinaria Pasadena Refinery System Inc situada nos Estados Unidos, negócio que, anos depois, trouxe um grande prejuízo à estatal.
     Segundo relato do comitê de auditoria da Petrobras, concluído em 24 de outubro de 2014, NESTOR CERVERÓ teria omitido informações relevantes em apresentações à Diretoria Executiva e ao Conselho de Administração da Empresa, que resultaram em "substanciais perdas financeiras para a Petrobras".
     Após 2008, quando saiu da Diretoria Internacional da Petrobras, CERVERÓ foi indicado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e nomeado a Diretor Financeiro e de Serviços de uma subsidiária da Petrobras, a BR Distribuidora.
     Em sua delação, CERVERÓ conta que Lula indicou seu nome para o cargo na BR Distribuidora “como reconhecimento da ajuda”, e rendeu ao delator um “sentimento de gratidão do PT - PETRALHAS”.



OPERAÇÃO LAVA JATO.


     Ver artigos principais: - Operação Lava Jato e Lista de pessoas envolvidas na Operação Lava Jato.



     Com os depoimentos dados na CPI da Petrobras, e para que fossem cumpridos os mandados de busca e apreensão e de prisões, foi implantada pela Polícia Federal em março de 2014, a chamada Operação Lava Jato.
     CERVERÓ foi preso em uma das ações desta operação, na madrugada do dia 14 de janeiro de 2015 ao retornar de Londres, no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro - Galeão.
     Em 26 de maio de 2015, foi condenado a cinco anos de prisão em regime fechado por crime de Lavagem de Dinheiro.
     De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), CERVERÓ comprou um Apartamento de Luxo em Ipanema, no Rio de Janeiro, usando a Empresa Jolmey, criada por ele e o uruguaio Oscar Algorta.
     O advogado de CERVERÓ, Edson Ribeiro, afirmou que iria recorrer da sentença. O MPF protocolou uma apelação pedindo uma pena maior, de nove anos e quatro meses, e que seja afastado de cargos ou funções públicas pelo dobro do tempo da pena.
     Em 17 de agosto de 2015 a justiça condenou NESTOR CERVERÓ e os LOBISTAS Fernando Antônio Soares, conhecido como Fernando Baiano e apontado como operador do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras, e Júlio Camargo por Corrupção e Lavagem de Dinheiro em uma das ações penais decorrentes da Operação Lava Jato, que investiga o pagamento de PROPINA em contratos para compra de navios-sondas pela estatal.
     Somado à condenação de maio de 2015, CERVERÓ deve cumprir pena de 12 anos, três meses e dez dias de reclusão pelos crimes de Corrupção e Lavagem de Dinheiro mais o pagamento de multa.
     De acordo com a sentença proferida, ficou comprovada a movimentação de fluxo financeiro no exterior de valores da empresa Samsung, contratada pela Petrobras para fornecimento dos navios-sondas, para Júlio Camargo, que repassou parte do dinheiro para Fernando Baiano e NESTOR CERVERÓ.




COMPRA da REFINARIA PASADENA.


     Ver artigo principal: - Pasadena Refinery System Inc.



     Em 2006, a Petrobras pagou 360 milhões de dólares por 50% da refinaria Pasadena. Dois anos depois, a empresa brasileira e a belga Astra Oil, sócias no negócio, desentenderam-se e uma decisão judicial obrigou a estatal brasileira a comprar a parte que pertencia à Astra Oil.
     A aquisição da refinaria de Pasadena acabou custando 1,18 bilhão de dólares à Petrobras, mais de 27 vezes o que a Astra Oil teve de desembolsar.
     Em 22 de maio de 2014, CERVERÓ foi ouvido pela CPI que investigou a Petrobras no Senado Federal, conhecida como CPI da Petrobras.



PROPINA na COMPRA da REFINARIA.



     Em depoimento após fechar acordo de delação premiada, CERVERÓ afirmou que funcionários da empresa Astra Oil e da estatal brasileira receberam um total de US$ 15 milhões de propina pela compra da refinaria de Pasadena.
     O negócio acabou gerando prejuízo de quase US$ 792 milhões para a estatal, conforme o Tribunal de Contas da União (TCU).



PRISÃO.



     Em 14 de janeiro de 2015, NESTOR CERVERÓ foi preso pela Polícia Federal, em decorrência das investigações da Operação Lava Jato, acusado de envolvimento nos crimes investigados na Operação Lava Jato.
     Por meio de nota, o Ministério Público Federal informou que foi cumprido um mandado de prisão preventiva, pois "há indícios de que o ex-diretor continua a praticar crimes e se ocultará da Justiça".



CONDENAÇÃO.

     Ver artigo principal: - Lista de pessoas condenadas na Operação Lava Jato.



     Em maio de 2015, por decisão do juiz federal Sérgio Moro, NESTOR CERVERÓ foi condenado pela justiça, por Corrupção Passiva e Lavagem de Dinheiro, a uma pena de 12 anos e 03 meses de prisão.
     No ano de 2015, NESTOR CERVERÓ foi condenado a 05 anos de prisão por ter comprado um apartamento na Rua Nascimento Silva, em Ipanema, no Rio de Janeiro, em 2009, com dinheiro de corrupção da Petrobras.
     Sérgio Moro ressaltou que também existia risco de fuga do país, já que, NESTOR CERVERÓ possuía um passaporte espanhol.
     Em 30 de novembro de 2016, o relator, desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) João Pedro Gebran Neto decidiu pelo aumento da pena, aceitando o recurso do Ministério Público Federal.
     O voto dele foi acompanhado pela maioria. Com isto, CERVERÓ que havia sido condenado a 12 anos e 03 meses por Sério Moro, passou a ser condenado por 27 anos e 4 meses de reclusão.
     No entanto, ele cumpre a pena de acordo com os termos da Delação Premiada.



DELAÇÃO PREMIADA.



     Em 18 de novembro de 2015, CERVERÓ fechou acordo de Delação Premiada, após sua defesa entregar evidências de que Delcídio do Amaral tentou fazer com que ele não firmasse colaboração com a justiça.
     Em sua delação, CERVERÓ acusa senadores de receber propina, entre eles Jader Barbalho (PMDB) e Renan Calheiros (PMDB). O dinheiro viria de contratos da Petrobras para a compra de navios-sonda.
     Em 02 de junho de 2016, os depoimentos de CERVERÓ foram tornados públicos pelo Supremo Tribunal Federal, neles, afirmou à Justiça que a presidente afastada Dilma Rousseff mentiu quando disse que aprovou a compra da refinaria de Pasadena por não ter informações completas sobre o negócio.
     CERVERÓ disse supor que Dilma sabia que políticos do PT (PETRALHAS) receberam propina para a compra da refinaria.
     Em depoimento à Procuradoria-Geral da República (PGR), afirmou que, em 2012, o senador Renan Calheiros o chamou em seu gabinete no Senado para reclamar da 'falta de propina'.
     Na ocasião, o presidente da casa era José Sarney (PMDB/AP).



CARACTERÍSTICA FÍSICA MARCANTE.



     CERVERÓ apresenta um dos olhos visivelmente mais baixo do que o outro, o que, possivelmente, seria o resultado de uma combinação de PTOSE e EXOFTALMIA.




Observações do escriba:



     1ª - Na Wikipédia estão disponíveis 28 referências sobre o “Bispo” NESTOR CERVERÓ.

     2ª – Metade dessa obra é FICÇÃO CIENTÍFICA. A outra metade não é. Se você for portador de PTOSE e de EXOFTALMIA dificilmente você saberá distinguir a FICÇÃO da REALIDADE. Consulte um político...





ALGUMAS REFERÊNCIAS CURIOSAS.





     01 - Sentença. 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba. Processo nº 5083838¬59.2014.404.7000 (Qualificação do réu NESTOR CERVERÓ).
     02 - Veja: CERVERÓ se compara a Graça: 'Ela também transferiu imóveis aos filhos'.
     03 - «CERVERÓ diz que MOLUSCO o indicou para cargo como "reconhecimento" por ajuda». Época. Globo. Consultado em 25 de julho de 2016.
     04 - João Valadares. «Delcídio: foi Dilma quem indicou CERVERÓ para a Petrobras». Correio Braziliense. Consultado em 25 de julho de 2016.
     05 - «'Renan indicou CERVERÓ para diretoria da Petrobras', diz Delcídio». G1. Globo. 20 de março de 2014. Consultado em 25 de julho de 2016.
     06 - «NESTOR CERVERÓ é preso pela Polícia Federal no Rio». Veja. 14 de janeiro de 2015. Consultado em 09 de abril de 2015.
     07 - «CERVERÓ, Fernando Baiano e Júlio Camargo são condenados na Lava Jato». 17 de agosto de 2015. Consultado em 14 de setembro de 2015.
     08 - «CERVERÓ fala para três senadores em sessão esvaziada da CPI da Petrobras». G1 Política. Consultado em 11 de outubro de 2015.
     09 - Jornal Nacional (18 de dezembro de 2015). «Compra de Pasadena rendeu propina de US$ 15 milhões, afirma CERVERÓ». G1 Paraná. Consultado em 18 de dezembro de 2015.
     10 - «NESTOR CERVERÓ é preso pela Polícia Federal no aeroporto do Rio». 14 de janeiro de 2015. Consultado em 10 de dezembro de 2015.
     11 - Ana Zimmerman (17 de dezembro de 2015). «NESTOR CERVERÓ acusa vários senadores de receber propina». G1 Jornal Hoje. Consultado em 18 de dezembro de 2015.
     12 - «Em delação, NESTOR CERVERÓ afirma que Dilma mentiu sobre compra da refinaria de Pasadena». Zero Hora. 02 de junho de 2016. Consultado em 02 de junho de 2016.
     13 - «Renan Calheiros reclamou de 'falta de propina', diz NESTOR CERVERÓ ». O Dia. iG. 02 de junho de 2016. Consultado em 02 de junho de 2016.




CATEGORIAS:




• Nascidos em 1951.
• Brasileiros de ascendência espanhola.
• CONDENADOS por CORRUPÇÃO.
• Engenheiros Químicos do Brasil.
• Executivos do Brasil.
• Naturais do Rio de Janeiro (cidade).
• Pessoas da Petrobras.
• Pessoas condenadas na Operação Lava Jato.



     Esta página foi editada pela última vez às 02h52min de 09 de janeiro de 2018.






JACÓ BITTAR.



     Origem: - Wikipédia, a enciclopédia livre.




    
     JACÓ BITTAR (Manduri, SP, 1940 – 78 anos) é um petroleiro, político e sindicalista brasileiro.
     Foi um dos fundadores do Sindicato dos Petroleiros de Paulínia e Campinas, da CUT e do Partido dos Trabalhadores (PETRALHAS).
     Foi presidente do Sindicato dos Petroleiros e prefeito de Campinas. É conselheiro do Fundo de Pensão da Petrobrás - PETROS.



VIDA PROFISSIONAL.




     Começou a trabalhar na Petrobrás em 1962 como operador de processamento. Trabalhou na Refinaria Presidente Bernardes (Cubatão) e na Refinaria do Planalto (Paulínia).
     Em 1983, liderou a primeira greve de petroleiros desde 1964, sendo demitido juntamente com centenas de outros petroleiros.



VIDA PÚBLICA.



     Em 1973 fundou o Sindicato dos Petroleiros de Campinas e Paulínia. Em 1980 foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT - PETRALHAS) ao lado de Olívio Dutra e de Luiz Inácio Lula da Silva, tendo sido o secretário-geral do partido durante quatro anos.
     Participou também da fundação da Central Única dos Trabalhadores, em 1983.
     Foi candidato derrotado do PT (PETRALHAS) ao Senado pelo Estado de São Paulo em 1982, na primeira eleição direta de governador desde 1962, tendo sido o quinto mais votado, com 9.6% dos votos.
     Voltou a concorrer ao senado em 1986, sendo novamente o quinto mais votado com 9.4% dos votos.
     Em 1988 elegeu-se prefeito de Campinas com 32,4% dos votos. Desavenças com o seu vice-prefeito e secretário de obras Antonio da Costa Santos, o "Toninho do PT (PETRALHAS)" (posteriormente eleito prefeito de Campinas) levaram a denúncias de SUPERFATURAMENTO e crise política.
     Em 1991, no terceiro ano de mandato, JACÓ BITTAR deixou o PT (PETRALHAS), filiando-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB).
     Em abril de 2003 foi nomeado conselheiro da PETROS, o segundo maior Fundo de Pensão do País.
     As críticas de que a indicação foi política e por amizade com o ex-presidente Lula foram desmentidas pela PETROS.



PROCESSOS.



     Em 1994, JACÓ BITTAR foi condenado em primeira instância a ressarcir a prefeitura de Campinas, por obras sem licitação, no aterro sanitário Delta I.
     A sentença foi confirmada em 1998 em segunda instância pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.
     Outra condenação em primeira instância por propaganda irregular também foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.
     Há também processos sobre concorrência dirigida e o SUPERFATURAMENTO na construção de VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos), e, malversação de verbas de captação e tratamento de esgoto da bacia do Ribeirão Anhumas.
     Em setembro de 1997 os bens de JACÓ BITTAR foram cautelarmente indisponibilizados, durante o processo que investigava a contratação sem licitação, da CPEM (Consultoria para Empresas e Municípios).
     Em outubro de 1998 os bens foram desbloqueados por determinação do juiz da 6ª Vara Cível de Campinas, Gilberto Luiz Carvalho Francischini.



Observações do escriba:


     1ª - Na Wikipédia estão disponíveis sete referências sobre JACÓ BITTAR.

     2ª – Essa é uma obra baseada em FATOS IRREAIS.



ALGUMAS REFERÊNCIAS CURIOSAS.




     01 - Rubens Valente (15 de junho de 2005). «MOLUSCO nomeia ex-petista amigo para a PETROS». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de junho de 2017.
     02 - «PETROS afirma que indicação não foi política». Folha de S.Paulo. 15 de junho de 2005. Consultado em 30 de junho de 2017.
     03 - «"Era BITTAR" teve três escândalos». Folha de S.Paulo. 02 de maio de 1999. Consultado em 30 de junho de 2017.




CATEGORIAS:



• Nascidos em 1940.
• Prefeitos de Campinas.
• Naturais de Manduri (São Paulo).
• Partido dos Trabalhadores (PETRALHAS).
• Membros do Partido Socialista Brasileiro.


     Esta página foi editada pela última vez às 10h42min de 24 de janeiro de 2018.




    A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”.  
     Quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018.
      


Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



    
     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Wikipédia. (3) - OUTRAS FONTES.





jorge martins
Enviado por jorge martins em 15/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras