Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VONTADE... "Data máxima vênia, Sr. Lucas Carvalho. Data vênia Sr. Sidney Puterman". - Mensagem.





A LIBERDADE... A VONTADE... “Data máxima vênia, Sr. Lucas Carvalho. Data vênia, Sr. Sidney Puterman”.




Eu li e achei isso.


“Deus é justo”, por Grigore Valeriu.


     Terça-feira, 25 de dezembro de 2012. Sidney Puterman.


     Se o título fosse “Confissões de um Idiota”, não seria de todo ruim. Peguei pesado? Não creio. O autor disserta sobre sua vida, partindo do nascimento na Romênia ocupada e da infância atribulada no regime comunista. Culpa a muitos pela suas desditas na Europa e também pelo seu início no Brasil.
     Se lá foi uma criança problemática, aqui se revelou um adulto excêntrico. Judeu com o proverbial tino para os negócios, não tardou a se resolver bem financeiramente, vendendo - como corretor, a princípio -,  e depois comprando - como investidor -, uma série de imóveis.
     Embora não diga quantos, insinua que adquiriu muitos, antes mesmo do casamento com a ex-empregada doméstica do tio.
     Grigore, abonado, vivia em um quarto e sala sem móveis, e só depois de casado confessou à esposa que não era pobre, e sim suficientemente rico.
     A morte do pai e o suicídio da mãe o perturbaram e, até então ateu convicto, acabou indo parar em um templo da Universal, onde se desfez de todos os bens em prol da Igreja do Bispo Edir Macedo.
     Como doou tudo e não trabalhava, tornou-se um miserável, e foi na porta da própria Igreja espoliadora que ele foi bater em busca de emprego. Foi rechaçado, mas, como não desistiu, acabaram por aceitá-lo (segundo ele, se deu assim).
     Embora não tivesse experiência como advogado, logo se tornou o mais importante advogado da seita e íntimo do Bispo Macedo, a quem, em seu relato, LIVROU de muitas e boas.
     Como, porém, não aceitou ser o agente da tentativa de suborno de um juiz (Rocha Mattos, o da cabeleira, há muitos anos preso por participar de um esquema de venda de sentenças), se indispôs com a Universal e voltou à miséria anterior.
     Fez um acordo trabalhista e, não obstante no acordo tenha renunciado ao seu direito de processar a Igreja, assim o fez, traindo o acordado.
     Conseguiu um novo acordo e recebeu de volta o dinheiro equivalente aos imóveis que doou. Ponto final. Essa é a síntese da versão de Grigore Avram Valeriu.
     Porém, além de ser uma estória de um sujeito de atitudes sobremaneira idiotas, é inverossímil, rocambolesca nas suas reviravoltas  e simplista no que tange ao comportamento dos personagens.  
     O autor faz dele próprio um monumento à ingenuidade, ao expor a sua relação de explorado pela Igreja até o último centavo, mas se torna o mais malicioso e ponderado dos seres, ao assumir o papel de advogado da seita e depois, ao final, de escritor. São personalidades suspeitamente contraditórias.
     Os encaixes são todos tão favoráveis à tese de que o autor foi lesado em sua irreprimível boa fé, da qual é irresistível não desconfiar.
     No mais, ainda que a obra dê nome aos bois e só livre – e bem – a cara de Marcelo Crivella, é um livrinho pitoresco, em sua primeira metade, e aborrecido,  na segunda.
     Sabe quando alguém se faz de sonso, contando uma estória, bem na sua cara, e você vê que tem truta debaixo do monte de blablablá? Pois é.
     O livro é fraco. A estória, um concurso de MENTIROSOS entre PASTORES e o EX-ENGANADO. Não me convenceram, não.
     Eu se fosse você, ia rezar (ou orar) noutra paróquia. (Idéia & Ação, 213 páginas).




Observações do escriba:


     1ª - É. Pode ser...

     2ª – O livro que eu li e do qual transcrevi parte da estória, intitula-se “A verdadeira história da Igreja Universal”, datado de 2008, com 264 páginas, impresso em Aracaju (Sergipe) pela gráfica Sercore e foi publicado em 2008. Aracaju ainda existe e a gráfica Sercore ainda existe em Aracaju.

     3ª – Aracaju ainda existe, mas lamentavelmente está empesteada de “Templos Pentecostais” de todas as marcas e qualidades (é negócio mesmo), repletos de falsos pastores e até de “soldados da fé”. Na realidade “perigosos traficantes” da fé. Na platéia, incautos fiéis.      


     4ª – O livro que o Sr. Sidney Puterman leu é intitulado como “Deus é justo”, impresso pela Idéia & Ação, com 213 páginas e provavelmente publicado em 2012. Pode ser até que o meu livro contenha o mesmo conteúdo do livro do Sr. Sidney Puterman. Não tenho certeza.  

     5ª – Se o conteúdo é o mesmo, por que a mudança do título? Existe algo de podre no reino da IURD!

     6ª – Não creio que tudo venha a ser inverossímil nem também verossímil por parte do autor.

     7ª – Algumas verdades: - 1º - “Bispo” Edir Macedo existe. 2º - “Bispo” Marcelo Crivella existe. 3º - “Bispo” Carlos Magno existe. 4º - O juiz Rocha Mattos existe e foi realmente preso. 5º - Vários cultos da IURD ocorreram no Maracanã. 6º - O advogado GRIGORE pode realmente ter conseguido revogar a Ordem de Prisão contra Edir Macedo por 24 horas e o “Bispo” ter comparecido ao Maracanã (mesmo que transportado no porta-malas de um carro), naquela época. 7º - Pois, naquele mesmo ano, alguns meses depois do culto no Maracanã, o “Bispo” Edir Macedo foi preso e ficou detido por 11 dias numa delegacia de São Paulo, etc.  

     8ª – Duas perguntas que não querem calar: - A – Quais as VERDADEIRAS denúncias do “Bispo” CARLOS MAGNO? B – Com que DINHEIRO o “Bispo” EDIR MACEDO conseguiu comprar a RECORDTV?

     9ª – Pastores mentirosos? O que esperar de FALSOS PASTORES? Mentiras!

    



     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE (Ex-PAÍS do FORRÓ e futuro “PAÍS da BOMBA ATÔMICA”), localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Quinta-feira, 18 de janeiro de 2018.




Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



    
     Fontes: (1) – INTERNET. (2) - OUTRAS FONTES.
        
jorge martins
Enviado por jorge martins em 18/01/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras