Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VONTADE... "O 'Conselheiro" CAIO FÁBIO e o DITADOR KADAFI ajudaram a DITADURA PETISTA?" - Os PETRALHAS sobreviventes que se cuidem...





A LIBERDADE... A VONTADE... “O ‘Conselheiro’ CAIO FÁBIO e o DITADOR KADAFI ajudaram a DITADURA PETISTA?”. Os PETRALHAS sobreviventes que se cuidem...



CAIO FÁBIO – 1ª versão.



    
      Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.




     Caio Fábio D'Araújo Filho, mais conhecido como Caio Fábio (Manaus, 15 de março de 1955 – 62 anos) é um escritor, psicanalista e ex-pastor presbiteriano brasileiro.
     Foi o fundador e presidente da Associação Evangélica Brasileira (AEVB), é líder e mentor do Movimento Caminho da Graça (sediado em Brasília), grupo que possui subestações espalhadas pelo Brasil e pelo mundo.



BIOGRAFIA.



     Caio Fábio D'Araújo Filho nasceu em Manaus, capital de Amazonas, em 15 de março de 1955, filho do advogado, pastor e ex-procurador da república Caio Fábio D'Araújo e da professora aposentada e autora do livro "O que faço não o sabes agora", Lacy Silva D´Araújo.
     O pai se converteu à Igreja Presbiteriana em 1967, e posteriormente a toda família. Ele foi ordenado ao ministério em 10 de janeiro de 1971.
     O filho, embora já frequentasse a igreja, se batizou apenas em 1973 (na mesma igreja do pai).
     Em 1974, aos 19 anos, Caio Fábio casou-se com a terapeuta Alda Maria Fernandes e com ela teve cinco filhos: Ciro, Davi, Lukas, Juliana (filha adotiva) e outro que morreu recém-nascido.
     O casamento durou até 1999. O filho Lukas morreu atropelado por automóvel aos 23 anos, no dia 27 de março de 2004.
     É casado há mais de uma década com a também pastora Adriana D'Araújo.
     No início de 1977, foi ordenado pastor presbiteriano aos 22 anos, ao apresentar a tese que tratava da salvação dos pagãos fora da religião, embora ainda, não houvesse passado por um seminário.
     Mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro em 1978, onde fundou a Visão Nacional de Evangelização (VINDE), organização evangelística que lhe serviu de apoio por muito tempo ao seu ministério de evangelização, por meio da qual realizou congressos e cruzadas em todo o Brasil.
     Posteriormente a VINDE passou também voltada para a assistência social.
     Lançou o livro "Sem Barganhas com Deus", com repercussão nacional.
     Durante os anos 80 foi um preletor requisitado, participando de congressos evangélicos, com o Congresso Ibero-Americano de Missões em 1986, Congresso de Evangelismo na União Soviética em 1990, no 1º Congresso Nacional da AEVB (no livro "A Igreja Evangélica na Virada do Milênio", contém as palestras proferidas naquele congresso) entre outros.
     Na época, foram 30 livros e 76 conferências publicados, na qual venderam mais de 06 milhões de exemplares, e que doava 90% dos direitos autorais para organização não-governamental VINDE.
     Em 1994, em gesto polêmico, passou a embolsar a totalidade do dinheiro ganho em seus livros e conferências.
     Em declaração à revista Veja em 1999, justificou: "Eu seria hipócrita, pois meus filhos estavam crescendo e tinham novas necessidades".
     No início dos anos 90, passou a ser respeitado por autoridades, intelectuais e artistas brasileiros.
     Entre eles estavam o teólogo Leonardo Boff, o humorista Chico Anysio, o escritor Paulo Coelho. E vários líderes políticos.
     Caio Fábio fundou a Fábrica de Esperança, projeto de assistência social implantado na favela Acari, no Rio de Janeiro, atendendo 15 mil adolescentes por mês.
     Depois de mais 10 anos no Rio de Janeiro, voltou para Manaus em 1994, onde posteriormente foi convidado a ser televangelista no programa religioso na TV RBN Manaus (hoje Boas Novas Manaus), na qual a Rede Boas Novas era transmitida nas parabólicas e afiliada à Rede Manchete.
     Foi apresentador até 1996.
     Chegou a ter um patrimônio de 05 milhões de dólares, o qual doou, todo para a igreja e para as obras do Evangelho.
     Conseguiu concessão de canal a cabo na Globo Cabo no Rio de Janeiro. A TV Vinde entrou no ar em dezembro de 1996.
     Para viabilizá-la financeiramente, o Canal vendia comerciais e recebia doações.
     Em 1997, foi premiado com o Prêmio PNBE de cidadania.
     Em novembro de 1998, foi denunciado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) de ter fornecido e ser o principal "corretor" da negociação envolvendo os documentos do, assim chamado, Dossiê Cayman em que mostrava a existência de contas e empresas secretas do Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso e de outros políticos do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), num paraíso fiscal do Caribe, as Ilhas Cayman.
     Parte dos papéis que foi divulgada pela imprensa brasileira provocou outro escândalo, porque os documentos tinham origem apócrifa, com negações dos envolvidos, o que levou até a Polícia Federal do Brasil a pedir informações ao Governo do Reino Unido.
     Depois disso, Caio Fábio teve a vida revirada pela PF. Foi acusado por calúnia, como um dos participantes. Entrou em depressão e emagreceu 25 quilos.
     Em Novembro de 2011, foi condenado em 1ª instância pela Justiça Eleitoral, a quatro anos de prisão, apesar de ter sido inocentado nos depoimentos das vítimas do Dossiê Cayman, inclusive pelo próprio Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, e também por Eduardo Jorge, ex-secretário de governo de FHC, e posteriormente, pelo próprio líder do PT e também Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.  
     Contraditório a todas essas provas, Caio Fábio foi considerado o responsável por elaborar e divulgar o Dossiê, incorrendo em crime de calúnia e falsificação.
     A sentença da juíza de primeira instância Léa Maria Barreiros Duarte baseou-se em investigação que contou com a participação até do FBI.
     Caio Fábio, falou sobre a sentença de condenação, classificada por ele como "arbitrária", em seu canal na Internet, a Vem & Vê TV, onde explicou sobre as acusações, dizendo que recorreu da sentença e aguardava o arquivamento da denúncia.
     Em 1999, foi morar em Miami, Flórida, onde voltou a pregar.
     A Fábrica da Esperança (projeto de assistência social implantado pelo pastor na favela carioca de Acari), que chegou a atender 15 mil pessoas por mês, recebia ajuda de órgãos ligados ao estado e também, de iniciativas privadas, mas que retiraram o apoio devido ao problema político envolvendo o presidente da república.
     Vendeu a revista Vinde por R$ 500 mil reais para um grupo evangélico de São Paulo.
     Arrendou o seu canal de televisão, a TV Vinde, para a Fundação Evangélica Boas Novas, da Igreja Assembléia de Deus.
     Em 2003, ao próprio pedido, foi exonerado do ministério da Igreja Presbiteriana do Brasil.  
     Pertenceu a denominação sendo membro da Catedral Presbiteriana do Rio, que foi pastoreada pelo reverendo Guilhermino Cunha, com quem tem uma estreita amizade até os dias atuais.
     Por conta da proximidade que possuía com Guilhermino, Caio pregava na referida igreja pelo menos uma vez por mês.
     Após deixar o ministério pastoral, Caio rompeu definitivamente com o Movimento Protestante tornando-se o mentor espiritual do movimento “Caminho da Graça”, um movimento cristão formado, em sua maioria, por ex-evangélicos.


LIVROS.


- Sem barganhas com Deus ISBN 85-86671-59-2.
- Livro no Divã de Deus ISBN 8586467111.
- Família sombra e Luzes ISBN 8586467111.
- O Caminho do Discípulo ISBN 9788563882004.
- O privilégio de poder simplesmente dizer: tá doendo!


     Observação do escriba: – Na Wikipédia estão disponíveis 10 referências sobre Caio Fábio.






Categorias:


- Nascidos em 1955.
- Ex-pastores.
- Naturais de Manaus.
- Cristãos do Brasil.
- Ex-calvinistas.
- Ex-protestantes.


     Esta página foi editada pela última vez às 22h22min de 15 de novembro de 2017.




CAIO FÁBIO – 2ª versão.



Dossiê Cayman: - Caio Fábio é preso.


"Eu mesmo estava absolutamente certo que esse era um processo vencido há muito tempo e acabado", afirmou o pastor.



     “Foto: - Um áudio enviado para a redação do portal Gospel Prime, por uma pessoa ligada ao pastor Caio Fábio dá conta que ele foi preso nesta quarta-feira (24) pela Polícia Federal.


     A voz é inegavelmente do pastor, que procura explicar a situação para as pessoas ligadas ao seu ministério.
     “Aquela ação lá de (1998) do dossiê Cayman, teve vigência hoje e eu estou sendo conduzido para a superintendência da (Polícia) Federal e depois para a PAPUDA, num regime semiaberto.
    Não teve ainda nenhuma ação do meu advogado e eu mesmo estava absolutamente certo que esse era um processo vencido há muito tempo e acabado.  
     Então, com toda tranquilidade, gostaria só que vocês informassem o pessoal da igreja (…) o que “aconteceu”, diz o material.


Ouça na íntegra:

    
     Ainda segundo a fonte do Gospel Prime que prefere manter o anonimato. “A família do Pastor Caio está abalada, mas ele garantiu a todos que está em paz”.  
     Não há, por enquanto, uma nota oficial da assessoria do Pastor, mas ela deve ser publicada nas próximas horas.
     As primeiras informações dão conta que o advogado de Caio Fábio perdeu o prazo da defesa e pretende recorrer.



ENTENDA o CASO.


     O Dossiê Cayman, como ficou conhecido, foi revelado em 1998, nas vésperas da Eleição Presidencial.
     Ele continha dados sobre uma empresa e de contas que supostamente eram controladas por Fernando Henrique Cardoso, candidato à Reeleição.
     O conjunto de papéis também mostrava depósitos de US$ 368 milhões nessas contas, dinheiro arrecadado por meio de propina recebida pela Privatização de Empresas do Setor de Telecomunicações.
     Entre as pessoas que integram o inquérito estavam os adversários políticos de FHC: - Luiz Inácio Lula da Silva (PETRALHA), José Dirceu (PETRALHA), Paulo Maluf, Ciro Gomes, Marta Suplicy (PETRALHA), Marcio Thomaz Bastos, Leonel Brizola e Benedita da Silva (PETRALHA).
     Em seu depoimento ao caso, Lula afirmou ter tido um encontro com o Pastor Caio Fábio e outro com o ex-ministro Luiz Gushiken (PETRALHA).
     Ao perceber que os documentos eram falsos o PT não continuou as negociações sobre o dossiê.
     Em 2011, a Folha de São Paulo divulgou que o Pastor fora condenado pela Juíza Léa Maria Barreiros Duarte a quatro anos de prisão por ser considerado o autor dos documentos, mas ele não foi preso.
     “Essa sentença que saiu da parte desta Juíza não tem nenhum fundamento na realidade do processo. A começar do fato de que esta ação foi movida contra mim em 1998, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso”.
     “Por volta de 2005/2006 ele determinou que o Secretário da Presidência da República fosse depor representando-o e me isentou de tudo”, contou.
     “Meu coração está absolutamente em paz. Eu não irei a cadeia nenhuma”, garantia.
     Caio Fábio disse na ocasião que mesmo se fosse preso receberia uma coroa de glória, pois a Juíza agiu contrariando os depoimentos que o isentam da culpa. “No fim tudo isso vai contribuir para o meu bem porque eu amo a Deus”.





CAIO FÁBIO – 3ª versão.



IGREJA E MÍDIA: - O CASO DO PASTOR E DA COCAÍNA.


     Original Message - From: Edson Gonÿffffe Sent: segunda-feira, 30 de agosto de 2004 12h43min To: Caio Fabio Subject:



     A paz do Senhor querido Pr. Caio Fabio. Nesse período de eleições temos visto os púlpitos das "igrejas" serem entregues aos POLÍTICOS chamados EVANGÉLICOS, e isso muito me assusta, pois não vejo com bons olhos a associação da igreja com a política, devido aos inúmeros escândalos que já vi.
     Qual sua opinião sobre isso? Abaixo segue uma matéria que muito me preocupa, pois se tudo for verdade quem sofrerá não será só este "pastor", mas todos os cristãos verdadeiros do nosso país, que já sofrem com as gozações dos dízimos, de dar ibope para o diabo, de não poder fazer isso ou aquilo, que tem que ficar respondendo questionamentos sobre alguns programas de TV onde se conversa com os demônios, onde um copo com água ou uma rosa tem mais poder do que o nome de Jesus, e por tantos outros motivos.
     Pastor de novo sob suspeita. Religioso terá que apresentar à polícia documentos que comprovem a cessão de Reserva de Minas de ESMERALDAS na Bahia para sua igreja.  
     O titular da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), Milton Olivier, vai convocar o Pastor Marcos Pereira da Silva, presidente da Assembléia de Deus dos Últimos Dias, para explicar o arrendamento de uma Reserva de Minas de ESMERALDAS na Bahia.
     O Missionário Evangélico terá que apresentar os documentos de Cessão da Reserva à igreja na próxima semana.
     “Se ele não apresentar a documentação satisfatória, pode levantar suspeita sobre um suposto Esquema de Lavagem de Dinheiro”.
     “Essas coisas precisam ser bem esclarecidas”, disse o delegado.
     Segundo Milton Olivier, quando esteve prestando depoimento há 10 dias, o Pastor alegou que um homem que frequentava seus cultos e estava sendo procurado pela polícia havia se mudado para a Bahia para trabalhar em uma Reserva que pertencia a seu irmão até ser transferida para a igreja.
     A polícia ainda investiga a suposta ligação do pastor – que, em maio, foi autorizado pelo secretário de Segurança, Anthony Garotinho, a acabar com a Rebelião na Casa de Custódia de Benfica, que deixou 31 mortos – com a organização não-governamental Infante, em Acari, cujos telefones seriam usados por Traficantes em nome da entidade.
     Recibos de viagens que teriam sido feitas por bandidos também estariam em nome da organização.
     Quarta-feira, policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) apreenderam 1.074 fitas de vídeo em endereços de imóveis da igreja.
     O material será analisado para identificar foragidos da Justiça que estariam freqüentando cultos e foram filmados.
     Ana Maria Rodrigues, que seria integrante da Quadrilha do Chefe do Tráfico de Acari – Albérico de Azevedo Medeiros, o Derico, preso dia 03 no Paraná, num apartamento alugado por um pastor da igreja –, é uma das procuradas.
     Outra investigação aberta pela polícia é sobre a Fazenda Vida Renovada, em Nova Iguaçu, que será transformada em centro de lazer para fiéis.
     No local, três pessoas citadas no inquérito sobre Derico foram presas.
     Resposta: - Querido Edson: Graça e Paz! Faça como eu faço hoje em dia. Diga: “Isso não tem mais nada a ver comigo, nem eu com isto”.
     Afinal, os evangélicos não estão sendo injustiçados, mas apenas propriamente percebidos por muitos.
     Só um evangélico não enxerga outro evangélico.  
     Mas para o mundo os evangélicos são óbvios e feios, e com razão de ser, posto que são mesmo.
     De fato, meu amigo, os evangélicos podem ter tanta esperança de serem vistos de modo diferente pela sociedade quanto o Osama Bin Laden pelo mundo! Ora, talvez o Bin leve alguma vantagem.  
     Até onde consigo ver, me parece que os evangélicos já estão para além da cura.
     O melhor a fazer é deixar os mortos sepultarem seus próprios mortos. Quanto a nós, vamos pregar o Reino de Deus.
     Não há porque tentar botar remendo de pano novo em veste velha!
     Os evangélicos vêem essas coisas e se sentem perseguidos. Que nada.
     Enquanto os evangélicos não se enxergarem – e não creio que topem se enxergar -, o melhor a fazer é nem se associar com tal sigla.
     Hoje me sinto tão evangélico quanto me sinto católico. Ou seja: - Não me sinto nem uma coisa nem outra.
     Sobre o caso do pastor, é melhor não se apressar. Assim como os evangélicos não são moleza, a mídia também não é.
     E de evangélico e mídia eu entendo um pouco. Um pelo outro, sinceramente, não quero nem o troco. Um grande abraço. Caio.


     Observação do escriba: - Está na INTERNET. Será que COCAÍNA virou sinônimo de ESMERALDAS? Vou rezar para descobrir a mutação...




CAIO FÁBIO – 4ª versão.



Um assunto que até CAIO FÁBIO sabe. Será verdade?



KADAFI abasteceu campanha de LULA com US$ um milhão, diz PALOCCI.



     Informação faz parte das tratativas do acordo de delação premiada do ex-ministro, segundo revista Veja.


     O Estado de S.Paulo - 08 de dezembro de 2017- 10h10m.
     Capturado e morto em 20 de outubro de 2011, o EX-DITADOR líbio Muamar Kadafi enviou ao Brasil, "secretamente", US$ 01 milhão para financiar a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002.
     É o que o ex-ministro do petista, Antonio Palocci  (PETRALHA), teria afirmado nas tratativas de um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, segundo reportagem da revista Veja, nesta sexta-feira, 08.
     Palocci (PETRALHA) está preso em Curitiba desde setembro de 2016, quando foi alvo da 35ª fase da Lava Jato, a Operação Omertà.  
     Ex-ministro dos governos Lula (PETRALHA) e Dilma (PETRALHA), o petista foi condenado na Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 12 anos, 2 meses e 20 dias de prisão pelo juiz Sérgio Moro em junho deste ano.

     “Foto: Lula com Kadafi durante encontro em Abuja, Nigéria, em novembro de 2006. Foto: Ricardo Stuckert”.
    

     Palocci (PETRALHA) investe contra Lula (PETRALHA) desde o início das tratativas das negociações do acordo. Em setembro, ele fez divulgar uma carta, escrita de próprio punho da cadeia e entregue aos advogados para ser digitada e impressa, de três páginas e meia.  
     Explosivas, as palavras do ex-ministro foram endereçadas à presidente nacional do partido, a senadora Gleisi Hoffmann (PETRALHA).
      
     Cirurgicamente montada e retocada, a carta coloca o PT e Lula contra a parede, ao afirmar que seus dois governos e de sua sucessora foram corrompidos pelo “tudo pode”, pelos “petrodólares”.
     Antes,  no dia 06 de setembro, Palocci (PETRALHA) confessara negociar propinas com a Odebrecht e incriminara Lula ao revelar um suposto “pacto de sangue” entre o ex-presidente e o empresário Emílio Odebrecht, em 2010, em que foi acertado R$ 300 milhões em corrupção ao PT (PETRALHAS).  
     Já Kadafi (DITADOR) sempre manteve relação cordial com o ex-presidente (PETRALHA), sendo referido pelo petista como "amigo" ou "irmão".
     Durante seu mandato, Lula (PETRALHA) se reuniu pessoalmente quatro vezes com o DITADOR, que governou o país com mãos de ferro durante 41 anos.
     Em 2009 foram duas vezes. Uma delas foi na Cúpula América do Sul-África, realizada na Isla Margarita, Venezuela, no dia 26 de setembro.  
     Na época, houve muitas críticas à aproximação de Lula (PETRALHA) com Kadafi (DITADOR). Aconselhado por seus assessores mais próximos (o Ex-Ministro Celso Amorim (PETRALHA) e o Assessor Especial da Presidência Marco Aurélio Garcia - PETRALHA), Lula (PETRALHA) dizia que o Brasil não tinha preconceitos e que se tratava de uma diplomacia pragmática.

  


DEFESA.



     O PT (PETRALHAS) não se pronunciou a respeito da suposta delação de Palocci (PETRALHA). Segundo a assessoria de imprensa, o partido não comenta “notícias sem fonte”.  
     No dia 15 de setembro, a presidente nacional da legenda divulgou uma dura nota na qual acusa Palocci (PETRALHA) de inventar mentiras para agradar os procuradores da Lava Jato e conseguir os benefícios da delação premiada.
     “A se confirmar, na forma de delação oficial, o que foi vazado seletivamente para a imprensa, o ex-ministro será mais um condenado que desistiu de se defender e passou a mentir sobre Lula (PETRALHA) e o PT (PETRALHAS) para satisfazer os procuradores da Lava Jato.
     O método criminoso de coagir réus presos – ao qual poucos têm resistido – transformou a Vara de Curitiba numa indústria de delações, que premia a chantagem e a mentira, mas envenena o estado de direito e envergonha o sistema judicial brasileiro”, dizia a nota.


     Observação do escriba: - Depois de morto será que irão chamar o DITADOR KADAFI para depor?




O DITADOR KADAFI ajudou os PETRALHAS?



KADAFI, DITADOR obcecado por sexo e ABUSOS – Uma versão podre.


     Em livro, testemunhas revelam que líder líbio usava ESTUPROS para manter vivo seu regime

     “Foto: Beduíno. O DITADOR líbio fotografado em frente a uma de suas tendas, erguida para receber líderes africanos em Trípoli: abusos em série”.

     Por Fernando Eichenberg - Correspondente - 20/10/2012 - 21h43min - Atualizado em 20/10/2012 21h44min.
      PARIS — Numa manhã de abril de 2004, em Sirta, no litoral mediterrâneo da Líbia, a jovem Soraya, então com 15 anos, soube em sala de aula, por seu professor, que fora escolhida para entregar flores ao líder do país, Muamar Kadafi, na visita do presidente à escola de sua cidade natal.
     Superado o choque, mas ainda tomada pela excitação, Soraya vestiu para a ocasião especial o traje vermelho tradicional líbio - túnica, calça, véu e um pequeno chapéu.
     Ansiosa, se perguntava como saudar o grande Guia da Revolução: - Beijar sua mão? O que dizer? Deveria recitar algo?
     Chegado o tão esperado momento, tudo se passou muito rápido. Kadafi recebeu o buquê de flores, examinou-a com o olhar de alto a baixo, e passou a mão na cabeça dela.
     O anódino gesto, ela foi saber mais tarde, tratava-se de um sinal ao seu entourage. No dia seguinte, por volta das 15 horas, três guardas femininas do chamado Comitê da Revolução, uma delas vestindo Uniforme Militar e exibindo uma Pistola na Cintura, foram buscar a jovem no salão de cabeleireiro de sua mãe.
     Sem saber, Soraya acabara de se tornar uma das ESCRAVAS SEXUAIS de Muamar Kadafi, prisioneira do subsolo de Bab al-Azizia, a sede do governo, na capital, Trípoli.
     Sua história é descrita em um cru e longo depoimento a Annick Cojean, repórter especial do jornal “Le Monde”, no recém-lançado livro “O Harém de Kadafi” (que será lançado no Brasil pela editora Verus na semana que vem).
     A obra traz uma detalhada investigação sobre a utilização do SEXO e do ESTUPRO como ARMA de GUERRA pelo DITADOR líbio em seus anos no poder.
     Em sua apuração, na qual encontrou outras vítimas sexuais e também integrantes do regime kadafista, a autora revela como o autoproclamado Guia da Revolução ESTUPRAVA jovens virgens e depois as mantinha por anos sob tutela. Sodomizava jovens homens de sua guarda pessoal. Recrutava meninas do exterior. Empenhava-se em seduzir advogadas, diplomatas, mulheres e filhas de seus ministros - e mesmo de outros chefes de Estado africanos.
     Soraya foi ESTUPRADA, desvirginada, golpeada com violência, ameaçada, forçada a FUMAR HAXIXE ou a CHEIRAR COCAÍNA com Kadafi antes de ser submetida a suas sevícias.
     De seu quarto só podia sair para os aposentos do Guia, quando requisitada, ou para fazer as refeições no refeitório do subsolo, onde estavam alojadas outras jovens do Harém Presidencial.
     “Muamar Kadafi destruiu a minha vida”, resume a jovem em seu relato.
     Annick Cojean, que desembarcou na Líbia para inquirir sobre o papel das mulheres líbias nas revoltas contra o governo, acabou descobrindo os horrores da alcova de Bab al-Azizia e encontrou Soraya pela primeira vez em outubro de 2011, dias após a execução de Kadafi pelos rebeldes.
     “Descobri que centenas de jovens foram sequestradas por uma hora, uma noite, uma semana ou por anos, e obrigadas, pela força ou pela chantagem, a se sujeitar às fantasias e violências sexuais de Kadafi.
     Que pais e maridos trancavam suas filhas e mulheres para preservá-las do olhar e da cobiça do Guia.
     “Descobri que o TIRANO, nascido numa família de beduínos muito pobres, governava pelo sexo, obcecado pela ideia de possuir um dia as mulheres e as filhas de ricos e poderosos, de seus ministros e generais, de chefes de Estado e de soberanos”, escreve.



SOLDADOS RECEBIAM VIAGRA.



     As célebres “amazonas” de Kadafi, acobertadas no chamado “serviço especial” do governo, serviam à propaganda revolucionária, mas eram na verdade Objetos Sexuais de seu Líder.
     E a utilização do ESTUPRO excedia os limites do bunker presidencial.
     Numa prisão de Misurata, Annick entrevistou dois soldados kadafistas, de 22 e 29 anos.
     “Por vezes ESTUPRÁVAMOS toda uma família. Meninas de oito, nove anos, jovens de 20 anos, sua mãe, às vezes diante de seu avô. Elas gritavam, nós batíamos forte”.
     Mas o líder da tropa insistia: - “Violem, batam e filmem! Vamos enviar isto para os homens delas. Sabemos como humilhar esses imbecis”, conta um deles.
     Vimos isso de forma semelhante no Kosovo, no Congo, mas na Líbia era algo muito bem orquestrado.
     Era tudo filmado, havia distribuição de Viagra para os soldados, com ordens vindas de cima. O sexo era, para Kadafi, uma forma de governar o país - afirma Annick.
     Soraya, hoje aos 23 anos, é uma jovem desamparada, aniquilada por seu passado, renegada pela família e ameaçada - tanto por kadafistas como pelos ex-rebeldes agora no poder.
     A morte do Guia foi, ao mesmo tempo, um alívio e uma frustração. Seu desejo era o de que fosse julgado e condenado por todos os seus crimes, incluindo os sexuais.
     E para isso estaria disposta a revelar sua identidade e testemunhar diante de uma Corte Penal Internacional. Mas o destino decidiu de outra forma.
     Soraya foi extremamente corajosa em contar a sua história. Pensava que, depois dela, muitas mulheres falariam também. Mas não foi o que aconteceu. O peso do tabu em torno disso, nesta sociedade extremamente conservadora, é enorme.
     Tidas como PROSTITUTAS são ameaçadas pelos extremistas religiosos, e também por revolucionários zelosos, que sem piedade as condenam por terem, de certa forma, pertencido à gangue de Kadafi.
     Também por isso decidi fazer este livro (que será lançado na Líbia no final de outubro, em árabe), para que essas mulheres, impedidas de falar, possam ser vistas como devem ser: - Como vítimas, e não como culpadas - diz a autora.


     Observação do escriba: - Será verdade que o DITADOR e ESTUPRADOR Kadafi ajudou a DITADURA PETISTA? Se realmente for comprovado PAPUDA nos PETRALHAS! Ou seria melhor METRALHA nos PETRALHAS?



     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE (Ex-PAÍS do FORRÓ e futuro “PAÍS da BOMBA ATÔMICA”), localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Segunda-feira, 11 de dezembro de 2017.




Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



    
     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Wikipédia. (3) - OUTRAS FONTES.

jorge martins
Enviado por jorge martins em 11/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras