Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VONTADE... "O Senador ÁLVADO DIAS, do "alto" de seu 4º mandato, detona a Presidenta DILMA! Os PETRALHAS que se cuidem...".





A LIBERDADE... A VONTADE... “O Senador ÁLVARO DIAS, do “alto” de seu 4º mandato, detona a Presidenta DILMA! Os PETRALHAS que se cuidem...”.



ÁLVARO DIAS – 1ª versão.


     Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


     Álvaro Fernandes Dias (Quatá, 07 de dezembro de 1944 – 72 anos) é um Historiador e político brasileiro. Filiado ao Podemos (antigo PTN), exerce atualmente o cargo de Senador da República Federativa do Brasil, representando o Estado do PARANÁ. É casado com Débora Amaral De Almeida Fernandes Dia.
     Foi o organizador de uma das primeiras manifestações populares pela campanha Diretas Já ocorrida em 12 de janeiro de 1984 em Curitiba.
     É o autor da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 10/2013) que pede o fim do Foro Privilegiado, amplamente apoiado pela sociedade civil, defendido também por juízes e promotores.



INÍCIO de VIDA.



     Nasceu em Quatá, no interior de São Paulo, mas foi criado em Maringá. Álvaro foi radialista naquela cidade. Entretanto, foi em Londrina, onde formou-se em História pela Universidade Estadual de Londrina, que iniciou sua carreira política elegendo-se vereador em 1968 pelo MDB.



CARREIRA POLÍTICA.


DEPUTADO ESTADUAL em 1970.


     Foi eleito deputado estadual em 1970, exercendo o cargo até 1974.


DEPUTADO FEDERAL em 1974.



     Em 1974, foi eleito deputado federal, com 175.434 votos. Em 1978, foi reeleito com mais de 127 mil votos. Como deputado federal foi secretário geral do MDB no Paraná.


SENADOR em 1982.


     Em 1982, foi eleito senador pelo PMDB, com 1.668.495 votos, presidindo a Comissão de Agricultura e Política Rural.


GOVERNADOR em 1986.


     Concorreu a governador em 1986, sendo eleito com 2.347.795 votos (72%). Durante seu mandato, cerca de 33 mil obras foram concluídas.
     Em 1989, disputou a indicação do candidato do PMDB à presidência da República, com Ulysses Guimarães, Waldir Pires e Íris Rezende.
     Deixa o PMDB, para se dedicar ao PST. O partido elege 80 prefeitos no Paraná. A campanha de Dias utilizou os serviços da produtora de vídeo do cineasta Fernando Meirelles, que assim se referiu a experiência:
     Ficamos chocados com o nível de baixaria, a começar pelos pagamentos, que eram feitos em dinheiro vivo, sem nota fiscal. (…) Uma vez, o coordenador da campanha simulou a invasão de seu próprio escritório e pediu que gravássemos, denunciando, como se fosse uma invasão feita pelo candidato concorrente. Foi a gota d’água.
     Nossa equipe se recusou a fazê-lo e criou um impasse. Num clima péssimo, terminamos o contrato. É preciso ter estômago de avestruz e um caráter muito flexível para lidar com políticos. (…). Decidimos nunca mais fazer política na vida.



ELEIÇÕES em 1994.


     Em 1994, filiou-se ao PP e concorreu ao Governo do Estado, obtendo 1.455.648 votos (cerca de 38,55%), mas perdeu para Jaime Lerner, que obteve 2.070.970 votos (54,85%).



SENADOR em 1998.


     Em 1998, elege-se Senador da República pela segunda vez com 2.532.010 votos. Foi eleito o melhor senador do Brasil em 2006, com quase 05 milhões de votos.
     Defendeu, junto com o irmão Osmar Dias, a criação de uma CPI para apurar denúncias de corrupção no governo federal, na época, comandado pelo PSDB. A punição foi um processo de expulsão do partido.



ELEIÇÕES em 2002.


     Álvaro Dias filiou-se ao PDT, candidatou-se ao Governo Paranaense em 2002, mas perdeu no segundo turno para Roberto Requião.



SENADOR em 2006.


     Foi reeleito ao cargo em 2006, com 2.572.481, ou seja, 50,5% dos votos válidos. Líder do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) no Senado Federal, entre 1º de fevereiro de 2011 e 31 de janeiro de 2013.
      Foi agraciado com o diploma de Doutor Honoris Causa em Administração Governamental pela Southern States University.



FARRA das PASSAGENS.


     Reportagem publicada em 30 de abril de 2009 pelo site "Congresso em Foco" informa que ao menos quatro senadores utilizaram a cota de passagem aérea paga pelo Senado para viagens ao exterior.
     São eles: - Álvaro Dias (PSDB-PR), Geraldo Mesquita (PMDB-AC), Paulo Paim (PT-RS) e Osmar Dias (PDT-PR).
     De acordo com a reportagem, as cotas foram usadas por parentes e amigos dos parlamentares e por uma entidade beneficente.
     Foram 12 viagens internacionais, sendo sete de ida e volta, para Buenos Aires (Argentina), e Montevidéu (Uruguai).




SENADOR em 2014.


     “Foto: - Álvaro Dias na campanha em 2014, junto com o Governador Beto Richa, o Candidato a Presidente da República Aécio Neves e demais lideranças”.


     Nas eleições 2014, Álvaro Dias foi Reeleito para o Quarto Mandado como Senador da República com 4.101.848 votos correspondendo a 77% dos votos válidos.
     Um fato curioso que ocorreu na campanha do político foi ele aparecer na propaganda eleitoral gratuita com o seu Cachorro de Estimação, para propor um projeto que proíbe o uso de animais para pesquisas para o desenvolvimento de produtos cosméticos e de higiene pessoal.
     O Senador aproveitou para ridicularizar seu adversário ao Senado, Ricardo Gomyde, dizendo que seu cão teria mais votos que ele.



MUDANÇA PARA o PV e PODEMOS.


     No segundo semestre de 2015, Álvaro Dias saiu do PSDB, partido onde já estava havia mais de 10 anos, para entrar no PV, assim almejando concorrer para presidente nas eleições de 2018.
     Mas em julho de 2017, anunciou sua saída do partido e filiou-se ao Podemos, antigo Partido Trabalhista Nacional (PTN).



VOTAÇÕES.


     Em dezembro de 2016, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.
     Em julho de 2017 votou contra a Reforma Trabalhista.
     Em outubro de 2017 votou Contra a Manutenção do Mandato do Senador Aécio Neves Mostrando-se Favorável a Decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no processo onde ele é acusado de corrupção e obstrução da justiça por solicitar dois milhões de reais ao empresário Joesley Batista.





     Observação do escriba: - Na Wikipédia estão disponíveis 34 referências sobre o Senador Álvaro Dias.



ALGUMAS REFERÊNCIAS CURIOSAS.





01 - «Álvaro Dias defende fim do Foro Privilegiado e pede mobilização dos cidadãos». Senado. 16 de novembro de 2016. Consultado em 24 de novembro de 2016.

02 - «PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO nº 10, de 2013». Senado. Consultado em 24 de novembro de 2016.

03 - Luciano Nascimento. «Juízes e promotores defendem fim do foro privilegiado para autoridades». Agência Brasil. EBC. Consultado em 24 de novembro de 2016.

04 - Rosanne D'Agostino. «Ministro do STF defende fim do foro privilegiado». G1. Globo.com. Consultado em 24 de novembro de 2016.

05 - Conheça a biografia do senador tucano Álvaro Dias Folha Online.

06 - Histórico eleitoral de Álvaro Dias.

07 - Osmar e Álvaro Dias assinam pedido de CPI da Corrupção. Agência Senado, 08/05/2001.

08 - Terra, Álvaro Dias é conhecido por linha de ataque ao governo, 25/06/10.

09 - «Álvaro Dias, do PSDB, é reeleito senador pelo Paraná». G1. Consultado em 07 de outubro de 2014.

10 - «Álvaro Dias (PSDB) é eleito pela quarta vez como senador pelo Paraná». UOL. Consultado em 07 de outubro de 2014.

11 - «Senadores Romário e Álvaro Dias se filiam ao Podemos, antigo PTN». Valor Econômico.

12 - «Veja como votou cada senador na sessão que derrubou afastamento de Aécio». Consultado em 17 de Outubro de 2017.




Categorias:
• Pessoas vivas.
• Nascidos em 1944.
• Alunos da Universidade Estadual de Londrina.
• Governadores do Paraná.
• Senadores do Paraná.
• Deputados Federais do Paraná.
• Deputados Estaduais do Paraná.
• Membros do Movimento Democrático Brasileiro.
• Membros do Partido do Movimento Democrático Brasileiro.
• Membros do Partido da Social Democracia Brasileira.
• Membros do Partido Democrático Trabalhista.
• Membros do Partido Verde (Brasil).
• Membros do Podemos (Brasil).
• Naturais de Quatá.
• Vereadores de Londrina.
• Senadores da Assembleia Nacional Constituinte de 1987–1988.

    
     Esta página foi editada pela última vez às 00h52min de 18 de outubro de 2017.






ÁLVARO DIAS – 2ª versão.



ÁLVARO DIAS é o SÉTIMO SENADOR, desde 1945, eleito QUATRO vezes.

    
     Ao se Reeleger Senador pelo Paraná no dia 05, Álvaro Dias (PSDB) entrou para um grupo restrito: - Na história do SENADO, desde o fim do Estado Novo, apenas outros SEIS SENADORES haviam conseguido QUATRO ou mais mandatos pelo VOTO DIRETO.
     Desde 1945, além de Álvaro, cinco senadores haviam conquistado quatro mandatos nas urnas.
     Um deles está em exercício: - José Agripino (DEM-RN).
     E um sexto senador, também em exercício, José Sarney (PMDB-AP), elegeu-se cinco vezes, por dois Estados diferentes (Maranhão e Amapá).
     Este ano, Sarney abriu mão de concorrer ao sexto mandato.
     Nestas eleições, um candidato poderia ter igualado o "recorde" de Sarney: - Pedro Simon (PMDB-RS).
     Eleito pela primeira vez em 1978, Simon foi candidato a um quinto mandato de oito anos, mas não foi além do terceiro lugar, com 922 mil votos, pouco menos de metade da votação que obtivera em 2006.
     A candidatura de Simon, de 84 anos, não estava prevista.
     Foi uma consequência indireta da morte de Eduardo Campos, candidato à presidência pelo PSB, em um desastre aéreo em agosto.
     Beto Albuquerque, que era candidato ao Senado, tornou-se vice na nova chapa do partido à Presidência da República, encabeçada por Marina Silva.
     Como o PMDB estava coligado ao PSB no Rio Grande do Sul, Simon foi o escolhido para entrar na disputa no lugar de Albuquerque, a apenas 40 dias da eleição.
    Outro senador, Eduardo Suplicy (PT-SP), tentava um quarto mandato, da mesma forma que Álvaro Dias.
     A derrota na quarta tentativa o iguala a outras figuras da história do Senado, como Marco Maciel e Nelson Carneiro.
     Marco Maciel venceu a disputa pelo Senado em Pernambuco em 1982, 1990 e 2002, e foi derrotado na última tentativa, em 2010.
     Nelson Carneiro, famoso pela luta em favor da Lei do Divórcio, foi eleito pela Guanabara em 1970 e, após a fusão, pelo Rio de Janeiro em 1978 e 1986. Em 1994, tentando um quarto mandato, foi derrotado. Tinha 84 anos, coincidentemente a mesma idade de Pedro Simon ao perder a eleição deste ano.

     Fonte: - Agência Senado. André Fontenelle - 09/10/2014, 18h10m – Atualizado em 09 de outubro de 2014 – 19h07m.




CURIOSIDADES sobre os SENADORES.



01 – José Sarney – O único, até hoje, a ser eleito CINCO vezes Senador – 1970 (MA), 1978 (MA), 1990 (AP), 1998 (AP) e 2006 (AP).

02 – Filinto Muller – Eleito QUATRO vezes – 1947 (MT), 1954 (MT), 1962 (MT) e 1970 (MT).

03 – Ruy Carneiro – Eleito QUATRO vezes – 1950 (PB), 1958 (PB), 1966 (PB) e 1974 (PB).

04 - Pedro Simon – Eleito QUATRO vezes – 1978 (RS), 1990 (RS), 1998 (RS) e 2006 (RS).

05 - Álvaro Dias – Eleito QUATRO vezes – 1982 (PR), 1998 (PR), 2006 (PR) e 2014 (PR).

06 - Edison Lobão – Eleito QUATRO vezes – 1986 (MA), 1994 (MA), 2002 (MA) e 2010 (MA).

07 - José Agripino – Eleito QUATRO vezes – 1986 (RN), 1994 (RN), 2002 (RN) e 2010.


*Observação: - Dinarte Mariz também foi Senador por quatro mandatos – 1954 (RN), 1962 (RN), 1970 (RN) e 1978 (RN). Acontece que o mandato de 1978 foi biônico. Ele não foi eleito.



     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE (Ex-PAÍS do FORRÓ e futuro “PAÍS da BOMBA ATÔMICA”), localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Terça-feira, 24 de outubro de 2017.

Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Wikipédia. (3) – Outras Fontes.


jorge martins
Enviado por jorge martins em 24/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras