Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VONTADE... "O MÉDICO Ronaldo Caiado não sabe o que é a AUTO-HEMOTERAPIA. Todavia, fez "SANGRIA" na DILMA! Os PETRALHAS que se cuidem..." - 15ª parte.





A LIBERDADE... A VONTADE... “O MÉDICO Ronaldo Caiado não sabe o que é a AUTO-HEMOTERAPIA. Todavia, fez  “SANGRIA” na DILMA! Os PETRALHAS que se cuidem...” – 15ª parte.



DELÚBIO SOARES.



     Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



     Delúbio Soares de Castro (Buriti Alegre - Goiás, 06 de novembro de 1955 – 61 anos) é um sindicalista e político brasileiro filiado Partido dos Trabalhadores (PT - PETRALHAS), sendo expulso em 2005 após o Escândalo do Mensalão, do qual foi preso e condenado por Corrupção Ativa, tendo sua filiação de volta em 2011, após ser aprovada pelo diretório nacional do PT (PETRALHAS).
     Antes disto, foi tesoureiro do partido e da Central Única dos Trabalhadores (CUT).
     Em 2016, Delúbio foi condenado no Petrolão por Lavagem de Dinheiro.



BIOGRAFIA.



     É formado em Matemática pela Universidade Católica de Goiás, e iniciou a política nos anos 70.
     Trabalhou como professor nos colégios Bandeirantes, José de Alencar, Ateneu Dom Bosco e Lyceu de Goiânia (até 1984).
     Integrou o Diretório Nacional do PT (PETRALHAS), no qual exerceu a função de Secretário Sindical (1995-2000).
     Antes de ser o tesoureiro do PT (PETRALHAS), Delúbio foi também sindicalista e tesoureiro nacional da CUT.
     Foi coordenador das campanhas presidenciais de Luiz Inácio Lula da Silva em 1989 e 1998.
     Passou a ser o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT - PETRALHAS) em 2000, onde ficou conhecido nacionalmente.



ENVOLVIMENTO em CORRUPÇÃO.


MENSALÃO.



     Esteve no centro de graves denúncias de corrupção, após a publicação do Escândalo do Mensalão, e consequentemente foi expulso do Partido dos Trabalhadores (PETRALHAS), em 2005.
    A expulsão foi aprovada por maioria de votos no Diretório Nacional.
     No dia 30 de março de 2006, o Procurador-Geral da República Antonio Fernando de Souza denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF) quarenta (40) INTEGRANTES do MENSALÃO.
     O Procurador descreveu o grupo como uma Organização Criminosa e atribuiu sua liderança a José Dirceu (PETRALHA), José Genoíno (PETRALHA), Delúbio Soares (PETRALHA) e Sílvio Pereira (PETRALHA).
     Em novembro de 2012, foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 08 anos e 11 meses de prisão por Formação de Quadrilha e Corrupção Ativa, sendo absolvido em 2014 do crime de Formação de Quadrilha, após o STF aceitar o recurso dos Embargos Infringentes.
     Em março de 2016 teve perdão de sua pena, no Mensalão.
     A decisão se baseia em decreto publicado no Diário Oficial da União em dezembro de 2015, que concede perdão a presos de todo o país que se enquadrem nos critérios pré-estabelecidos pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária.






MÁFIA dos VAMPIROS.


     Ver artigo principal: - Máfia dos Vampiros.



     Ainda em 2006, Delúbio foi acusado de envolvimento também na Máfia dos Vampiros.



PETROLÃO.


     Ver artigo principal: Petrolão.



     Em 1º de abril de 2016, Delúbio Soares (PETRALHA) foi alvo da 27ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Carbono 14.
     Contra Delúbio a justiça determinou mandado de Condução Coercitiva.
     Em 12 de maio de 2016, a justiça aceitou a denúncia do Ministério Público Federal, e Delúbio Soares (PETRALHA) virou RÉU na ação Carbono 14, pelo crime de Lavagem de Dinheiro, sendo condenado em 02 de março de 2017 a cinco anos de prisão em Regime Fechado.



EMPRÉSTIMOS FICTÍCIOS.



     Em outubro de 2016, o Ministério Público Federal denunciou Delúbio Soares (PETRALHA) por Lavagem de Dinheiro no caso do empréstimo de 12 milhões de reais do BANCO SCHAHIN.


     Observação do escriba: - O BANCO SCHAHIN tem ligações com o BANCO BMG, o DONO do FUTEBOL brasileiro.

     Na mesma investigação, o MPF denunciou o ex-prefeito de Campinas Hélio de Oliveira Santos.


     Observação do escriba: - Na Wikipédia estão disponíveis 15 referências sobre o PETRALHA em questão.



ALGUMAS REFERÊNCIAS CURIOSAS.





01 - Conrado Corsalette e Chico de Góis. «PT expulsa Delúbio e diz que crise acabou». Folha de S.Paulo Uol. Consultado em 03 de março de 2017.
  

02 - Fernando Garcel (02 de março de 2017). «Delúbio Soares, Ronan Maria Pinto e mais três são condenados por lavagem de dinheiro na Lava Jato». Paraná Portal. Uol. Consultado em 02 de março de 2017.


03 - «PT aprova volta de Delúbio Soares ao partido». Ultimo Segundo. iG. Consultado em 03 de março de 2017.


04 - Gabriel Bonis (1º de agosto de 2012). «Personagens do 'mensalão': Delúbio Soares, o tesoureiro». Carta Capital. Consultado em 1º de abril de 2016.


05 - Mariana Oliveira e Nathalia Passarinho (12 de novembro de 2012). «STF define pena de Delúbio Soares: 08 anos e 11 meses de prisão». G1. Globo.com. Consultado em 03 de março de 2017.


06 - «Máfia dos vampiros é outra preocupação de Delúbio Soares». Gazeta do Povo. 09 de setembro de 2012. Consultado em 1º de abril de 2016.


07 - «Moro abre ação contra Delúbio, Ronan, Valério e mais seis por lavagem de dinheiro». CBN. 12 de maio de 2016. Consultado em 13 de maio de 2016.


08 - «MPF denuncia Delúbio Soares». Papo TV. 19 de outubro de 2016. Consultado em 19 de outubro de 2016.




Categorias:
• Nascidos em 1955.
• Alunos da Pontifícia Universidade Católica de Goiás.
• Condenados por corrupção.
• Pessoas condenadas na Operação Lava Jato.
• Professores de Goiás.
• Sindicalistas do Brasil.
• Naturais de Buriti Alegre – Goiás.

     Esta página foi editada pela última vez às 17h49min de 19 de junho de 2017.






MÁFIA dos VAMPIROS.



     Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



     Em 2004 a Polícia Federal descobriu uma Organização Criminosa criada em 1998 cujo esquema, apelidado MÁFIA dos VAMPIROS, envolvia EMPRESÁRIOS, GRUPOS de PRESSÃO, FUNCIONÁRIOS do MINISTÉRIO da SAÚDE e DEPUTADOS.
     Tinham desfalcado o MINISTÉRIO da SAÚDE em cerca de DOIS BILHÕES de REAIS através de um Esquema de Faturas Falsas e Licitações Fraudulentas.
     As QUADRILHAS envolvidas competiam entre si na SOBREFATURAÇÃO de REMÉDIOS e HEMODERIVADOS, daí o nome «VAMPIROS».
     As investigações começaram em 2003 com a investigação da Polícia Federal a resultar em 2008 no Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) em propor ação de Improbidade Administrativa contra SETE PESSOAS e TRÊS EMPRESAS envolvidas na MÁFIA que Forjava as Licitações para aquisição de HEMODERIVADOS no MINISTÉRIO da SAÚDE.


Observação do escriba:


     1ª – Segundo consta na Wikipédia a MÁFIA dos VAMPIROS, comandada pelos PETRALHAS, meteram a mão em DOIS BILHÕES de REAIS.

     2ª – Mais adiante iremos explicar aos leitores o que vem a ser os “famosos” HEMODERIVADOS.  



EXISTE APENAS UMA REFERÊNCIA.



01 - «MPF/DF denuncia envolvidos na Operação Vampiro». Site do Ministério Público Federal. Consultado em 18 de Fevereiro de 2008.



EXISTEM APENAS DUAS LIGAÇÕES EXTERNAS.


01 - Advogada de HUMBERTO COSTA acusa Procurador de má-fé.

02 - MPF/DF: - Nova denúncia sobre OPERAÇÃO VAMPIRO.  


     Observação do escriba: - Humberto Costa é filiado ao PT (PETRALHAS), foi Ministro da Saúde, e, ainda hoje é Senador da República pelo PT (PETRALHAS).



Categorias:
• Escândalos de Corrupção no Brasil.
• Governo Lula.
• Organizações Criminosas do Brasil.



     Esta página foi editada pela última vez às 18h10min de 18 de fevereiro de 2017.






Entenda a OPERAÇÃO VAMPIRO.

Folha de S.Paulo – Agência Folha – 25 de agosto de 2006 – 18h06m.




     A OPERAÇÃO VAMPIRO foi uma ação da Polícia Federal desencadeada em maio de 2004, que levou à prisão empresários, lobistas e servidores, acusados de manipular compras de medicamentos para o MINISTÉRIO da SAÚDE, então chefiado por HUMBERTO COSTA.
     O ALVO PRINCIPAL da QUADRILHA eram as COMPRAS de HEMODERIVADOS, daí a inspiração para o nome.

     As investigações da PF e do Ministério Público Federal concluíram que o prejuízo aos cofres públicos atingiu R$ 120 milhões de 1997 até aquele ano - a fraude teria começado no Ministério no início dos anos 90.

     A manipulação das compras ocorreria mediante o pagamento de propina, e o centro da fraude seria a Coordenadoria Geral de Recursos Logísticos, que comanda as compras do ministério.

     O cargo de coordenador era ocupado por LUIZ CLÁUDIO GOMES da SILVA, nomeado por Humberto Costa. Eles haviam trabalhado juntos na PREFEITURA de RECIFE.

     Em junho, o então Ministro foi à Câmara dos Deputados e, em audiência pública, afirmou que o foco das investigações deveria ser as EMPRESAS ESTRANGEIRAS que supostamente Fraudavam as Licitações.

     Na mesma época, em Recife, declarou que não iria deixar o governo durante as apurações. "Fiz as denúncias, pedi as investigações administrativa e policial, e o esquema só está sendo desmantelado porque nós iniciamos tudo”.

Humberto Costa havia assumido o Ministério em janeiro de 2002 e deixou o cargo, em julho do ano passado, para assumir a Secretaria de Comunicação do PT (PETRALHAS), antes de se lançar candidato ao Governo de Pernambuco.



Leia mais.


PF indicia Costa, Delúbio e mais 40 por envolvimento com máfia dos vampiros.

Ex-ministro da Saúde diz que foi indiciado pela PF no caso da máfia dos vampiros.


Especial.


Leia o que já foi publicado sobre a Operação Vampiro.






SANGUE e CORRUPÇÃO: - O CASO dos VAMPIROS e os R$ 10 bilhões.


Por Diego Cruz – 08 de junho de 2004.


     Tráfico de influência, corrupção e maracutaias enlameiam TUCANOS e PETISTAS (PETRALHAS).  
     Mais um escândalo de corrupção vem à tona e respinga lama em TUCANOS e PETISTAS (PETRALHAS).

     A maracutaia agora envolve Tráfico de Influência sobre as licitações para a compra de medicamentos, PRINCIPALMENTE HEMODERIVADOS (PLASMAS SANGUÍNEOS utilizados em hemodiálises), adquiridos pelo Ministério da Saúde.
     Segundo o Ministério Público e as investigações da “OPERAÇÃO VAMPIRO”, realizadas pela Polícia Federal, a QUADRILHA do SANGUE atuava dentro do Ministério, na Coordenadoria Geral de Recursos Logísticos da Saúde, comandada desde o início do governo Lula, por Luiz Cláudio Gomes, amigo do Ministro Humberto Costa (PETRALHA).



TUCANOS e VAMPIROS.



     As investigações indicam que os “VAMPIROS” da MÁFIA do SANGUE faziam parte do Esquema PC Farias (rede de corrupção montada por Paulo César Farias nos anos 90, durante o governo Collor).
     Porém, a MÁFIA seguiu atuando impunemente durante os governos seguintes.
     Ao longo desses anos todos, calcula-se que foram desviados mais de R$ 10 bilhões do Ministério da Saúde.
     Durante o governo FHC, o então Ministro José Serra conviveu por quatro anos com a MÁFIA do SANGUE.
     Nesse período, eles não foram incomodados e embolsaram R$ 120 milhões por ano.
     É difícil imaginar que José Serra não soubesse de nada do que estava acontecendo debaixo do seu nariz.
     É como achar que FHC, em seu governo, não sabia de nada sobre os Escândalos do PROER, SIVAM, SUDAM, SUDENE, DOSSIÊ CAYMANN, Compra de Votos na Emenda da Reeleição e muitos outros.




O “WALDOMIRO” de HUMBERTO COSTA.




     Quando era Prefeito de Recife, em Pernambuco, HUMBERTO COSTA (PETRALHA) teve a Secretaria de Saúde de sua administração chefiada por Luiz Cláudio Gomes que, depois das eleições de Lula, foi transferido para ser um dos homens fortes do seu Ministério.
     A maracutaia envolve, também, lobistas e Empresas Multinacionais ávidas por abocanhar contratos milionários em compras governamentais.
     Um dos lobistas acusados, Laerte de Arruda Corrêa Junior, arrecadou dinheiro junto a Empresas Farmacêuticas para a campanha eleitoral do PT (PETRALHAS), em 2002, e tinha relações diretas com o tesoureiro petista Delúbio Soares (PETRALHA).
     O próprio Delúbio (PETRALHA) admite que pediu auxílio para arrecadar dinheiro para a campanha petista (PETRALHAS).
     De acordo com o tesoureiro, a ajuda foi solicitada porque “Como é lobista há anos e anos, ajudava nas conversas”.
     Na campanha eleitoral, o PT (PETRALHAS) recebeu, pelo menos oficialmente, cerca de R$ 1,6 milhão de doações de Laboratórios e de Empresas Farmacêuticas.
     É cada vez mais comum o envolvimento de figurões do governo petista (PETRALHAS) em escândalos de corrupção.
     O mais notório foi o que envolveu o braço direito do Ministro José Dirceu (PETRALHA), Waldomiro Diniz (PETRALHA), cujo favorecimento a BICHEIROS em licitações em troca de propinas e “contribuições” a campanhas petistas (PETRALHAS) acabou por revelar até onde vão as consequências das alianças entre o PT (PETRALHAS) e a burguesia.
     Ao optar por governar para os ricos, aliado a BANDIDOS como Quércia, Maluf e Sarneys da vida, o PT (PETRALHAS) acabou incorporando em seu cotidiano a corrupção que toma conta de toda a institucionalidade e da classe dominante do país.
     Também não é nenhuma novidade o financiamento das campanhas petistas (PETRALHAS) por grandes empresas.
     Há muito tempo o PT (PETRALHAS) recebe dinheiro de BANQUEIROS, latifundiários e empresas que parasitam o Estado.
     Ao receber esses financiamentos, o PT (PETRALHAS) fica com o rabo preso com essas empresas.
     As administrações petistas (PETRALHAS) estão recheadas de exemplo de favorecimentos a empresários.
     Para ficar só num exemplo: - O governo de Marta Suplicy (PETRALHA), em São Paulo, favoreceu os cartéis do transporte coletivo e empresas de coleta de lixo trabalham sem licitação.
     O governo Lula (PETRALHA) está cada vez mais parecido com o governo FHC, além de aplicar a mesma política econômica ditada pelo FMI.
     O governo do PT (PETRALHAS) se tornou protagonista da BANDALHEIRA.
     Como já alertávamos em outras edições: - Muitos “Waldomiros” ainda virão.
     Para o caso da MÁFIA do SANGUE não virar pizza, é preciso prender todos os “VAMPIROS” envolvidos com o desvio de recursos e expropriar seus bens.
     Exigimos também a imediata demissão do Ministro Humberto Costa (PETRALHA) e uma profunda investigação sobre as relações entre Serra e os “VAMPIROS”, que atuaram impunemente durante sua gestão no Ministério da Saúde.
     Para isso é necessário organizar uma comissão de entidades democráticas – como OAB, CNBB, ABI e outras – juntamente com personalidades para apurar com idoneidade, não só o atual Escândalo dos VAMPIROS, mas também o CASO WALDOMIRO DINIZ.






SERRA e os VAMPIROS.



O Inquérito Sigiloso da OPERAÇÃO VAMPIRO mostra como a QUADRILHA agiu livremente na gestão de JOSÉ SERRA, sem ser Investigada. E prova que SERRA sabia.



     Hugo Marques – Isto É Independente – 27 de setembro de 2006 – 10h00m.



     O candidato a governador de São Paulo José Serra tem assuntos pendentes em Brasília.
     Entre março de 1998 e fevereiro de 2002, quando ocupou o cargo de Ministro da Saúde, seis subordinados dele se juntaram à MÁFIA dos “VAMPIROS” para comprar DERIVADOS de SANGUE com dinheiro público – e a preços superfaturados.
     Todos foram indiciados. Cinco deles, por formação de QUADRILHA. O Relatório Sigiloso da OPERAÇÃO VAMPIRO, que a Polícia Federal finalizou em agosto, concluiu que existia uma “Organização Criminosa” controlando as compras de HEMODERIVADOS na gestão Serra.
     Na quinta-feira 21, o Procurador da República Gustavo Pessanha dava os últimos retoques no texto da denúncia que apresenta à Justiça Federal de Brasília, nesta segunda-feira, 25.
     Empilhados, os documentos alcançam um metro de altura.
     Há detalhes no inquérito que podem trazer mais dores de cabeça para José Serra. Para começar, a investigação prova que Serra sabia da existência da QUADRILHA.
     Em suas investigações, a Polícia Federal descobriu que, em 2001, chegou uma denúncia anônima encaminhada diretamente a José Serra e protocolada no Ministério da Saúde.
     Segundo o relatório da PF, a denúncia “dá conta da prática de diversos crimes”. Havia dois acusados.
     Um deles era Platão Fischer Puhler, diretor do Departamento de Programas Estratégicos e um dos homens de confiança do Ministro.
     O outro era o empresário Jaisler Jabour, que mais tarde se descobriu ser o chefe do braço na iniciativa privada dos VAMPIROS.
     Segundo a denúncia, Platão Fischer estava cometendo “as maiores barbaridades” no milionário setor de compras, em parceria com Jaisler Jabour.
     Ele dizia que a preferência dos envolvidos era por Compras Internacionais, que facilitariam Depósitos em Contas Bancárias Estrangeiras. “O que está ocorrendo nesta área é um escândalo”, dizia a denúncia.
     A polícia constatou que Serra recebeu o documento. E leu. O que fez Serra? Em vez de protocolar um ofício formal na PF, mandou o próprio Platão Fischer, o acusado, ir lá para denunciar a si mesmo. Curiosamente, nada aconteceu.
     O CASO dos VAMPIROS só estourou três anos depois, durante o governo Lula.
     Em maio último, Platão Fischer Puhler foi chamado pela PF para dar explicações sobre os VAMPIROS. Ele confirmou que aquela denúncia o acusava naquele período de Crime de Extorsão.  
     Platão Fischer confirma que Serra pediu que ele fosse à PF, na companhia de Barjas Negri, o então Secretário-Executivo que agora é acusado pela família Vedoin de envolvimento com a MÁFIA das AMBULÂNCIAS.
     Platão Fischer Puhler, àquela altura, atuava como “curinga” de Serra, gozando de “muito prestígio” junto ao Ministro, conforme declarou o servidor Nilton Pinheiro à PF.
     Por 15 anos, Nilton Pinheiro presidiu investigações disciplinares contra servidores da Saúde, mas foi “encostado” na gestão do tucano.
     Quando estourou a OPERAÇÃO VAMPIRO, Nilton Pinheiro participou das apurações e descobriu “dezenas de processos” pendentes de investigações na Saúde.
     Ele contou na PF que sumiram inúmeros bens e documentos na Central de Medicamentos, CEME, quando o interventor era Platão Fischer.
     Denunciou ainda uma compra em quantidade “exorbitante” de ESPERMICIDA Nonoxinol, para evitar gravidez na população de baixa renda.
     Outra testemunha-chave é a secretária de Platão, Rozuíla Maura Cunha. Ela foi à PF e confirmou a compra de ESPERMICIDA.
     Ela foi mais além e detalhou como nasceu a idéia de montar um Comitê Eleitoral para Serra, ainda em 2002. Platão, disse ela, afastou-se das funções no Ministério para montar um Comitê Eleitoral na Asa Sul, no centro de Brasília.
     Platão Fischer chamou Rozuíla Maura para trabalhar por dois meses no comitê. A Empresa Voetur, contou Rozuíla à polícia, participou da montagem do comitê pró-Serra, fornecendo telefones, estrutura para computador e camisetas.
     Desde 2002, a Voetur vem sendo envolvida em sucessivas denúncias de irregularidades em contratos com vários ministérios.
     Rozuíla afirmou que Platão tinha bom relacionamento com os empresários que representam a Voetur, entre
eles Raimundo Brasil.
     Os empresários, acrescentou, compareceram várias vezes ao Comitê de Serra. Ao final do depoimento de Rozuíla Maura, o delegado registrou que a Empresa Voetur aparece em auditorias do Ministério da Saúde como empresa envolvida em possível fraude e que tal investigação deverá ser sacramentada em inquérito próprio.
     O Ministério da Saúde já pagou mais de R$ 80 milhões à Empresa Voetur. Platão tinha sucessivas reuniões em sua sala com o Empresário e VAMPIRO Jaisler Jabour, segundo depoimento de Rozuíla Maura.
     A secretária-adjunta de Platão no Ministério da Saúde, Abadia Francisca de Araújo, confirmou que a Empresa Voetur pagou praticamente toda a montagem do Comitê de Serra.
     “Platão comentou com todos que a Voetur foi quem bancou todas as despesas daquele Comitê”, declarou Abadia.
     Ela revelou ainda que Platão viajava muito para o interior e para o Exterior com passagens pagas pelos Laboratórios. Quando o Ministério pagava as passagens, disse ela que Platão não as utilizava e ainda trocava por dinheiro.
     “Todos os Laboratórios bancavam passagens para Platão”, declarou. Platão tinha o hábito de receber presentes dos laboratórios, como relógios. Os presentes, ele revelou à PF, eram entregues na residência de Platão.
     Nessa época, o curinga de Serra levava a família todos os anos para um tour pela Europa.
    A secretária Rozuíla Maura disse à PF que certa vez Platão pediu uma passagem aérea para um homem chamado Lincoln, da Empresa Glaxxon.
     Motorista de Platão na CEME e no Ministério da Saúde, Manoel Ramos Macedo confirmou na PF as viagens gratuitas do chefe. Ele diz ter levado Platão várias vezes ao hangar que ele se lembrava como sendo da Empresa Voetur.
     “Platão dizia que ia pegar uma carona de avião, quase sempre com destino a Uberaba”, disse o motorista.
     O curinga de Serra começou a namorar uma moça chamada Taís. A secretária-adjunta Abadia Francisca conta que Platão deu à moça um apartamento e um carro. O pai da moça ganhou emprego na Empresa Voetur e a mãe na ANVISA.
     Para cativar a moça, Abadia afirmou que Platão “chegou ao ponto de utilizar o helicóptero” do indiano Naresh.
     Trata-se de Naresh Kumae Vashist, representante da Hetero Drugs, da Índia, fabricante de coquetel contra AIDS.
     Ele afirmou que Platão frequentava sua residência, à noite. Nessas visitas, contou o indiano à PF, Platão queria convencer a Hetero Drugs a firmar parceria com a Nova Índia, fabricante de genéricos veterinários em Uberaba, sua cidade.
     Em seu depoimento à PF, Platão Fischer confirmou que várias pessoas deram móveis, cadeiras, balões, bolas e telefones para o Comitê de Serra.
     Entre os empresários que contribuíram, diz ele, estavam os senhores Brasil, da Voetur, e Leoberto, da empresa Air Way.
     Mas o Comitê Nacional do PSDB não declarou estas despesas na prestação de contas apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral.





SANGUE e HEMODERIVADOS.


TRANSFUSÃO de SANGUE.




     A transfusão de sangue é uma prática médica que consiste em injetar sangue a um paciente que tenha sofrido de grande perda ou que esteja afetado por uma doença no seu próprio sangue.
     A primeira transfusão de sangue foi efetuada em 15 de Junho de 1667.

     É um tipo de terapia que tem se mostrado muito eficaz em situações de choque, hemorragias ou doenças sanguíneas.
     Frequentemente usa-se transfusão em intervenções cirúrgicas, traumatismos, hemorragias digestivas ou em outros casos em que tenha havido grande perda de sangue.

     Durante algum tempo no passado muitas pessoas tinham receio de aceitar transfusão com medo de contraírem uma doença infectocontagiosa.
     Hoje já não precisamos ter este tipo de preocupação, pois o sangue colhido de um doador passa por diversos testes antes de ser transfundido em um paciente.

     O sangue transfundido a um paciente pode ser do próprio indivíduo (processo conhecido como transfusão autóloga) ou doado por outra pessoa e fornecido por um banco de sangue, ou adquirido em forma de produtos preparados comercialmente.  
     O tipo de produto sanguíneo que se usa depende das necessidades específicas do paciente e da gravidade da condição que está sendo tratada.




TRANSFUSÕES AUTÓLOGAS.




     Refere-se à coleta, filtração e reinfusão do sangue do próprio paciente. As transfusões autólogas podem ser usadas para repor a perda sanguínea durante cirurgias eletivas ou não-eletivas, ou nos acidentes traumáticos.
     O paciente pode doar seu próprio sangue algumas semanas antes de submeter-se a uma cirurgia eletiva. Às vezes, o sangue é retirado pouco antes de uma cirurgia não-eletiva.
     Nas situações de emergência, o sangue pode ser recuperado após uma lesão traumática ou após cirurgias extensivas, como, por exemplo, cirurgia torácica ou cardiovascular ou ressecção do quadril ou do joelho.

     Os benefícios da transfusão autóloga são que o sangue fica disponível de imediato e traz pouco risco de reação transfusional ou infecção por patógenos transmitidos pelo sangue.
     Porém, a transfusão sanguínea autóloga tem riscos como embolia, septicemia, coagulopatia, hemólise e efeitos tóxicos do citrato.

     Esse tipo de transfusão está contraindicado para pacientes com: - Câncer, coagulopatia, hemólise excessiva ou infecção em atividade.
     Além disso, a transfusão autóloga está inaconselhável para os indivíduos que estiverem usando antibióticos e nos quais o sangue tenha sido contaminado por conteúdo abdominal do próprio paciente.

     Por fim, os pacientes que emagreceram recentemente devido a uma doença ou a desnutrição não devem doar sangue por qualquer motivo, incluindo-se transfusão autóloga.



HEMODERIVADOS ARMAZENADOS.




     A partir da coleta de sangue o mesmo é enviado a um banco de sangue e pode ser armazenado em forma de vários hemoderivados.
     Os mais comuns são sangue total, papa de hemácias, hemácias com poucos leucócitos e plasma.
     Além disso, existem preparações de leucócitos, plaquetas, fatores da coagulação (II, VII, VIII, IX e I complexo X), complexo coagulante anti-inibidor, antitrombina Rh humana e imunoglobulina Rh humana (D) para infusão venosa.




SANGUE TOTAL.




     O sangue total que é coletado no banco de sangue, para um sistema de coleta fechado e anticoagulado, não requerem qualquer processamento adicional após sua obtenção.
     Esse sangue é usado para transfusão apenas nos pacientes com sangramento maciço ou em atividade, politraumatismo ou choque hemorrágico, ou quando um paciente necessitar ao mesmo tempo aumentar sua capacidade de transportar oxigênio e expandir seu volume sanguíneo.

     Quase sempre o sangue total coletado nos bancos de sangue é desdobrado em vários componentes sanguíneos.
     Em seguida, esses componentes são transfundidos em forma de papa de hemácias, hemácias com poucos leucócitos, ou plasma.




PAPA de HEMÁCIAS.




     As papas de hemácias são transfundidas com muito mais frequência do que qualquer outro produto sanguíneo.
     São preparadas separando-se o plasma da parte celular de uma unidade de sangue total.
     O prazo de validade de uma unidade de papa de hemácias é o mesmo de uma bolsa de sangue total.  
     Se for acrescentado um aditivo durante a separação das células, esse prazo é ampliado e pode chegar a 35 a 42 dias.




HEMÁCIAS com poucos LEUCÓCITOS.




     Essa prática aplica-se aos pacientes que tiveram reação febril não-hemolítica durante uma transfusão sanguínea pregressa que podem necessitar de um hemoderivado que contenha menos leucócitos do que os presentes em uma papa de hemácias.
     A separação dos leucócitos pode tornar a transfusão mais confortável e segura para o paciente.
     Para separar essas células algumas instituições usam filtros especiais para separar os leucócitos durante a transfusão.




PLASMA.




     Também conhecido como plasma fresco congelado ou plasma líquido, é a parte mais clara e anticoagulada do sangue, após a separação dos componentes celulares por centrifugação ou sedimentação.
     Os fatores da coagulação estáveis, tais como fibrinogênio e vários outros, estão presentes no plasma.
     Pode-se administrar uma transfusão de plasma ao paciente com sangramento ativo, deficiências de vários fatores causadas por uma doença hepática, coagulação intravascular disseminada, sinais de coagulopatia por diluição após várias reposições de volume, ou deficiências congênitas.
     O plasma também pode ser prescrito para uma pessoa, em que é necessário reverter a ação da varfarina.



Observações do escriba:


     1ª – Embora a TRANSFUSÃO de SANGUE seja considerada uma PRÁTICA MÉDICA, ou seja, um ATO MÉDICO, na realidade, quem realiza as TRANSFUSÕES de SANGUE, são as ENFERMEIRAS ou as AUXILIARES de ENFERMAGEM.

     2ª – No BRASIL e no resto do MUNDO, mais de 90% dos Médicos, nunca realizaram uma TRANSFUSÃO de SANGUE.

    3ª – A corrupta ANVISA e a autoritária SBHH, provavelmente, deviam estar envolvidas até o pescoço com a MÁFIA dos VAMPIROS.

     4ª – O CONSELHO FEDERAL de ENFERMAGEM, ao invés de lutar judicialmente com o Conselho Federal de Medicina, pela prescrição de drogas potencialmente IATROGÊNICAS, deveriam lutar judicialmente pela legalização da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA.  

     5ª – Vencida esta etapa judicial, poderiam praticar tal TERAPIA COMPLEMENTAR com muito mais competência do que os arrogantes e gananciosos médicos.




HEMOBRÁS.




Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia.


     Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.  




     A Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (HEMOBRÁS) é uma Empresa Estatal Brasileira vinculada ao Ministério da Saúde fundada em 2004 com sede em Brasília.
     Sua Unidade Fabril está sediada na cidade Goiana, Pernambuco.
     Consiste da produção de HEMODERIVADOS a partir do Fracionamento Industrial do Plasma, prioritariamente, para tratamento de pacientes do SUS.
     Também competirá à HEMOBRÁS desenvolver a fabricação de produtos obtidos por biotecnologia, incluindo reagentes, na área de Hemoterapia.



FÁBRICA em GOIANA.



     Com 48 mil metros quadrados, a fábrica de HEMODERIVADOS em Goiana (Zona da Mata Norte de Pernambuco) será dividida em 19 blocos de prédios, uma área destinada ao gerador de energia, salas das caldeiras, de brigada e compressores, estocagem de químicos e etanol, além de reservatório de água, do bloco administrativo e da portaria.
     A expectativa é que a fábrica esteja em pleno funcionamento no segundo semestre de 2014.
     Quando entrar em operação, deverá empregar, diretamente, em torno de 500 trabalhadores.
     A fábrica da HEMOBRÁS promoverá o desenvolvimento socioeconômico na Zona da Mata do Estado e da Região Nordeste.


     Observação do escriba: - Por trás da HEMOBRÁS devem estar as MULTINACIONAIS.




APENAS TRÊS REFERÊNCIAS LOGO ABAIXO.




01 - «Lei 10.972». www.planalto.gov.br/. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. 02 de dezembro de 2004. Consultado em 23 de junho de 2016.


02 - «Começa a funcionar a fábrica da HEMOBRÁS em Goiana, PE». Pernambuco. 27 de setembro de 2012.


03 - Portal Saúde.





Categorias:
• Empresas Estatais da União.
• Instituições de Pesquisa do Brasil.
• Biotecnologia.
• Sangue.
• Organizações de Saúde.
• Empresas fundadas em 2004.


     Esta página foi editada pela última vez às 21h43min de 15 de junho de 2017.



     A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE (Ex-PAÍS do FORRÓ e futuro “PAÍS da BOMBA ATÔMICA”), localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Domingo, 22 de outubro de 2017.

Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



     Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Wikipédia. (3) – Outras Fontes.



jorge martins
Enviado por jorge martins em 22/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras