Jorge Martins Cardoso

 

Um eterno aprendiz



Textos

A LIBERDADE... A VONTADE... "UMA PROTEÍNA ABALA o REINO UNIDO" - 6ª e penúltima parte do 3º "capítulo".




A LIBERDADE... A VONTADE... “UMA PROTEÍNA ABALA o REINO UNIDO” – 3º “capítulo”.



Visconde de Mauá – RJ (1993) – O Médico e Ex-cirurgião Dr. LUIZ MOURA grava o seu 1º “DVD” - 6ª e penúltima parte do 3º “capítulo”.  




A INVENÇÃO do DVD.



    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


     DVD, sigla de "Digital Video Disc" (em português, Disco Digital de Video) derivada da expressão inglesa "Digital Versatile Disc", (em português, Disco Digital Versátil) é um formato digital para arquivar ou guardar dados, som e voz, tendo uma maior capacidade de armazenamento que o CD, devido a uma tecnologia óptica superior, além de padrões melhorados de compressão de dados, sendo criado no ano de 1995.
     Em junho de 2011, o analista do The NPD Group, Russ Crupnick disse que "o mercado de vídeo em disco físico foi um pouco decepcionante" e o "Blu-ray pode não ser o substituto para o DVD que muitos esperavam."
     Em 2014, a Sony divulgou que parte do prejuízo financeiro da época foi devido a obsolescência rápida do mercado de mídia física (DVDs e Blu-rays) e o crescimento de serviços de streaming e download digital.
     Em janeiro de 2017, os DVDs e Blu-rays deixaram de ser o meio mais lucrativo para distribuição de vídeo no Reino Unido.



HISTÓRIA.
    


     No início de 1990 dois tipos de discos-ópticos de alta capacidade estavam em desenvolvimento.  
     Um era o MultiMedia Compact Disc (MMCD), liderado pela Philips e Sony.  
     O outro era o Super Density Disc (SD), patrocinado pela Toshiba, Time-Warner, Matsushita Electric (Panasonic), Hitachi, Mitsubishi, Pioneer, Thomson e JVC.
     O presidente da IBM, Lou Gerstner, tinha a proposta de unir os dois sistemas, evitando a repetição dos problemas da década de 1980, com os videocassetes dos formatos VHS e Betamax.
     Philips e Sony abandonaram o formato MMCD e concordaram o formato da Toshiba com duas modificações relacionadas com a tecnologia implicada.
     A primeira foi a geometria que permitisse o "push-pull" (pular) das faixas (assim como no CD, podem ser feitos saltos de uma música para outra, enquanto num videocassete não há como fazer isso rapidamente), que era uma tecnologia conjunta da Philips e Sony.
     A segunda era a adoção do sistema Philips EFMPlus.
     O EFMPlus, foi criado por Kees A. Schouhamer Immink, que também criou o EFM. É 6% menos eficiente que o sistema SD da Toshiba, o que resultou numa capacidade de 4,7GB ao invés dos originais 5GB do SD.
     A grande vantagem do EFMPlus é sua grande resiliência e resistência a intempéries tais como arranhões e impressões digitais.
     O resultado foi o DVD 1.5, anunciado ao público em 1995 e terminado em setembro de 1996.
     Em maio de 1997, o Consórcio DVD mudou para Fórum DVD, que é aberto a todas as companhias (não somente a Philips, Sony e Toshiba).
     Os primeiros DVD Players (leitores de DVD) e discos estavam disponíveis em Novembro de 1997 no Japão, Março de 1998 nos Estados Unidos, 1999 na Europa e 2000 na Austrália.
     No Brasil a tecnologia começou a ganhar força em 2002 e 2003.
     O primeiro filme em DVD lançado nos Estados Unidos foi o Twister em 1996.
     O filme foi um teste para o Surround Sound 2.1.  
     No Brasil, o primeiro DVD de filme foi Era uma vez na América, da FlashStar lançado em 1998.
     Em 1999 o preço dos DVD Players baixou para 300 dólares.
     A rede de supermercados Wal-Mart começou a vender DVD Players mesmo tendo pouca procura em comparação com os vídeos VHS, mas logo outras lojas seguiram o Wal-Mart e o DVD rapidamente se tornou popular nos Estados Unidos.
     Devido à desvalorização da moeda brasileira em relação aos dólares e à demora na decisão sobre a região a ser adotada no Brasil, bem como outros fatores, o DVD só se popularizou no Brasil em 2003, tomando quase 80% do mercado de vídeos.
     Um atraso de quase um ano, segundo fabricantes do setor.


Observações do escriba.


     1ª - Para não cansarmos os leitores, iremos abreviar, e muito, o conteúdo do texto encontrado na Wikipédia.

     2ª - No texto encontramos as informações técnicas, estrutura dos arquivos, capacidade do DVD, códigos das regiões, tipos de DVD, DVDs não regraváveis, DVDs regraváveis, diferença entre DVD+R e DVD-R, DVD de 25 Terabytes, DVD de 1.000 Terabytes, Sucessores Blu-ray e HD DVD, EVD e VMD e leitor de DVD.

     3ª – Também na Wikipédia os leitores poderão encontrar dez (10) referências sobre o tema.

    4ª – Na verdade a ideia de gravar o 1º “DVD” entrevistando o médico Dr. LUIZ MOURA partiu de duas pessoas curiosas e estudiosas: - Luiz Fernando Sarmento e Ralph Viana. Na época eles tinham aproximadamente 35 anos e o Dr. LUIZ MOURA tinha 68 anos de idade.

     5ª – Como já mencionamos em artigos anteriores, neste DVD gravado em 1993, em Visconde de Mauá – RJ, Dr. LUIZ MOURA aborda mais a ENERGIA da VIDA e fala superficialmente na AUTO-HEMOTERAPIA.

     6ª – Por se tratar de duas TERAPIAS COMPLEMENTARES totalmente desconhecidas da grande maioria da CLASSE MÉDICA BRASILEIRA, não houve nenhuma reação das diversas ENTIDADES MÉDICAS.

     7ª – Todavia, outro motivo atrasou a resposta arbitrária das ENTIDADES MÉDICAS e de seus inúmeros colaboradores e FINANCIADORES. O avanço da INTERNET e das REDES SOCIAIS. É o que veremos logo a seguir.

  
Categorias:
• DVD.
• Armazenamento de dados.
• Armazenamento de áudio.
• Armazenamento de vídeo.
• Invenções do Japão.


     Esta página foi editada pela última vez às 16h28min de 06 de setembro de 2017.




HISTÓRIA da INTERNET no BRASIL.


     Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


     A INTERNET no BRASIL se desenvolveu junto ao meio ACADÊMICO e CIENTÍFICO no final dos anos 1980.
     No seu início, o acesso era restrito a PROFESSORES e FUNCIONÁRIOS de UNIVERSIDADES e Instituições de Pesquisa.
     Somente em maio de 1995 a INTERNET deixou de ser privilégio das universidades e da iniciativa privada para se tornar de acesso público.
     Desde então o número de provedores que oferecem o serviço e o número de usuários que utilizam este recurso aumentam a cada ano.
     Foi realizada uma reunião na Universidade de São Paulo, na qual estavam presentes representantes do governo e da Embratel, com o objetivo de criar uma rede que visava interligar a comunidade acadêmica e científica do Brasil com outros países com a finalidade de trocar informações.



TRAJETÓRIA.



     Em 1988, o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) conseguiu se conectar a Universidade de Maryland, acessando a Bitnet (Because It's Time Network), que era uma rede que permitia a troca de mensagens.
     No mesmo ano, em São Paulo, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) se conectou ao Fermi National Accelerator Laboratory (Fermilab) em Chicago, também por meio da Bitnet.
     Em 1989, a Universidade Federal do Rio de Janeiro também se conectou à Bitnet através de uma universidade americana, tornando-se a terceira instituição a ter acesso a essa tecnologia.
     Nesse ano, foi criada, com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), que durante a década de 1990 foi a responsável por fornecer acesso a INTERNET a aproximadamente 600 instituições, ou seja, por volta de 65 mil usuários.
     No ano de 1991 o acesso a rede de informações, já denominada INTERNET, já era utilizada também por órgãos do governo e instituições educacionais de pesquisa.
     Nessa época a INTERNET era utilizada para transferências de arquivos, debates e acesso a base de dados nacionais e internacionais.
     O Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE) trata-se de uma instituição autônoma que tinha como um dos seu objetivos levar informação à sociedade civil, incluindo o acesso a rede de computadores.
     Pioneiros no assunto, na década de 1980, o IBASE, ligou-se a uma instituição internacional a qual visava a troca de informações entre organizações não governamentais por meio de correio eletrônico.
     Em 1989, o IBASE juntamente com o Institute for Global Communications, dos Estados Unidos e outras agências internacionais, colocaram em funcionamento o Alternex, que era um serviço de troca de mensagens e conferências eletrônicas, inovador no país.
     Em 1992, ocorreu a implantação de uma rede que cobria grande parte do país.
     Inicialmente interligava onze estados, uma rede de equipamentos e linhas de comunicação que compunham o que se pode chamar de central da RNP.
     No ano seguinte (1993) a BBS Canal Vip, que foi criada em 1986 por Paulo Cesar Breim, e é o primeiro sistema do Brasil a oferecer uma conta de email INTERNET, gratuita, a qualquer pessoa.
    

     Observação do escriba: - Foi neste ano de 1993 que foi gravado o 1º “DVD” sobre a ENERGIA da VIDA, produzido por Luiz Fernando Sarmento e Ralph Viana.

     Nos anos seguintes, seguiu-se o processo de divulgação dos benefícios da INTERNET entre os estudantes e empresas privadas.
     Em 1994, alunos da USP criaram inúmeras páginas na Web.
     Somente em 1995 (com os sistemas implantados a partir de 1992) foi realizada a primeira transmissão a longa distância entre os estados, realizada por São Paulo e Rio Grande do Sul, e finalmente neste mesmo ano foi liberada a operação comercial no Brasil.
     No mesmo ano (1995), foi criado o Comitê Gestor da INTERNET no Brasil, com a atribuição de coordenar e integrar todas as iniciativas de serviços INTERNET no país, promovendo a "qualidade técnica", a inovação e a disseminação dos serviços ofertados.
     Em 1996 surgem os dois primeiros portais de INTERNET privados do Brasil: - O Zaz e UOL.
     No ano seguinte (1997), alguns órgãos públicos foram informatizados.
     O governo também desenvolve um serviço permitindo a entrega da declaração do Imposto de Renda por meio da INTERNET.
     Em 2000, surgem as primeiras provedoras de acesso gratuito, como o iG.
     Ainda com conexão discada, essas provedoras eram financiadas por meio de propagandas e banners colocados sobre o navegador.
     O modelo se provou insustentável.
     No mesmo ano (2000), essas provedoras começaram a fechar.
     Ainda no mesmo ano (2000), surgem as primeiras provedoras de acesso por tecnologias de banda larga como o ADSL, aumentando a qualidade da conexão e permitindo pela primeira vez a transmissão de vídeo.
     A partir de 2004, com o advento das REDES SOCIAIS, mais notavelmente o Orkut e posteriormente o Facebook, a INTERNET começa a se popularizar como uma Mídia de Massa no Brasil.
    
     Observação do escriba: - Foi neste ano de 2004 que foi gravado o 2º “DVD” sobre a AUTO-HEMOTERAPIA, sendo os produtores Ana Martinez e Luiz Fernando Sarmento (e outros participantes).


     A partir de 2007, com o surgimento dos primeiros smartphones e da conexão 3G, passa a estar disponível também em dispositivos móveis.
    
     Observação do escriba: - Foi neste ano de 2007, que explodiu a nível nacional, o “escândalo” da AUTO-HEMOTERAPIA.

     Em 2016, pela primeira vez, mais de 50% dos domicílios brasileiros estão conectados à INTERNET.


Observações do escriba.


     1ª - A seguir vem cronologicamente os fatos que marcaram a história da INTERNET no BRASIL.

     2ª – Na Wikipédia estão disponíveis nove (9) referências e três (3) ligações externas sobre o tema.


Categorias:
• História da Internet.
• Internet do Brasil.
• História do Brasil por tema.


     Esta página foi editada pela última vez às 20h42min de 16 de setembro de 2017.






Visconde de Mauá – RJ (2004) – O Médico e Ex-cirurgião Dr. LUIZ MOURA grava o seu 2º “DVD” – ainda a 6ª e penúltima parte do 3º “capítulo”.  

    
     Depois de longos 11 anos, Luiz Fernando Sarmento e Ralph Viana, não ficando contentes com a repercussão do 1º “DVD”, procuram novamente o Dr. LUIZ MOURA e lhe propõe uma 2ª entrevista.
     A entrevista aborda com mais detalhes a AUTO-HEMOTERAPIA, o foco principal da conversa. Estamos então em 2004 e o médico Dr. LUIZ MOURA já estava com 79 anos de idade.
     Alguém, não sabemos ainda quem foi a pessoa, colocou o DVD na INTERNET, e, tal qual uma EPIDEMIA, a mesma se propagou rapidamente, sobretudo na camada mais JOVEM da população.  
     O “epicentro” da EPIDEMIA da AUTO-HEMOTERAPIA foi na Cidade do Rio de Janeiro e no Estado do Rio de Janeiro, onde residia e trabalhava o médico Dr. LUIZ MOURA. Daí...
     A iniciativa não partiu do Dr. LUIZ MOURA, porquanto, o distinto médico nunca usou um computador em toda a sua vida.
     No meu caso, eu recebi de “presente” o 2º (segundo) DVD – “AUTO-HEMOTERAPIA – Conversa com Dr. LUIZ MOURA”, das mãos do Sr. Cleophas Pereira de Aguiar a pedido do Sr. Luiz Vovô, no início de julho de 2007, para que eu o assistisse, e ficaram aguardando a minha opinião.
     O que eu fiz com o DVD? Joguei-o em uma das minhas estantes. Tô nem aí!
     Aproximadamente uma semana após, o Sr. Cleophas Pereira de Aguiar me procura e me alerta!
     - Jorge, - Luís Vovô está chegando de viagem de Salvador no próximo final de semana! Você já assistiu o DVD?
      – Não, ainda não!
     – Acontece que ele já está realizando este tratamento e ele quer saber a sua opinião! Afinal de contas você é médico!
     – Tá bem! Amanhã eu assisto!  
     No dia seguinte assisti ao DVD, armado com uma caneta, 20 folhas de papel A4, e um banco para anotações.
     Fiquei ao mesmo tempo surpreso e indignado!    
     Surpreso pela novidade!
     Indignado pelo fato de ter descoberto que tinham me escondido durante 57 anos de vida e quase trinta anos de formado em Medicina, uma TERAPIA extremamente simples, de custo baixíssimo e que atenuava ou mesmo CURAVA algumas doenças tidas com incuráveis!  
     No dia seguinte fui à residência do médico Dr. José Roberval Nunes (in memorian), meu colega de turma na Faculdade de Medicina, para que ele assistisse ao DVD.
     Queria ouvir a opinião dele, afinal ele era o meu melhor colega, e era, para mim, uma espécie de Consultor Científico. Fiquei algum tempo aguardando a resposta dele. Resposta que nunca veio. E dele nunca mais virá, porquanto ele já faleceu.
     Mesmo sem a opinião do Dr. Roberval, no dia 21 de agosto de 2007, fiz a minha (1ª) primeira aplicação de AUTO-HEMOTERAPIA, na presença do Sr. Cleophas Pereira de Aguiar, do Sr. Luís Vovô e de outras pessoas. E até os dias atuais continuo a fazê-lo de cinco em cinco dias (10 ml). Dez longos anos de absoluto sucesso.
     Passei a estudar o assunto em profundidade, e, aproximadamente um ano após (em 2008), comecei a publicar os primeiros artigos no JORNAL da CIDADE, aqui de Aracaju – SE.    
     Posteriormente é que descobri na Rede Mundial de Computadores a existência do 1º (primeiro) DVD do Dr. LUIZ MOURA, que fala mais da ENERGIA da VIDA.  
     1993 – Clarice Gontow (obstrução da circulação sanguínea). – Minha mãe, Clarice, vinha tendo problemas circulatórios havia três anos. Sofria desde que morava em Porto Alegre e, embora tivesse se mudado para Florianópolis, os sintomas se intensificavam nos dias de frio do outono e do inverno. Entrávamos no mês de maio, e o incômodo causado pelo frio desde as extremidades dos pés até os joelhos já se fazia notar. Além disso, Clarice se queixava dizendo que a perda de tato ocorria também nas mãos. (página 28). (a).
     Em 1993, ano em que fiz a formação em trabalho corporal de BIOENERGÉTICA (massagens, exercícios e leitura corporal), minha mãe estava com 52 anos e convidei-a para assistir ao vídeo ENERGIA da VIDA, um documentário que fala da BIOENERGÉTICA e sobre a maneira como as emoções interferem na distribuição da energia no nosso organismo. (páginas 28 e 29). (a).
     No filme, há o depoimento de alguns médicos e, entre eles, uma explanação feita pelo doutor LUIZ MOURA sobre a AUTO-HEMOTERAPIA, em que ele analisa sua contribuição para a saúde e dá exemplos do campo de energia em algumas situações. O tema despertou interesse em Clarice e ela me pediu para fazer o tratamento de AUTO-HEMOTERAPIA. Iniciamos, então, a aplicação de 10 ml de SANGUE, na área dos glúteos, de sete em sete dias. (página 29). (a).
     Após quatro semanas, ou seja, depois da quarta aplicação, minha mãe relatou aumento da temperatura do corpo e disse que sentia a circulação chegando até os pés e as mãos. (página 29). (a).
     (...) – Quando retornou a Florianópolis, reiniciamos a AUTO-HEMOTERAPIA e prosseguimos com ela, sem interrupção, de outubro de 1993 até novembro de 1994, ocasião em que ela viajou novamente para a Austrália para acompanhar o nascimento de minha sobrinha Hakel. Voltou a Florianópolis depois de três meses. (página 29). (a).
     Retornamos as aplicações em fevereiro de 1995, semanalmente, fazendo rodízio no braço da retirada de SANGUE, bem como no local da devolução [deltóide direito (5 ml) e esquerdo (5 ml), glúteo direito (10 ml), glúteo esquerdo (10 ml), hoshteter direito (10 ml) e esquerdo (10 ml), voltando aos braços]. (página 29). (a).
     O que foi escrito acima foi transcrito do livro “AUTO-HEMOTERAPIA – Um bom passo maior que a perna. Das bases à autonomia do viver”, cuja autora é a estudiosa e corajosa Enfermeira IDA ZASLAVSKY.  
     O relato de Ida Zaslavsky em seu livro ratifica as palavras de Luiz Fernando Sarmento, de Ralph Viana e de Anderson Cattoni, quando eles também afirmam que o 1º DVD do Dr. LUIZ MOURA, foi gravado em 1993.
     Foi inspirado neste DVD de 1993, que o Engenheiro Anderson Cattoni tornou-se o melhor fabricante de CAIXAS ORGÔNICAS no Brasil.
       Como estamos em 2017, o 1º DVD foi gravado há 25 anos (2017-1993 = 25) e o 2º DVD foi gravado há 13 anos (2017-2004 = 13). Os dois DVDs falam em AUTO-HEMOTERAPIA. A minha pergunta é: - Após tantos depoimentos positivos a favor da INOFENSIVA AUTO-HEMOTERAPIA, quando alguém terá a devida coragem de gravar um 3º DVD sobre o assunto?  
     Mas, vamos ao que mais nos interessa no momento.
    
     Lá para as tantas, afirma Dr. LUIZ MOURA em seu 2º DVD (o de 2004): - Mas, a AUTO-HEMOTERAPIA também é usada em VETERINÁRIA. Usa-se em vaca quando ela tem uma doença que se chama FIGUEIRA. É como VERRUGAS que nascem no focinho da vaca, e, que realmente prejudicam muito a vaca. Aplicando a AUTO-HEMOTERAPIA, que eles fazem com 20 ml na vaca, em dois a três dias cai toda a FIGUEIRA. Caem todas aquelas VERRUGAS que a vaca tem, desaparece tudo. Isso é um uso VETERINÁRIO.
     Embora Dr. LUIZ MOURA trabalhasse com MEDICINA HUMANA, ele tinha conhecimento do uso da AUTO-HEMOTERAPIA em MEDICINA VETERINÁRIA.
     Como já dissemos anteriormente, em 1951, em Buenos Aires – Argentina, o PROFESSOR e MÉDICO VETERINÁRIO Dr. OSVALDO A. ECKELL publicou um LIVRO, no qual AFIRMA CATEGORICAMENTE o uso da AUTO-HEMOTERAPIA em MEDICINA VETERINÁRIA, em vários tipos de animais e em diversas enfermidades. E ainda ensina como deve ser realizada a AUTO-HEMOTERAPIA em diferentes animais, e até o tamanho das seringas a serem utilizadas a depender do porte do animal.  
     Por outro lado, o médico e professor Dr. RICARDO VERONESI, em seu trabalho científico intitulado IMUNOTERAPIA: - O Impacto Médico do Século, publicado na revista MEDICINA de HOJE, em março de 1976, faz as seguintes AFIRMAÇÕES:
     1ª – (...) Para facilitar a compreensão desses conhecimentos, apresentaremos, numa sequência didática os elementos fundamentais implicados na DINÂMICA IMUNOLÓGICA, desde sua origem, diferenciação e, finalmente, sua atuação na IMUNOPATOLOGIA HUMANA e ANIMAL.
     2ª – (...) SISTEMA RETÍCULO ENDOTELIAL (S. R. E.) – Este componente do SISTEMA IMUNOLÓGICO é, provavelmente, o mais importante dos três, funcionando, todavia, em íntima interdependência com os SISTEMAS T e B.
     3ª – (...) Doenças infecciosas e parasitárias. Quando o organismo HUMANO ou ANIMAL é agredido por agentes infecciosos ou parasitários, é acionado o SISTEMA IMUNOLÓGICO, em seus vários compartimentos, a fim de destruir ou neutralizar o agressor. Tanto a IMUNIDADE mediada por CÉLULAS, como a mediada por ANTICORPOS, COMPLEMENTADAS ao final pelos MACRÓFAGOS, são movimentadas para impedir a ação PATOGÊNICA do AGENTE INVASOR.

     Em 1951, o Médico Veterinário Dr. OSVALDO A. ECKELL afirmou: - A AUTO-HEMOTERAPIA é amplamente utilizada em ANIMAIS.
     Em 1976, o Médico Dr. RICARDO VERONESI afirmou: - A IMUNOTERAPIA é utilizada em HUMANOS e também em ANIMAIS.
     Em 1993, o Médico Dr. LUIZ MOURA afirmou: - A AUTO-HEMOTERAPIA é utilizada em HUMANOS.    
     Em 1993, a Enfermeira IDA ZASLAVSKY afirma: - A AUTO-HEMOTERAPIA é utilizada em HUMANOS, pois eu faço a AUTO-HEMOTERAPIA em minha mãe, Dona CLARICE GONTOW, desde 1993.
     Em 2004, o Médico Dr. LUIZ MOURA reafirmou: - A AUTO-HEMOTERAPIA é utilizada em HUMANOS e também em ANIMAIS.
     Em 2017, Dr. JORGE MARTINS CARDOSO afirma: - 1º - A AUTO-HEMOTERAPIA é utilizada em HUMANOS, pois eu faço a AUTO-HEMOTERAPIA em mim mesmo, há mais de dez anos.
     Em 2017, o Médico JORGE MARTINS CARDOSO afirma: 2º - A AUTO-HEMOTERAPIA é usada em ANIMAIS, pois já obtive por escrito o depoimento de vários MÉDICOS VETERINÁRIOS, comprovando o seu uso em ANIMAIS.
         Em 2017, Dr. JORGE MARTINS CARDOSO afirma: 3º - A AUTO-HEMOTERAPIA é uma IMUNOTERAPIA INESPECÍFICA.        
      Em 2017, Dr. JORGE MARTINS CARDOSO afirma: - 4° - A AUTO-HEMOTERAPIA é uma IMUNOTERAPIA NATURAL.

     A parte mais importante da “novela” será publicada no próximo artigo, que será o último da série sobre a PROTEÍNA chamada PRÍON, e que abalou o Reino Unido e continua assustando o MUNDO.
      
          
      A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA (AHT), também continua.
      Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA.
     ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE (Ex-PAÍS do FORRÓ e futuro “PAÍS da BOMBA ATÔMICA”), localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Quarta-feira, 04 de outubro de 2017.

Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573.



     Fontes: (1) – Wikipédia. (2) – 1º DVD do Dr. LUIZ MOURA, produzido em 1993. (3) – 2º DVD do Dr. LUIZ MOURA, produzido em 2004. (4) – Trabalho Científico do Dr. RICARDO VERONESI, intitulado “IMUNOTERAPIA: - O Impacto Médico do Século”, publicado em março de 1976. (5) – LIVRO do Médico Veterinário Dr. OSVALDO A. ECKELL, publicado em 1951 em Buenos Aires – Argentina. (6) – (a) - LIVRO – “AUTO-HEMOTERAPIA – Um bom passo maior que a perna. Das bases à autonomia do viver” – Autora – Enfermeira IDA ZASLAVSKY – Florianópolis – PostMix – 2011 – páginas 28 e 29 (149 páginas). (7) – Vários DVDs de Anderson Cattoni.  


jorge martins
Enviado por jorge martins em 04/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras